Personagens de 10 livros e contos de terror que passaram momentos assustadores e de gelar o sangue

Nenhum comentário


Hoje, gostaria de escrever, não propriamente, sobre personagens de terror que assustam, mas sobre personagens de terror que se assustaram e... muito! Eles enfrentaram momentos do mais puro horror daqueles que provocam calafrios e gelam o sangue. 

Alguns desses personagens foram relapsos porque mesmo sendo alertados do risco que corriam, decidiram ignorar os avisos e encarar o sobrenatural – resultado: se deram muito mal; outros, simplesmente foram vítimas do desconhecido, mesmo respeitando esse desconhecido – resultado: se deram mal do mesmo jeito.

Gostaria de lembrar que temos uma galeria infindável desses personagens, mas escolhi, evidentemente, aqueles que fizeram parte dos livros que eu li. Vamos a eles e também aos momentos terríveis enfrentados.

01- Judas Coyne

Livro: A estrada da noite

Autor: Joe Hill


Este cinquentão chamado Judas Coyne, uma verdadeira lenda do rock pesado, menosprezou o sobrenatural e acabou se dando muito mal. Ele tem o hábito bizarro de colecionar objetos macabros, tais como: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando ficou sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensou duas vezes antes de fazer uma oferta. O anuncio dizia: “Vou ‘vender’ o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto”.

Por 1.000 dólares, o roqueiro tornou-se o ‘feliz’ proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. É a partir daí que o espírito de um idoso morto e muito macabro chamado   Craddock McDermott entra na vida de Coyne e o faz passar por momentos a-s-s-u-s-t-a-d-o-r-e-s.


McDermontt, o velhinho do paletó assombrado, desperta os medos mais primitivos dos leitores, imagine então os medos do roqueiro azarado que enfrentou pessoalmente a assombração. 

Você se lembra daquele ‘reverendo-fantasma’ do filme Poltergeist - com uma expressão macabra - que atazanava a vida da família daquela menina loirinha que, por sua vez, acaba sendo ‘puxada’  para o além? Craddock é parecidíssimo com ele, mas um pouco pior. Ele ‘arrepia’ na história de Joe Hill (detalhes do livro aqui). O fantasma só pensa em vingança e é capaz de tudo para atingir os seus objetivos.

02 – Richard Kinnell

Livro: Tudo é eventual (conto: O vírus da estrada vai para o norte)

Autor: Stephen King


Escolhi uma história do filho, por isso, jamais poderia deixar de escolher uma história do pai. Se Joe Hill é bom, imagine, então, Stephen King que foi o seu mestre. É difícil escolher apenas um personagem de King que tenha passado por momentos horripilantes. Cara, a maioria deles passou por isso e comeram o pão que o diabo amassou, por isso pelejei para selecionar um deles. Escolhi Richard Kinnell, personagem do conto O Vírus da Estrada vai para o Norte do livro Tudo é Eventual lançado em 2002. Se esse conto de King foi um dos que mais me assustou, imagine, então, o que Richard Kinnell sentiu na pele.

Não vamos culpar o personagem porque ele entrou de gaiato neste problema, pois desconhecia o que estava comprando. Depois que percebeu o erro involuntário que cometeu já era tarde demais.

Kinnell é um escritor hiper-famoso de histórias de terror que após retornar de uma convenção literária resolve parar numa venda de garagem montada na beira de uma estrada abandonada. Ele acaba comprando um quadro estranho: na imagem da pintura, ele pode ver um homem dirigindo um carro com os cabelos ao vento. Seria uma imagem perfeitamente normal não fosse pelo macabro sorriso de dentes afiados do motorista parecendo um horripilante canibal. 

Como gostou do quadro, decide leva-lo. Tudo seria normal até aí, concordam? Pois é... até a imagem começar a mudar e, pela paisagem ao fundo, o protagonista percebe que o canibal do quadro está vindo atrás dele. E está chegando cada vez mais perto. Brrrrrrrrrrr!!!

03 – Harry Houdini

Livro: A tumba e outras histórias (conto: Aprisionado com os faraós)

Autor: H.P. Lovecraft


Se me pedissem para citar um dos homens mais corajosos do mundo, sem pestanejar, eu citaria na lata: Harry Houdini. O famoso escapista e ilusionista húngaro conhecido como “O Grande Houdini” encarava tudo, absolutamente tudo: ficava preso em tanques de água acorrentado a cadeados; ficava embaixo de enormes elefantes selvagens; além de participar de supostas sessões espíritas com o objetivo de desmascarar truques de charlatões. 

Pois bem, o que você diria se eu lhe contasse que certa vez, Houdini quase enlouqueceu por causa de uma situação aterrorizante que viveu? Algo horrível que presenciou e que por pouco não lhe provocou um colapso nervoso? Pois é, pode acreditar! O “Grande Houdini” passou por isso; pelo menos num conto escrito por Howard Phillips Lovecraft; apenas Lovecraft para os íntimos (rs).


Aprisionado com os faraós faz parte da coletânea de contos de fantasia e terror do extraordinário A Tumba e outros contos. O conto é narrado em primeira pessoa, pelo próprio Houdini que conta a terrível experiência que viveu no Egito, há alguns anos, quando esteve naquele país africano numa viagem de férias. Ao visitar a famosa pirâmide de Quéfren; Houdini ficou intrigado com o colossal monumento da esfinge, localizado próximo ao templo do faraó.

Reza a lenda que o rosto esculpido na esfinge seria o do próprio Quéfren, mas antes disso, a estatua teria um outro rosto, considerado o verdadeiro, representando algo pavoroso. O faraó teria realizado, juntamente com os seus asseclas, nas profundezas da pirâmide, uma experiência macabra, de gelar o sangue: algo hediondo relacionado à esfinge. Houdini entrou na pirâmide e presenciou, escondido, o ritual e quase enlouqueceu de medo.

04 - George e Kathleen Lutz

Livro: Horror em Amityville

Autor: Jay Anson


Até agora não conheci nenhum personagem que não tenha passado apuros e sentido medo numa casa mal assombrada. O casal George e Kathleen Lutz viveram momentos assustadores na famosa casa situada na 112 Ocean Avenue, no vilarejo de Amityville, em Nova York.

A história escrita por Jay Anson, de fato aconteceu, e acabou virando um dos maiores bestsellers da literatura de terror. O livro Horror em Amityville fez tanto sucesso que ganhou várias adaptações para a TV, sendo a de 1979 a melhor delas.

Os fatos vividos por George e Kathleen Lutz, juntamente com os seus três filhos, além do padre Frank Mancuso são por demais assustadores. A família Lutz teria decidido se mudar para o imóvel – que fica na beira de um lago – um ano após ele ter sido palco de um brutal e sangrento assassinato. 


Em 13 de novembro de 1974, por volta das 3h15 da manhã, Ronald DeFeo Junior, popularmente conhecido por Butch, na ocasião com apenas 23 anos, empunhando um rifle esportivo, executou seu pai, sua mãe e seus quatro irmãos, dois meninos e duas meninas a tiros, enquanto dormiam.

Anson narra como foram essas quatro semanas dos Lutz na casa em Amityville onde ocorreram esses assassinatos. Alguns fatos são bem impressionantes. A casa parece ter vontade própria e aprisiona a família, evitando que os Lutz fujam. Então, eles passam a experimentar um terror indescritível com camas levitando, vozes horrendas desconhecidas, vultos estranhos e um porco que fala, entre tantos acontecimentos bizarros.

05 – Millor Aleixo

Livro: VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue (conto: Torniquete)

Autor: César Bravo

Torniquete que faz parte coletânea de contos VHS – Verdadeiras Histórias de Sangue do autor César Bravo me impressionou pra caráculas. A história me incomodou tanto que fiquei pensando, por um longo período, no suplício e nos momentos de terror do personagem Millor Aleixo. Volta e meia, lá estava na minha cabeça a pobre vítima tendo a sua perna decepada por um trem. Arghhhhhhh!

Aleixo decide amputar, voluntariamente, a sua perna ao descobrir que algo não vai bem com o importante membro inferior de seu corpo. Algo que se agrava a cada dia. Por isso, ele resolve decepá-la, mas da pior maneira: sentando ao lado de uma estrada de ferro com uma das pernas esticadas no trilho, esperando a locomotiva passar.

Só em escrever essas poucas linhas, já me sinto incomodado, imagine então, ler o conto inteiro onde o autor descreve, em detalhes, os preparativos para antes e depois da amputação.

No conto, o personagem que está internado num hospital relembra para um repórter toda a agonia enfrentada há poucos dias. Ele conta como se preparou para essa aventura macabra. “O sangue espirrou para todo o lado, fazendo de mim um Platoon urbano, sangue no chão, no rosto, mais sangue no ar do que oxigênio... A perna amputada foi arrastada e eu puxei o que sobrou de volta com o trem ainda passando...”  PQP!! Vou parar por aqui. Acho que já deu para vocês terem uma noção do terror vivido pelo tal Millor Aleixo.

06 – Benjamin Ficher, Florence Tanner, Barret e Edith

Livro: A Casa Infernal

Autor: Richard Matheson

A Casa Infernal é considerado por muitos como o romance sobre casas mal-assombradas mais aterrorizante já escrito. Os quatro investigadores paranormais viveram momentos de terror num imóvel maldito. 

A Mansão Belasco foi construída em 1919 por Emeric Belasco, em Maine, EUA. Um homem malévolo que construiu uma espécie de antro de libertinagem, onde tudo era possível, nada era considerado depravado ou doentio. Aqueles que o visitavam não retornavam aos seus lares, pois acostumavam-se ao modo animalesco instituído por aquela que ficou conhecida como Hell House, a Casa Infernal.

Os relatos contam que até 1928 orgias de mutilação, assassinato, necrofilia e canibalismo eram práticas comuns dentro da casa, embora Belasco não participasse mais pois preferia ficar observando o inferno criado por ele. Em 1929, parentes de alguns dos seus convidados notificaram a polícia que invadiu a casa e encontrou todos mortos. O corpo de Belasco, entretanto, nunca foi localizado.

Há 40 anos, a terrível mansão se mantém imponente, desfiando todos aqueles que tentam decifrar os seus segredos. Nesse período houve duas tentativas de investigá-la, uma em 1931 e outra em 1940. Ambas foram desastrosas. Oito dos mais renomados pesquisadores de fenômenos paranormais do mundo envolvidos nessas tentativas foram mortos, cometeram suicídio ou enlouqueceram. Apenas um, Ben Fischer conseguiu sobreviver e o terror que presenciou foi tão grande que até hoje sofre os efeitos do desastre do passado, mesmo assim, ele decide voltar à Mansão Belasco, agora, fazendo parte da equipe do Dr. Lionel Barret que tem ainda como integrantes: Florence Tanner e Edith Barret. Os quatro passarão momentos pavorosos.

07 – Mike Enslin

Livro: Tudo é Eventual (conto: 1408)

Autor: Stephen King

Mike Enslin é um escritor de obras de não-ficção baseadas no tema de lugares assombrados. Ele é autor de “Dez Noites em Dez Casas Assombradas”, “Dez Noites em Dez Cemitérios Assombrados” e “Dez Noites em Dez Castelos Assombrados”. Eles provam ser best-sellers, mas Enslin sente alguma culpa por seu sucesso, reconhecendo em particular que ele não acredita nos elementos paranormais e sobrenaturais que investiga.

Chegando ao Dolphin Hotel, em Nova York , Enslin pretende passar a noite no infame quarto 1408 do hotel como parte de sua pesquisa para seu próximo livro, “Dez noites em dez quartos de hotel mal-assombrados”. Ele é recebido pelo gerente do hotel, Sr. Olin, que o informa sobre a história mórbida do quarto - 1.408 que foi responsável por 42 mortes, pelo menos 12 delas suicídios, em um período de 68 anos.

O gerente insiste que há "algo maligno" que reside no quarto, fazendo com que coisas terríveis aconteçam a qualquer pessoa que permaneça dentro de suas paredes, exceto por breves períodos de tempo. Como tal, tem se empenhado em manter o quarto vago durante sua gestão, um período de quase 20 anos.

Mas Enslin não acredita em fantasmas e muito menos em casas e quartos de hotéis mal assombrados, por isso, ignora os avisos do Sr. Olin e decide passar uma noite no 1408. Pronto tá feito o estrago. Ele nunca poderia imaginar que um dia passaria um tremendo cagaço. O quarto deixou graves sequelas no escritor.

08 – Roberto Morate

Livro: A corrente, passe adiante

Autor: Estevão Ribeiro

O livro de Estevão Ribeiro fala de um hacker chamado Roberto Morate que, ao repassar um e-mail que recebeu de uma garota desconhecida, descobre que salvou a sua vida, mas por outro lado, condenou a sua alma e de todos que receberam a corrente. Explicando melhor: num “belo dia”, Roberto que tem como profissão roubar senhas bancárias de incautos internautas, recebe um e-mail misterioso de uma garota que diz já ter morrido. Algo do tipo: “passe esse e-mail para outras sete pessoas e você terá muita sorte. Nem pense em mandar essa mensagem para lixeira. Se você apagá-la, em 48 horas eu irei atrás de você, onde estiver...”

Ok, se coloque no lugar de Roberto, o que você faria? Apagaria a mensagem? Tudo bem. Vamos supor que você excluísse a corrente para a lixeira, e imediatamente, ouvisse o sinal de seu computador lhe avisando da chegada de uma nova mensagem. Neste momento, você até já se esqueceu do suposto trote virtual, então a nova mensagem chega ‘rasgando’: “Eu não lhe avisei para não jogar a mensagem na lixeira!! Vou lhe dar uma nova chance de viver. Repasse, agora, essa corrente para outras sete pessoas se não irei atrás de você!! Vai querer contrariar a vontade de uma morta?”

Entonce... Roberto Morate, sentiu um calafrio na espinha, mas mesmo assim, mandou a nova mensagem também para a lixeira. Resultado: a morta foi atrás do cara!!! Só em estar escrevendo esse texto agora, de madrugada, já sinto arrepios, imagine o nosso amigo Roberto que enfrentou pessoalmente essa situação de pânico e terror.

09 – Senhor White

Livro: Contos de Horror do Século XIX (conto: A mão do macaco)

Autor: William Wymark Jacobs (WW Jacobs)

Acho que a espinha juntamente com a nuca do senhor White devem estar com calafrios até hoje. My God! Que pânico esse homem deve ter passado.

Na história escrita em 1902 e que faz parte do livro Contos de Horror do Século XIX, uma família muito humilde, composta por pai (senhor White), mãe (senhora White) e um filho jovem adulto (Herbert White), estão em sua casa tranquilos, em uma noite fria, quando um forasteiro chega pedindo abrigo. O homem é um soldado, que um dia fora conhecido da família e, por isso, é prontamente recebido no interior da casa.

Entre muitas conversas meio desconexas e copos de Whisky, o homem conta para a família sobre uma estranha pata de macaco que realiza três desejos de quem a estiver portando. O homem sugere que a mão seja lançada ao fogo, mas o pai da família pede para ficar com ela, pior, resolve fazer um pedido que gera sérias consequências. Para consertar o que estragou com o primeiro pedido, ele faz um segundo, então o caldo azeda de vez. Ao ter o seu segundo desejo atendido, o senhor White percebeu que teria pela frente algo assustador que poderia fazê-lo perder a razão. Para se livrar daquilo que poderia enlouquecê-lo de medo, o homem decide queimar o seu último pedido para a maldita mão do macaco. Brrrrrrrrrrrr!!!

10 – Bill, Richie, Eddie, Stanley, Beverly, Mike e Ben

Livro: It (A Coisa)

Autor: Stephen King

E tome King novamente. Não tem com o deixar It (A Coisa) fora dessa lista. Cara esses quatro amigos viveram o medo mais visceral de suas vidas ao enfrentarem um palhaço demoníaco. 

Quando adolescentes, Bill, Richie, Eddie, Stanley, Beverly, Mike e Ben enfrentaram uma criatura centenária que se alimentava do medo das pessoas e se apresentava de diversas formas, sendo a mais comum, num palhaço de nome Pennywise ou Parcimonioso.

A criatura que ficou conhecida como “A Coisa” deixou um rastro de sangue e pavor na pacata cidade de Derry, onde matou várias crianças. É então que os sete inseparáveis amigos resolvem se unir para combater o ser monstruoso. E na batalha que aconteceu em 1958, eles conseguiram com muito esforço derrotar o maligno Pennywise e saírem vivos. Mas após 27 anos, “A Coisa” volta a atacar e os sete amigos, já adultos e longe um do outro, tem que se reunir novamente para a batalha final.

Na primeira vez, quando crianças, eles conseguiram vencer a entidade maligna e ficarem vivos; mas e agora, na luta final? Quem sobreviverá e quem morrerá?

King narra com maestria a tensão, o medo e as dúvidas vividas por Bill, Richie, Eddie, Stanley, Beverly, Mike e Ben. O pavor de um deles é tão grande que o personagem resolve se matar ao invés de enfrentar Pennywise novamente.

E aí galera? Vocês gostariam de estar na pele de qualquer um dos personagens desse post? Tá loko heinnnn!

Nenhum comentário