Featured Slider

Os Intrusos

Mesmo gostando de comprar os meus próprios livros, além de ter uma estante com várias obras ainda não lidas, não perdi o hábito de frequentar a biblioteca pública de minha cidade. Conhecem aquela música do Roberto Carlos, “Força Estranha”? Pois é, algo parecido com aquilo. Aliás acho que os verdadeiros devoradores de livros acabam tornando-se vítimas dessa força estranha que volta e meia os arrastam para dentro de uma biblioteca.

Em uma das minhas visitas acabei me deparando com um livro chamado  Os Intrusos de uma autora chamada Pat Montandon da qual nunca havia ouvido falar. No momento em que estava para devolver, novamente, o livro em seu lugar na estante, escuto a voz da bibliotecária que diz:

- Este livro é muito bom. Gosto de histórias de terror verdadeiras. Essa aí é do tipo aquela casa assombrada que enxotou os seus moradores para fora. – Pronto, depois dessa pequena explicação da moça que estava sentada, tranquiliamente, atrás de uma mesa e que parou de ler um livro para falar comigo, a minha curiosidade ficou a mil por hora, afinal de contas amei a tal casa mal-assombrada a qual ela se referiu. Trata-se de Horror em Amityville, um dos meus preferidos.

Trocas Macabras chegou. Leland Gaunt veio me visitar no sábado

Depois de quase uma semana, estou de volta com uma nova postagem. Reconheço que nos últimos dias tenho quebrado a regra de publicar dois posts semanais no blog, mas tenho um motivo justo para isso. Se quiserem saber, acessem aqui onde dou mais detalhes. Mas o importante dentro desse contexto é que esse atraso não será vitalício. Tão logo consiga concluir o trabalho que estou fazendo – a previsão é para dezembro, bem antes do Natal – voltarei ao esquema normal de postagens. Mas mesmo entupido de trabalho até pescoço se sobrar algum tempinho extra, claro, que pintarão por aqui duas ou mais postagens semanais.

Suicidas

Não se comprar com JantarSecreto. E nem tem como, pois quando escreveu Suicidas, Raphael Montes tinha apenas entre 16 e 19 anos, sendo esse o seu primeiro livro. Você deve estar se perguntando: “Por não se compara com Jantar Secreto? Suicidas é ruim? Eu respondo: “Não, não é”. A escrita de Montes, apesar de ter sido o seu debut no concorrido e ao mesmo tempo desprestigiado mercado literário brasileiro, é fluida e faz com que o leitor se interesse pela trama. Tá bem, a trama... vamos lá, então. O início do enredo tem um clima de tensão e expectativa fodásticos.  Nove jovens são encontrados mortos no porão de uma casa de campo após terem participado de uma roleta-russa. O que ninguém consegue entender é por que esses jovens, aparentemente felizes e privilegiados, decidiram se envolver em um jogo tão tenebroso.

Em meio a esse contexto, o autor vai criando subtramas envolvendo os nove personagens e seus familiares, com direito a alguns plot twists, revelando aos poucos os seus segredos e a personalidade de cada um. Cara, não tem como deixar de devorar as páginas. No meu caso, estava desesperado para saber qual teria sido a motivação desses jovens para participarem de um jogo tão macabro. Estas subtramas e os plot twists aguçavam ainda mais a minha curiosidade.

Trocas Macabras de Stephen King já está em pré-venda. Livro chega ainda neste mês.

A espera acabou. Depois de exatos dois anos e seis meses os fãs de Stephen King, assim como eu, poderão realizar o sonho de ter em suas estantes o tão aguardado Trocas Macabras. Por que após dois anos e seis meses? Simples. A Suma vinha anunciando o relançamento dessa obra rara do mestre do terror desde 15 de maio de 2018, mas o tempo foi passando, passando e nada do prometido livro chegar, até que acabou caindo no esquecimento. Muitos leitores já estavam rotulando o anúncio da editora como uma falsa promessa. Mas eis que a tal falsa promessa acabou se transformando na mais doce realidade para todos nós fãs King. Desta vez, Trocas Macabras vem e vem de verdade. O selo Suma pertencente a editora Companhia das Letras confirmou o relançamento do livro, que já está em pré-venda nas livrarias virtuais, para o dia 20 de novembro. Ele fará parte da coleção “Biblioteca Stephen King” que já conta com os títulos: Cujo, A Hora do Lobisomem, O Iluminado, A Incendiária e A Metade Sombria

Oito trechos de livros que judiaram do meu estômago

Há livros que nos obrigam ter estômago forte para aguentar alguns trechos pesados. O pesado que me refiro está relacionado a repugnância, ou seja, algo que você lê para logo depois o seu estômago se transformar numa verdadeira montanha russa, literalmente embrulhado.

É importante frisar que essa emoção não tem nada a ver com medo ou terror. Fazendo uma comparação a grosso modo, enquanto o terror mexe com a parte de trás de seu corpo, provocando calafrios na espinha; os trechos pesados os quais me referi no início do post mexem com a parte da frente, ou seja, o seu estomago. Eles podem estar camuflados no enredo e quando o leitor menos espera, eles aparecem de surpresa ou ainda podem ter seus arautos que avisam aos leitores incautos que algo ‘denso’ irá acontecer nas próximas linhas ou páginas. Neste caso, temos a escolha de prosseguir a leitura por conta e risco do nosso estômago ou então pularmos aquele trecho ou capítulo.

Fui pego várias vezes de surpresa por esses trechos sinistros, mesmo porquê o enredo não tinha essas características, mas por outro lado, também já encarei verdadeiros trucões sabendo com o que iria “trombar”.

No post de hoje escolhi oito livros, cujos trechos me provocaram verdadeiros rebuliços na “parte da frente” do meu corpo. Não recomendo a postagem para as pessoas impressionáveis e de estômago, digamos... fraco.

Vamos a eles!