Juízo Final


Não gostei. Sinto dizer isso de um dos meus autores preferidos, mas achei o enredo de Juízo Final tosco, estranho, algo bem destoante daquele material de qualidade produzido por Sidney Sheldon, o qual que estou acostumado a ler. Juro que ao terminar o livro tive a impressão de que a obra havia sido escrita por um outro autor com características diferentes de Sheldon.
Juízo Final é uma mistureba danada de ficção científica, alienígenas, espionagem e para engrossar o caldo: um romance mal resolvido. Tudo isso somado a personagens centrais nada carismáticos.
Desculpem-me aqueles que leram o livro e gostaram, mas no meu caso, infelizmente não posso dizer o mesmo.
Juízo Final é dividido em duas partes. Na primeira, o personagem Robert Bellamy que trabalha para o serviço secreto americano tem como missão viajar para a Suíça e procurar por testemunhas da queda de um balão meteorológico que na realidade não é um balão, mas é algo completamente diferente e inusitado. 
Nesta primeira do romance, Bellamy tem como foco descobrir o que é aquele artefato que o governo pensava ser um balão meteorológico, mas não é; bem como informar o seu general que decide tomar medidas de urgência para evitar o pânico na população.
Pois é, em meio a essa busca, já na segunda parte, o autor mergulha os leitores no passado de Bellamy; e assim, vamos descobrindo detalhes de sua vida, principalmente a sentimental com ênfase no seu casamento e nas suas invejáveis habilidades como espião no serviço secreto. Esses relatos são feitos de maneira aleatória na trama. Os leitores passam a conhecer os momentos íntimos de Robert e Susan e seu treinamento especial para se tornar o grande comandante que é hoje. E cá entre nós, os relacionamento amoroso desses dois personagens centrais não é nada interessante.
Juízo Final foi publicado originalmente em 1991, um ano depois do sucesso Lembranças da Meia-Noite, continuação do antológico O Outro Lado daMeia-Noite. Aliás acredito que a melhor fase do autor foi de 1970 a 1990. Foram nessas duas décadas que ele produziu os seus melhores enredos – A Outra Face, O Outro Lado da Meia-Noite, A Ira dos Anjos, Um Capricho dos DeusO Reverso da Medalha, entre outros. A partir de Juízo Final veio a fase das vacas magras com Escrito nas Estrelas, Manhã, Tarde e Noite, O Ditador, O Céu Está Caindo, etc. Mas mesmo os romances dessa fase não deixam de ter as suas qualidades, com exceção de Juízo Final no qual não reconheci Sidney Sheldon.


Nenhum comentário