Thomas Harris, finalmente, anuncia novo livro


Neste começo de ano recebi uma excelente notícia. Todos vocês que acompanham o ‘Livros e Opinião’, há algum tempo, já sabem que Thomas Harris é um dos meus escritores preferidos. Eu estava tão preocupado com a reclusão do escritor norte-americano que em agosto de 2014 resolvi fazer uma postagem explorando o assunto (ver aqui).
Mas tudo bem; chega de enrolação e vamos logo a boa notícia: o criador do famoso assassino em série Hannibal Lecter vai publicar um novo livro ainda neste ano.
Cara, quando fiquei sabendo dessa informação, juro que me emocionei. E esta emoção tem um motivo muito forte, já que sou fã do autor desde “Domingo Negro”, lançado em 1975. Isto quer dizer que aprendi a admirar o seu trabalho bem antes do sucesso de “Dragão Vermelho”, romance em que apresenta um dos mais antológicos assassinos em série da literatura policial: “Dr. Lecter”.
Nem mesmo fiquei frustrado ao saber que o novo livro -  que terá lançamento mundial em 29 de maio de 2019 - não será uma nova sequência da “Saga Lecter” formada por: “DragãoVermelho” (1981), “O Silencio dos Inocentes” (1988), “Hannibal” (1999) e "Hannibal – A Origem do Mal” (2006).
Não fiquei frustrado porque bem antes da criação de Hannibal Lecter, o autor deu uma verdadeira lição de como se escreve um romance policial em “Domingo Negro”. Infelizmente, muitos leitores ainda não leram esse livro e por isso, conhecem o autor somente pela saga Lecter. Sem dúvida, essas pessoas estarão sentindo uma pontinha de frustração, já que relacionavam a volta de Harris ao retorno do Dr. Lecter.
É possível que Harris tenha tomado há muito tempo a decisão de dispensar Lecter, que vinha canibalizando a sua obra desde 1981, quando lançou o primeiro título da série, Dragão Vermelho. Já em 2007, o seu agente, Mort Janklow, dissera à imprensa: “Não faço ideia do que será o próximo livro de Tom: pode não envolver de todo a personagem de Hannibal”. E acrescentou, em declarações à Entertainment Weekly, agora recordadas pelo jornal britânico The Guardian: “O seu contrato não requer isso; ele é um romancista americano importante, que escreve o que quer e quando quer”.
Com relação ao novo livro, Jason Arthur da editora William Heinemann, responsável pelo lançamento da obra, ainda sem título definido, comenta: “não tenho a menor dúvida de que Thomas Harris continua a ser um dos mais notáveis escritores das últimas quatro décadas, e a publicação do primeiro romance que escreveu nestes 13 anos, e que é também o primeiro sem Hannibal em mais de 40, será um acontecimento editorial relevante”.
Por conhecer o talento de Harris, penso como o editor da William Heinemann, ou seja, que o novo livro será um grande sucesso de público e crítica.
Estou aqui, contando nos dedos a chegada de 29 de maio. E você?


Nenhum comentário