A fístula que vale uma divagação num blog literário


Conhecem aquele filme famoso com o Bruce Willis e o Samuel L. Jackson? Corpo Fechado? Nele, o personagem David Dunn, por algum motivo misterioso, nasceu com o corpo completamente fechado – daí o título do filme. Por causa da sua invulnerabilidade, o sujeito consegue escapar sem nenhum arranhão de um grave acidente de trem. Aliás, no filme ele é o único sobrevivente. Então, o personagem de Jackson tenta convencê-lo de que ele é um super-herói de histórias em quadrinhos.
Pois é galera, acho que me pareço, um pouco, com David Dunn, quer dizer, se levar em conta que até agora nunca tive o meu corpo marcado por um bisturi. Verdade! Já ultrapassei cinco décadas e meia de vida e o meu corpo continua lacradinho contra qualquer ataque cirúrgico, ou seja, ainda não tive a oportunidade de conhecer uma sala de operações. Quer dizer... até esta quarta-feira, dia 03.
O blogueiro de corpo fechado, aqui, foi pego a traição por uma vilã sorrateira chamada fístula perianal. E uma fístula que está me botando um medo danado. Por isso, me perdoem por estar fugindo, novamente, da temática proposta por esse blog que é a abordagem de assuntos literários.
Mas nesta noite, perto da véspera de partir para o hospital e enfrentar a minha primeira cirurgia, me deu uma vontade enorme de “conversar” com vocês que acompanham o blog frequentemente. Bater um papo, falar sobre as minhas expectativas, os meus receios e convicções, enfim, me abrir um pouco. Acho que, assim, vou me sentir melhor.
Pois é, há quatro meses, quando descobri que tinha uma fistula perianal, comecei a pesquisar sobre o assunto, além de ver no Youtube alguns depoimentos de pacientes recentemente operados. PQP! Tinha cara que chorava, gemia, gritava, berrava, afirmando que o processo de recuperação estava sendo trash. Teve um sujeito que só faltou excomungar o médico, o hospital e a até mesmo a própria fístula operada. O engraçado é que esse cara xingava todo mundo sentado completamente torto na cadeira, já que não podia se acomodar corretamente por causa do buraco que haviam feito entre as suas nádegas e o ânus para extrair a fístula cruel. “Esta mardita ficou pior depois que mexeram!!” – esbravejava o homem, exortando todos aqueles que assistiam ao vídeo, a fugirem do ato cirúrgico. “Putz, é desse estímulo que eu precisava”, disse para mim mesmo, após xingar o cara de vários nomes. Xinguei mesmo, mas depois fiquei com remorso, pois pensei no seu sofrimento.
Outros ‘corvões’ cruzaram o meu caminho procurando “levantar o meu estado de espírito”. Um deles foi o pedreiro que trabalhava em minha casa.  - Sêo Moreira, o senhor vai operar de fístula anal? – disse ele.
- Vou sim, preciso.
- Vichii... – respondeu. É, somente isto: Vichii. E será que precisava mais alguma coisa?
Mas o tal pedreiro ainda não satisfeito, preferiu dar o golpe de misericórdia:
– Dizem que a dor é desgraçada de ruim e ainda fica um buracão no ‘forever’ – isso mesmo, ele disse ‘forever’ - que demora um dedéu de tempo pra fecha.
– Valeu pela força ‘doutor’ Nestor. Agora, deixe a minha fístula em paz e vai operar as suas paredes e os seus concretos. – disse a ele.
Os únicos que estão me dando força nesse momento é a minha esposa e o meu médico. Lulu vive me dizendo para não prestar atenção “nessas conversas” já que cada caso é um caso, e no meu, trata-se de uma fístula superficial.
Quanto ao meu médico, Dr, Dráusio, ele diz que a cirurgia é muito simples e bem menos dolorida do que uma operação de hemorroidas.
– Moreira, criaram uma mitologia em cima das intervenções cirúrgicas de fístulas perianais, e na realidade não é nada disso do que dizem. A impressão que fica é que o pós-operatório é um martírio. Nada a ver... menos, né – disse ele.
Estimulado por essas palavras, criei coragem e encarei novamente os vídeos do Youtube. E bingo!! Bingo!!! Encontrei uma boa alma revelando que fez a cirurgia, há quatro dias, e está passando super bem e sem dor. Gritei um vivaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Mas foi um viva que mais pareceu um grito de gol, pois o amado sujeito desmistificou todos os tiros de fuzis que foram disparados em meu corpo outrora fechado. O sujeito que já considero o ‘meu melhor amigo do YouTube’ disse que não ficou com nenhuma sequela, incluindo a temível incontinência fecal, não sente dor e a recuperação está indo de vento em popa.
Galera, devo ser operado nesta quarta-feira, dia 3, e peço que rezem por mim. Me desculpem os ateus, mas acredito muito em Deus, em Maria e também nos santos anjos. Sei que estarei em boa companhia quando o meu ‘corpito’ receber o corte de sua cirurgia de estréia. A anestesia será a raquidiana, mas acredito que eles me darão, também, um sedativo para que me desligue desse mundo, temporariamente.
Não estou com medo da cirurgia, fico apenas um pouco “assim e assim” – garanto que é um “assim e assim” pequeno, principalmente depois que conheci o meu “melhor amigo do YouTube´ com o seu fantástico depoimentoo. O meu médico disse que após fazer a abertura e a curetagem do trajeto fistuloso, não é possível dar pontos e por isso o buraco fica aberto com a cicatrização ocorrendo de dentro para fora. Esta cicatrização pode demorar até dois meses.
Peço a compreensão da galera, porque dependendo do grau da minha recuperação, talvez tenha que desacelerar a periodicidade das postagens no blog nestes 30 ou 60 dias. Apenas talvez, não sei ainda. Vamos esperar o andar da carruagem.
Bye!
Uhauuu! Como foi bom ‘conversar’ com todos vocês que acessaram esse post.
Torçam por mim!
Inté depois da cirurgia!


4 comentários

  1. Oi, Jam!
    Fica bem tranquilo que vai correr tudo bem!
    Cada paciente se recupera de e
    uma forma, tenho certeza que sua recuperação vai ser rápida e indolor.
    Uma abraço e fica bem,

    Joelma.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Joelma,
    Se Deus quiser vai dar tudo certo :)

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente vi o post só nesse sábado, Jam!
    Espero que a cirurgia tenha ocorrido bem, assim como espero que esteja sendo tranquilo o período pós operatório.
    Estamos todos torcendo por você! Tente descansar bastante (na companhia de livros!) e mande notícias quando puder!
    Abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por se preocupar meu amigo.
      Estou me recuperando bem, graças a Deus. Não sinto dores, apenas alguns transtornos comuns nesse tipo de cirurgia. Até consegui escrever um post, agora mesmo. Dê uma conferida. Quanto aos livros, estão aqui do meu lado.
      Grande abraço!!

      Excluir