10 livros sobre zumbis para você ter em sua estante

Nenhum comentário

Comecei a assistir filmes no cinema ainda criança. Se a minha mãe foi responsável por me transformar num devorador de livros me arrastando para todas as bibliotecas da cidade, por outro lado o meu irmão velho ficou com a missão de encontrar um jeitinho de dobrar o gerente do cinema para que eu pudesse entrar acompanhado – dele, claro – para assistir alguns filminhos que estavam aquém da minha idade. Naquela época, a censura, pelo menos no que se referia a idade para ingressar nos cinemas, era um pouco mais... maleável, posso dizer. E com isso, tive a oportunidade de assistir a grandes clássicos cinematográficos.

Na minha adolescência continuei driblando a idade na portaria do antigo e saudoso Cine São Salvador. Algumas dessas vezes, sem o meu irmão, já que o porteiro havia se tornado mais maleável, tendo se acostumado com as minhas incursões porta adentro.

Foi um período inesquecível em minha vida quando pude assistir a verdadeiras obras de arte, entre as quais “A Noite dos Mortos Vivos” de George Romero, lançado em 1968, mas que chegou somente anos depois no cinema da minha cidade. Naquele tempo não existia ainda o lançamento simultâneo capital-cidades do interior e com isso, os pequenos cinemas tinham de esperar anos para receber um lançamento que ao chegar, obviamente, já tinha deixado de ser um lançamento há muito tempo. Foi assim com o filme de Romero. Mas independente do atraso, adorei a produção em preto e branco. Foi a partir dela que ganhei gosto pelos filmes de zumbi. “The Walking Dead”, “O Guia de Sobrevivência a Zumbis”, “Guerra Mundial Z” e, claro, “A Noite dos Mortos Vivos” que o digam.

No início desta semana tive a ideia de escrever um post sobre o tema e a melhor maneira que encontrei foi selecionando 10 livros sobre zumbi, pois acredito que um número significativo de leitores – entre os quais, muitos que acompanham o blog, apreciam esse gênero literário. Vamos a eles!

01 – A Noite dos Mortos Vivos (John Russo)

É importante frisar que se hoje os zumbis estão em alta é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de “A Noite dos Mortos Vivos” e mudar a história do cinema. Há sete anos, o próprio John Russo decidiria adaptar a história do filme num romance literário que a editora DrakSide trouxe para o Brasil.

O livro é uma adaptação, ou seja, novelização de duas histórias do mestre Romero (In Memoriam) e de Russo: “A Noite dos Mortos Vivos” (1968) e sua sequência, “A Volta dos Mortos-Vivos” (1985).

Aqueles que acompanham o blog sabem que eu não sou fã de novelizações de filmes, mas desta vez, vou abrir uma exceção porque o texto de Russo foi muito bem escrito e traz vários contrastes em relação ao roteiro cinematográfico, fugindo, assim, do estigma de ser uma mera cópia do filme.

Além do mais, a edição da darkSide é de encher os olhos. Acabamento hiper-diferenciado para deixar qualquer colecionador piradão.

02 – Orgulho, Preconceito e Zumbis (Jane Austen e Seth Grahame-Smith)

Orgulho, Preconceito e Zumbis é um livro de autoria creditada a Jane Austen e Seth Grahame-Smith, lançado no Brasil em 2010 pela editora Intrínseca. Trata-se de uma das primeiras obras do gênero mash-up classic. Mas afinal o que vem a ser isso? Mash-up literário é uma mescla, uma mistura. É como misturar arroz com feijão, largar um pouco de queijo em cima, umas pitadas de tempero e tacar no forno. Tente pensar nisso aplicado à literatura. Não sei se fui claro. Há quem diga que o autor de um mashup literário é como um DJ, já que mistura duas coisas e forma uma terceira. Imagine acrescentar discos voadores no enredo de Dom Casmurro ou então um vampiro na história de A Escrava Isaura. Pois é, foi isso que Seth Grahame-Smith fez com o romance clássico de Jane Austen ao acrescentar mortos-vivos na história, com algumas adaptações (a principal é que heroína Elizabeth Bennet é mestra em artes marciais e no uso das mais diferentes armas).

O livro alcançou o terceiro lugar na lista dos mais vendidos do New York Times. Embalada pelo sucesso desta obra, a editora Quirk Books, responsável pela publicação original, lançou Razão e Sensibilidade e Monstros Marinhos.

O sucesso da obra literária Orgulho, Preconceito e Zumbis também fez com que o enredo fosse adaptado para o cinema em 2016.

03 – O Guia de Sobrevivência aos Zumbis (Max Brooks)

O Guia de Sobrevivência aos Zumbis publicado no Brasil em 2004, pela editora Rocco, mistura terror e humor a fim de criar um guia para ajudar cidadãos comuns a defenderem-se de um ficcional ataque de zumbis. O livro arrebentou em vendas nos Estados Unidos. Vendeu tanto, mas tanto que ganhou uma sequência aproximadamente cinco anos depois. Guerra Mundial Z também agradou em cheio os leitores.

Brooks teve uma sacada genial ao transformar mito em realidade. Imagine a sua cidade, num “belo” dia sendo atacada por zumbis. O que você faria para se proteger? Como você agiria? Foi uma sacada e tanto do autor em trazer os temíveis mortos vivos para a nossa realidade.

No livro, Brooks alerta que se os leitores estiverem considerando os zumbis meros personagens de filmes de horror, estão cometendo um grande erro. O autor alerta que esses leitores estão em risco e O Guia de Sobrevivência aos Zumbis poder ser sua única salvação num mundo dominado por mortos-vivos. Mais do que uma experiência divertida, O Guia de Sobrevivência aos Zumbis pode ser o único raio de esperança quando o ataque começar.

Neste guia Brooks explica detalhadamente e passo a passo como se defender dos seres monstruosos. Desde a fisiologia do morto-vivo e a preparação de sua residência para o ataque até a escolha de um bom plano de fuga, ele detalha quais armas são mais úteis e as melhores técnicas para exterminas essas vis criaturas. No fim do guia, Max ainda relata algumas sanguinolentas invasões ocorridas ao longo dos séculos para evitar ondas de pânico em massa.

Max Brooks dá todas as dicas para que a humanidade consiga derrotar os zumbis e manter-se no posto de maior predador do planeta.

Um livro deliciosamente bizarro.

04 – Guerra Mundial Z (Max Brooks)

Guerra Mundial Z, também lançado pela Rocco, dá continuidade ao bem-sucedido O Guia de Sobrevivência aos Zumbis. Nele, o autor adota um tom científico nas pretensas entrevistas que conduziu com os sobreviventes do ataque que quase extinguiu a humanidade.

Nesta sequência, o autor teve outra sacada fantástica: se transformar no personagem principal do seu enredo ficcional. Brooks é o narrador dos eventos de Guerra Mundial Z. Na história, ele é um integrante da comissão da ONU encarregado de elaborar o relatório sobre o assustador conflito que quase aniquilou o planeta descrito em O Guia de Sobrevivência aos Zumbis. Ele descreve como aconteceu a descoberta do chamado “paciente zero”, contaminado nas ruínas de Dachang, na China, até o caso de uma a arquiteta que pode pagar para se proteger dos zumbis, passando pelo depoimento de um soldado da infantaria que lutou no conflito.

Cena do filme com Brad Pitt baseado no livro
O autor mostra ainda como as sociedades desmoronaram e foram forçadas a se reorganizar após o colapso das instituições que as mantinham, levando as pessoas a atos extremos de heroísmo e altruísmo, bem como de egoísmo e mesquinhez.

O sucesso literário de Guerra Mundial Z fez com que a história também fosse parar nas telonas do cinema numa produção homônima de 2013 tendo Brad Pitt como protagonista.

05 – Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos (Alexandre Callari)

Quem disse que no Brasil não tem escritores especialistas em criar tramas envolvendo ataques zumbis? Alexandre Callari, escritor e também editor e apresentador do programa Pipoca & Nanquim (pipocaenanquim.com.br), especializado em quadrinhos e cinema, provou que temos gente boa nesse assunto. Ele é o autor de Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos publicado em 2011 pela editora Generale.

Na trama, quatro anos se passaram após milhões de pessoas em todo o mundo virarem uma espécie de zumbi de uma hora para outra e começarem a atacar as pessoas que não foram infectadas. Restaram pouco sobreviventes.

O foco central do enredo gira em torno de uma comunidade que conseguiu se instalar em um lugar bem protegido, onde os zumbis não conseguem entrar, mas as pessoas dessa comunidade são obrigadas a sair em busca de alimentos e suprimentos enfrentando o perigo. Nestas explorações, às vezes, elas encontram alguns sobreviventes que recolhem no abrigo.

É dessa maneira que a comunidade acaba recebendo um novo morador, chamado Dujas, encontrado nas ruas, porém Manes, líder do abrigo, não tem um bom pressentimento ao conhecê-lo e ao mesmo tempo um dos grupos que estava fora entra em contado através de rádio transmissor e avisa que estão em perigo. Manes decide sair da comunidade mesmo ela estando cercada por zumbis e salvar seus amigos. Sem o líder por perto, Dujas começa a mostrar a sua verdadeira personalidade e descobre que nem todos os moradores estão contentes com o comando de Manes. Ele resolve, então, liderar uma rebelião que irá colocar em risco a vida de todos os moradores do local.

06 – Celular (Stephen King)

E você ainda achava que eu havia esquecido do meu autor preferido? Mas nunca! Apresento-lhes: Stephen King (rs). O livro Celular ganhou uma adaptação para os cinemas nada elogiosa, sendo muito criticado apesar de contar com dois protagonistas do primeiro time de Hollywood: Samuel L. Jackson e John Cusack.  Ao contrário do filme, o livro de King foi muito elogiado.

O autor conta a história de pessoas que se tornam zumbis depois de terem escutado alguma mensagem pelos seus telefones celulares. Os únicos que conseguem se salvar são aqueles que não tem smartphones ou perceberam o que estava acontecendo e destruíram os seus celulares. Premissa bem interessante, não acham? Só poderia ter saído da cabeça do grande King.

Cartaz do filme com Samuel L. Jackson e John Cusack
Na trama, um dos personagens estava longe de seu filho e de sua ex esposa em outra cidade a trabalho quando tudo acontece. Ele então tentar entender o que está acontecendo para ter chances de sobreviver e encontrar seu filho.

Em Celular, King leva o medo da tecnologia e do terrorismo digital às últimas consequências.

07 – Branca dos Mortos e os Sete Zumbis (Abu Fobiya)

Abu Bobiya é o pseudônimo utilizado pelo escritor, cronista, criador de desenhos animados e roteirista de histórias em quadrinhos brasileiro, Fábio Yabu para escrever Branca dos Mortos e os Sete Zumbis.

O livro tem 12 histórias curtas onde o autor transforma simples contos de fadas em contos de terror. Várias histórias possuem ligações entre si.

“Branca dos Mortos e os Sete Zumbis” - conto que dá nome ao livro - é um dos mais longos. Fobiya nos conta a história de uma rainha muito bonita que sonha em ter filhos, mas se vê incapaz de gerá-los. Em sua busca incansável, ela faz um acordo com a bruxa da floresta para que seja capaz de ter um bebê (Branca). Porém, a bruxa tem planos terríveis para a família da rainha, começando pela própria, mas os maiores perigos se escondem na floresta. Risos, espirros e sussurros causam medo na própria bruxa, e todos aqueles que adentram o lugar nunca mais voltam.

Quando Branca já é adulta e precisa fugir do Caçador, é lá que ela se refugia. E é lá que ela vai se deparar com criaturas terríveis. Zumbis? Adivinhe.

08 – Apocalipse Z – O Princípio do Fim (Manel Loureiro Doval)

Cara, os comentários sobre esse livro (o primeiro de uma trilogia sobre zumbis iniciada em 2010 pelo escritor espanhol Manel Loureiro Doval) na Internet são os mais positivos possíveis. Dá a entender que se trata de um dos melhores livros – para não dizer o melhor – relacionado ao gênero pós-apocalíptico envolvendo mortos vivos.

Juro que fiquei com uma vontade enorme de adquirir a trilogia numa tacada só. Apenas não tomei essa atitude porque o segundo livro da saga, “Os Dias Escuros” já está entrando para o rol de obras raras. O preço mais em conta que vi num sebo está na casa dos R$ 80,00 para um exemplar bem manuseado. Sei não... acho que vou acabar comprando.

A trilogia hiper-elogiada de Manel Loureiro foi criada a partir de postagens em seu blog e se tornou uma das mais celebradas publicações sobre um possível fim do mundo trazido por zumbis. O título inova por sua narrativa cheia de suspense, contada em formato de diário virtual.

Em Apocalipse Z – O Princípio do Fim, primeiro livro da trilogia, o autor narra a saga de um jovem advogado que leva uma vida tranquila e rotineira numa pequena cidade espanhola. Um dia, porém, começa a ouvir notícias sobre um incidente médico ocorrido em um país remoto do Cáucaso. Apesar de aparentemente corriqueiras, as notícias chamam tanto sua atenção que ele resolve registrar suas impressões em um blog. Aos poucos, o que eram apenas acontecimentos incomuns ocorridos em um país distante começam a se espalhar por toda a Europa. Em menos tempo do que poderia supor, o terror se instala. Ruas, bairros e cidades inteiras são tomados por criaturas com um comportamento assustador. Sem nunca ter visto nada parecido e completamente vidrado pela notícia, ele mal se dá conta de que, enquanto acompanha o desenrolar dos fatos de sua casa, a cidade onde mora também está sendo invadida por aquelas bizarras criaturas. Isolado, apenas com seu gato e um vizinho, só lhe resta criar uma estratégia de fuga até conseguir encontrar outros sobreviventes. Entretanto, ao conseguir refúgio, ele logo descobrirá que a guerra está apenas começando.

09 – O Cemitério (Stephen King)

Olha ele novamente aí: o meu autor preferido! O Cemitério é, na minha opinião, um dos melhores livros de Stephen King. Na trama, Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar em Ludlow, uma pequena cidade do Maine, onde se muda com sua esposa, Rachel, e seus dois jovens filhos, Ellie e Gage. 

A boa casa, o trabalho na universidade, a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha.

Num dos primeiros passeios familiares para explorar a região, conhecem um "simitério" no bosque próximo a sua casa. Ali, gerações e gerações de crianças enterraram seus animais de estimação.

Para além dos pequenos túmulos, onde letras infantis registram seu primeiro contato com a morte, há, no entanto, um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras e onde forças estranhas são capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível.

Este local estranho e maligno passa a ter grande influência na família Creed. O misterioso “simitério” tem o poder de trazer pessoas mortas novamente à vida, mas elas voltam como zumbis. Taí, eis o drama que a família Creed passa a enfrentar após um acontecimento inesperado em sua vida. O livro foi adaptado duas vezes para o cinema: 1989 e 2019.

10 – The Walking Dead – A Ascenção do Governador (Robert Kirkman e Jay Bonansinga)

Se você é um grande fã do seriado de TV “The Walking Dead”, a leitura desse livro é obrigatória para você conhecer como surgiu um dos maiores vilões dos seriados de televisão, de um modo geral.

No universo de The Walking Dead não existe vilão maior do que o Governador, o déspota que comanda a cidade de Woodbury. Ele é o personagem mais controvertido em um mundo dominado por mortos-vivos. Neste romance os fãs descobrirão como ele se tornou esse homem e qual a origem de suas atitudes extremas. Para isso, é preciso conhecer a história de Phillip Blake, sua filha Penny e seu irmão Brian que, com outros dois amigos, irão cruzar cidades desoladas pelo apocalipse zumbi em busca da salvação.

Uma ótima pedida para os leitores que procuram um enredo tenso e repleto de ação.

Valeu galera! Prontos para ingressarem no mundo pós apocalíptico dos zumbis? Espero que tenham apreciado a lista.

 

Nenhum comentário