Cinco livros de terror assustadores que viraram filmes ainda mais assustadores

6 comentários

Existem livros de terror perturbadores e que por sua vez deram origem a filmes mais perturbadores ainda. “O Exorcista” de William Perter Blatty foi um deles, talvez o mais assustador de todos. Quando o filme - baseado no livro - foi lançado nos cinemas, eu tinha 13 anos de idade e, mesmo assim, até hoje, me lembro do verdadeiro frenesi que a produção de William Friedkin causou na cidade onde morava.
Na época fiquei sabendo de pessoas que passaram mal na sala de exibição e outras que não aguentaram o ‘tranco’ e abandonaram o filme no meio da projeção. Apesar de já ter passado mais de 45 anos, ainda me lembro do caso de um cara metido a valentão que ficava tirando o sarro das pessoas que ‘tremeram na base’ após ter visto o filme. Isto é... até o dia em que o ‘destemido rapazola’ resolveu assistir a produção de terror para provar que tudo não passava de uma grande piada.  Sabe o que aconteceu? O fdp tirador de sarro acabou vomitando na cadeira do cinema numa das cenas do filme. A partir daí, ele ficou na dele e nunca mais tirou o sarro em ninguém.
Por causa dessas lembranças, só fui conferir “O Exorcista” algum tempo depois, acho que após uns três anos de seu lançamento, quando eu já estava no auge da minha adolescência. Putz, que saudades dos meus 15 ou 16 anos! Bem, quanto ao livro, só fui lê-lo, recentemente, porque, podem acreditar meus amigos, eu tinha um baita medo de pegar aquele calhamaço de páginas para lê-lo.
No post de hoje, vou falar escrever sobre isso, ou seja, livros assustadores que renderam adaptações cinematográficas perturbadoras. Fiz uma lista de cinco obras e filmes de terror que li e assisti e me impressionaram muito. Vamos a elas:
01 – O Exorcista (William Peter Baltty)
Não poderia deixar de abrir essa lista sem mencionar o livro que citei na introdução desse post. “O Exorcista” de William Peter Blatty pode ser considerado a pedra filosofal do gênero. O livro e o filme de terror mais assustadores de todos os tempos.
Como já disse acima, demorei para comprar o livro e também demorei para decidir a lê-lo. Ainda me lembro que nos meus dias de estudante secundarista, quando era um verdadeiro rato de bibliotecas, cheguei a sacar o livro (uma edição de bolso em folha de papel jornal) da estante, mas ao encarar as primeiras páginas acabei desistindo. Não que o livro fosse ruim. Longe disso, a criação de Blatty é uma verdadeira obra prima; o problema era comigo mesmo.
Eu considerava “O Exorcista”, o monte Everest dos livros de terror e para lê-lo tinha que estar com os meus nervos preparados. Não queria passar um ‘cagaço’ como passei em minha pré-adolescência ao ter visto o filme. Fiquei sem dormir várias noites pensando na personagem da Linda Blair, possuída pelo demo, virando o pescoço para trás num ângulo de 360 graus ou então descendo a escada de seu quarto, imitando uma aranha. Brrrrrrr!!!!
Livro e filme são chocantes.
02 – A Casa Infernal (Richard Matheson)
Apesar do livro “A Casa Infernal” ser muito mais denso do que o filme “A Casa da Noite Eterna”; a produção das telonas dirigida por John Hough, em 1973, não nega fogo e foi lançada nos cinemas um ano após “O Exorcista”, aproveitando aquela onda de histeria popular que ainda continuava ativa por causa do filme de William Friedkin.
O personagem do livro chamado Emeric Belasco é assustador. Só mesmo lendo para compreender. “A Casa Infernal”, foi escrito em 1971 e é lição obrigatória para os fãs do gênero. O clima criado pelo autor é angustiante e quando comecei a ler não conseguia parar. Simplesmente, devorei o enredo, apesar do medo. Quanto ao filme, mesmo não se equiparando a obra escrita, também tem os seus méritos e mete medo, além de provocar muitos sustos nos cinéfilos
Matheson conta a história de um excêntrico milionário que contrata uma equipe de parapsicólogos e médiuns para investigar a “Mansão Belasco”, considerada o ‘Monte Everest’ das casas assombradas. O grupo é formado pelo Dr. Barett; sua esposa, Ann; a jovem médium Florence Tanner e o paranormal Ben Fischer, único sobrevivente de uma tentativa frustrada de investigação da casa ocorrida 20 anos antes e que resultou em uma tragédia sem limites.
03 – Horror em Amityville (Jay Anson)
Livro e filme são impactantes. A obra de Jay Anson teve várias refilmagens e sequencias, o que acabou virando uma franquia. E diga-se, os últimos filmes são muito ruins, verdadeiras bagaceiras, ao contrário do original que passou nos cinemas em 1979 - que no Brasil ganhou o título de “A Cidade do Horror” – e a refilmagem “Horror em Amityville” de 2005. Estes dois  filmes são tão assustadores quanto o livro.
Anson conta a história, segundo ele, real da Família Lutz que em 1975 muda-se para a casa de seus sonhos - um ano após ela ter sido cenário de uma terrível chacina, onde um rapaz chamado Butch, na ocasião com apenas 23 anos, empunhando um rifle esportivo, executou seu pai, sua mãe e seus quatro irmãos, dois meninos e duas meninas a tiros enquanto dormiam. 
Ao se mudarem para o imóvel, a família Lutz descobre que dividem a casa com uma entidade misteriosa e perigosa que se alimenta do medo das pessoas. É como se a casa tivesse ganhado vida própria e se transformado num ser maligno.
Tremi na base lendo Horror em Amityville e também assistindo ao filme de 1979.
04 – A Maldição (Stephen King)
A Maldição” de Stephen King me incomodou demais. Achei o livro muito perturbador. O filme, idem. Aquele final não sai da minha cabeça. Quando você pensa que terminou o drama daquele homem que vem emagrecendo a cada dia após ter sido vítima de uma maldição cigana.. Pimba! Chega o final fodasticamente fodástico e Brrrrrrrrrr!!!
Um dos livros de terror psicológico mais tensos que já li. O filme, também.
O livro foi lançado pela primeira vez no Brasil em 1989, pela editora Francisco Alves, com o título de “A Maldição do Cigano”. Vinte e três anos depois, a Suma relançaria obra apenas como “A Maldição”. Já o filme, também chamado “A Maldição” passou nos cinemas tupiniquins em 1996, mas eu acabei assistindo somente em VHS.
 A Maldição” conta a história de Bill Halleck, um bem sucedido advogado que vive feliz ao lado da esposa Heidi e da filha adolescente, desfrutando os prazeres de uma vida sem grandes preocupações. Até o dia em que uma velha cigana atravessa o seu caminho. Ele não consegue pisar no freio de seu carro a tempo e com isso, as rodas acabam esmagando a senhora. A partir daí, a sua vida começa a ser destruída.
Não foi a implacável justiça americana que pôs fim a seus dias felizes. Na verdade, o júri foi muito compreensivo com o bom amigo, e ele não precisou pagar com sua liberdade pela vida da cigana morta. Mas, na saída do tribunal, Halleck dá de cara com um velho cigano com a parte do rosto carcomido e os olhos profundos. O advogado ouve dos lábios do cigano uma única frase: “Mais magro”. Pronto! Tá lançada a terrível maldição!
A partir desse dia, Halleck mergulha num pesadelo. Seus 111 quilos começam a diminuir vertiginosamente até as suas costelas começarem a aparecer. Assustador e agonizante, também.
05 – O Bebê de Rosemary (Ira Levin)
O terror psicológico criado por Ira Levin em seu livro O Bebê de Rosemary é de arrepiar os cabelos. Mais um livro que causa aflição no leitor deixando-o angustiado. A obra vendeu horrores na época de seu lançamento em 1967. Muito elogiado, não haveria outro caminho a seguir, senão a sua adaptação cinematográfica.
No enredo de Levin, os recém-casados Rosematy e Guy Woodhouse alugam um apartamento em um antigo prédio de Nova Iorque e organizam suas vidas com a pequena ajuda dos vizinhos Minnie e Roman Castevet. Guy é ator e luta por um papel de destaque, enquanto Rosemary decora com ar mais alegre o apartamento onde anteriormente foi cometido um crime. Guy consegue um papel graças a um acidente com o ator titular e, logo depois, Rosemary tem um pesadelo no qual é possuída pelo demônio. Passado algum tempo, Rosemary descobre que está grávida e é tratada por Minnie e o médico dela, Dr. Sapirstein com vitaminas especiais. Fatos estranhos levam Rosemary a desconfiar que todas estas pessoas estão envolvidas com magia negra, começando a suspeitar que o marido, um ator que, literalmente, venderia a alma ao diabo para conquistar o sucesso, mantém ligações perigosas com vizinhos praticantes de bruxaria, que desejam possuir o filho dela que vai nascer.
O final do livro e do filme, afffff!! Me arrepiei todo para não dizer que me borrei por completo.
Taí galera! Espero que tenham apreciado a nossa lista.
Inté!

6 comentários

  1. Livro muito bom recomendo: https://youtu.be/kzeC9Q66X5U

    ResponderExcluir
  2. Acho que te entendo quando você fala de “O Exorcista”. Isso porque o filme também me, como vou dizer......incomodava. Hoje em dia, numa boa, até vi um bom pedaço semanas atrás quando passou num canal. Mas na época.....
    O livro nunca li e até hoje não me despertou aquele interesse em ler, mas claro, deve ser muito bom.
    O livro que tem despertado meu interesse e gostaria muito de ler ( vi um dos filmes baseado nele ainda criança e amei) é “ A Casa Infernal”. Tinha de ser um interesse difícil né, he, he. O livro nem em sebo, e numa raro achado, custa uma fortuna.
    E aí te pergunto: Você sabe se tem alguma editora com projeto para uma nova publicação desse livro? Tipo a Darkside seria ótimo.

    Até....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Ia me esquecendo. Desconheço qualquer plano de editoras para relançamento desse livro.

      Excluir
  3. Olá Atas!
    "A Casa Infernal" é um livraço; pena você não ter conseguido. De fato, os valores nos sebos variam de R$ 250 a 300,00. 'Fuçando' na Net, encontrei o preço mais em conta (se assim, posso dizer - rs) na Amazon: R$ 108,90. Se vc estiver inspirado para adquiri-lo deve se apressar porque até hoje a noite só tinham dois exemplares disponíveis.
    Grande abraço amigo!

    ResponderExcluir
  4. Eu vi, já tinha dado minhas fuçadas na net. Faz um tempinho já que tinha visto esse exemplar de 108,00. Mas infelizmente a gente tem que olhar nosso orçamento né. E eu tenho uma regrinha com livros, o meu limite para um exemplar é 50,00 reais. Se eu tiver querendo muito, mas muito mesmo, ou for um box até pode chegar a uns 70,00 reais o limite. Disso não passo. Geralmente adquiro alguns livros em cada pedido, chegando tipo em 200,00 reais. E é isso. Maníacos (he,he) por livros tem de se controlar um pouco. No caso de usados então o máximo por um livro é 30,00 reais, não costumo adquirir exemplares mais caros que isso.
    Quando estou de olho num mais caro tenho paciência e espero, fico de olho, e na hora da oferta, ou naquela baixada de preço, pimba, compro. Minha técnica tem dado certo e tenho adquirido muita coisa por preços bons. As vezes, é raro, falha e tal livro nunca baixa ou (snif) esgota.
    Mas falando do, A Casa Infernal, pelo que vi o livro foi lançado em 2010, isto é, esgotou num período inferior a dez anos. Eu achei que essa edição tinha sido publicada a bem mais tempo. Então naminhainocênciadecomofuncionaacabeçadoseditores ( ou nem tão inocência), acredito que foi bem vendido e portanto já deveriam ter lançado uma nova tiragem. Ou outra editora adquirir os direitos, fazer uma edição caprichada, e lançar, e lucrar. Nunca tive um exemplar em mãos, a capa é bonita, mas a edição parece ser bem simples, no formato, brochura, essas coisas. Nada contra, pra mim livro pode ser até em papel jornal, mas esse bem que merecia uma edição caprichada.
    E olha que nesta semana até mandei uma sugestão para certa editora adquirir os direitos e publicar.

    ResponderExcluir
  5. Esqueci do abraço amigão
    Boa semana!

    ResponderExcluir