“VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue”, novo livro de Cesar Bravo, recebe muitos elogios dos leitores nas redes sociais


Não tenho o hábito e também não gosto de opinar sobre livros que ainda não li, baseando-me apenas nas opiniões de outros leitores. Sou assim, meio que São Tomé, ou seja, ver para crer. Mas acontece, que os comentários nas redes sociais sobre VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue são tantos que hoje, apenas hoje, resolvi quebrar essa regra e escrever alguma ‘cosita’ sobre o novo livro de César Bravo. Mas não foi apenas a enxurrada de comentários positivos que me levou fazer essa postagem, antes mesmo de ler a obra. Conheço Bravo desde 2013 quando, naquela época ainda nos primórdios do “Livros e Opinião”, ele me enviou o pdf de Calafrios da Noite para que eu lesse e depois publicasse uma resenha. Comecei a ter consideração pelo cara a partir do momento que ele me pediu para ser sincero em meus comentários. Se, por acaso, eu não gostasse da história deveria dizer isso com todas as letras e sem rodeios. “Faça isso, estou pedindo”, disse ele. Ainda me lembro que lhe respondi que nem precisava me pedir isso, pois se eu, realmente, não achasse o livro razoável, escreveria a verdade n o blog. Aproveitei também para explicar que não gostava dos chamados “livros virtuais”; para mim, sentir a textura e o cheiro de uma história era muito importante. É importante destacar que naquela época, o autor só lançava ebooks através da Amazon; mas tudo bem, lá fui eu, meio a contragosto, ligar o meu notebook para ler “Calafrios da Noite”.
Fui lendo, lendo, lendo e PQP!! Que história!!! De repente me vi envolvido com o enredo criado por Bravo. Resultado: adorei o texto, chegando ao ponto de esquecer que estava fazendo algo que eu odiava, naquela época: ler ebooks. Pois é, depois vieram outros PDF que também devorei, e depois disso, passei a torcer para que o cara conseguisse publicar um livro físico nem que fosse através de uma editora mediana; tudo bem, poderia ser até uma pequena editora, mas pelo seu talento, eu acreditava que ele merecia isso: um livro de “carne e osso”.
Cesar Bravo
Foram vários anos de luta, enquanto os seus ebooks arrebentavam em vendas na Amazon; até que de repente, Pimba!!!! Nem média, nem pequena, mas uma grande editora, aliás, uma das maiores do Brasil acabaria aterrissando na vida de Bravo. Estou me referindo a Darkside que acabou reconhecendo o seu talento. Quando soube da novidade, comemorei muito, pois o sujeito merecia muito aquilo, afinal, ele já vinha correndo atrás desse sonho há muito tempo.
Por toda a sua luta para ser reconhecido como um dos nomes do gênero terror mais respeitados no Brasil – como, de fato, é hoje – resolvi fazer um post de VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue, sem lê-lo antes.
Os comentários nas redes sociais e blogs literários são os mais favoráveis possíveis. Difícil ver uma crítica negativa, prova de que a galera que leu Ultra Carnem (2016) também curtiu muito VHS. Na opinião da galera, os contos, dessa vez, são mais sombrios do que o seu livro de estreia, provocando uma dose maior de calafrios, principalmente Chuva Forte e Branco como Algodão que, segundo aqueles que leram, arranham os nervos.
Em seu novo livro, segundo sinopse da editora, o autor paulista guia os leitores até os cantos mais sombrios de suas mentes. O palco, onde tudo acontece, é a cidadezinha de Três Rios, localizada no noroeste paulista — um ponto de encontro de todas as coisas estranhas que rolam nas redondezas. O inferno corre por essas águas e lança suas sementes naquela cidade.
A prova de que Bravo se tornou um dos escritores de terror mais respeitados no Brasil é que a Darkside não economizou no visual de seu segundo livro físico. Pelo o que eu pude ver na Net, VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue chegou na livrarias com um  projeto gráfico ousado, incluindo ilustrações incríveis.
Taí, agora só resta ler a obra. Estou tentando controlar a expectativa até o momento de comprar o livro.
Inté!

2 comentários

  1. Jammmm, meu velho amigo de guerra. Me emocionei lendo sua postagem. Poxa vida, você não faz ideia de como me sinto contente se ter você por perto. Mais uma vez, só posso agradecer pela atenção (e torcida) ao meu trabalho e à literatura de uma maneira geral. Sinto que esse livro logo estará em suas mãos :)

    Abração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem diria que em tão pouco tempo, você iria se transformar num dos grandes nomes da literatura de terror, com um grande numero de fãs.
      Parabéns!!

      Excluir