A Cinco Passos de Você


No mês passado quando fui à biblioteca municipal fazer uma reportagem, aproveitei para dar uma ‘zapeada’ nos livros tão aconchegantemente acomodados nas diversas estantes. Ah! Sabiam que a biblioteca da minha cidade está no céu? Não no céu de Jesus, mas no céu dos homens. Estas três letrinhas são as iniciais de Centro de Educação Unificada que abriga a biblioteca do município. Sabem que é até engraçado, porque já virou hábito o pessoal da city dizer que vai no CÉU pegar um livro e não no CEU (sem o acento grave). Até mesmo muitas autoridades municipais e regionais agem dessa maneira quando concedem entrevistas. Eu, mesmo, quando fui até lá tasquei: - Hoje tenho uma entrevista agendada no Céu – um dos meus colegas de trabalho que leva tudo na brincadeira, perguntou se eu iria entrevistar São Pedro ou Jesus.
Putz, eu e as minhas divagações, novamente. Para com isso Jam!! Bem, voltando ao assunto e recuperando o fio da meada. Enquanto olhava as estantes vi na seção de livros novos, o lançamento “A Cinco Passos de Você”. Então, lembrei que já havia lido alguma coisa sobre a obra, inclusive que seria adaptada para o cinema. Pois é, resumindo, a curiosidade falou mais alto e acabei emprestando o livro.
Li as 288 páginas muito rápido. Acho que em 3 dias ou menos. Quem leu e gostou de “A Culpa é das Estrelas” e “Como eu era antes de você”, decerto irá adorar “A Cinco Passos de Você”. No meu caso, não gostei do livro de John Green, mas apreciei a obra de Jojo Moyes. Quanto ao enredo de Raquel Lippincot achei razoável: anos luz distante de “Marina”, de Carlos Ruiz Zafon, por exemplo, mas melhor do que “A Culpa é das estrelas” e no mesmo nível de “Como eu era antes de você.
Por ser uma história simples, acaba se tornando fluida e com isso, rápido de ler. O livro segue aquela temática tão comum na maioria dos romances de amores impossíveis, ou seja, duas pessoas que se amam, mas não podem ficar juntas por que uma delas está com a sua vida condenada, quase sempre por causa de uma doença incurável. Foi assim com “Love Story”, foi assim com “Escrito nas Estrelas” e foi assim com “A Cinco Passos de Você, mas com uma diferença, nesse último caso, não apenas um, mas os dois estão com as suas vidas abreviadas.
Neste amor impossível, os adolescentes Stella Grant e Will Newman são portadores da doença fribose cística e acabam se conhecendo no hospital. Começa aí a convivência do casal e uma convivência cheia de amor e principalmente conflitos, já que os dois são muito diferentes um do outro, tendo perspectivas de vida pra lá de antagônicas.
Stella é uma adolescente típica, mas com uma rotina de vida bem rigorosa tomando inúmeros remédios para controlar a sua doença crônica que impede que seus pulmões funcionem como deveriam. Suas prioridades são manter seus pais felizes e conseguir um transplante. Mas para ganhar pulmões novos, Stella precisa seguir seu tratamento à risca e eliminar qualquer chance de infecção, o que significa que ela não pode ficar menos que dois metros de distância – ou seis passos – de outros pacientes com a doença. 
Já deu para entender o que vai rolar desse ponto para frente, não é? Ela vai conhecer um cara, o tal Will Newman que tem a mesma doença e se apaixonar por ele, correndo o risco de colocar o seu tratamento em cheque.
E para complicar, Will é muito diferente de sua cara metade, já que o único controle que Will Newman deseja é o de sua própria vida, não dando a mínima para o novo tratamento experimental para o qual foi selecionado, além de aguentar, numa boa, a pressão de sua mãe para que melhore.
A revolta do rapaz é tanta que prestes a completar dezoito anos, ele mal pode esperar para finalmente se livrar das máquinas e hospitais, usando o pouco de vida que ainda lhe resta para conhecer o mundo.
Bem, brecou! Contar mais do que isso seria castigar o post com spoillers.
Galera, é isso aí, a história de amor de Will e Stella acontece dentro desse contexto. Não vou negar que a trama emociona em alguns momentos, algo que não senti lendo “A Culpa é das Estrelas” e também, muito pouco, lendo “Como eu era antes de você”. Em “A Cinco Passos de Você”, a autora explora o conflito mãe-filha e Will-Stella de uma maneira que mexe com o leitor. Como pano de fundo passamos a conhecer um pouco mais a dura rotina de vida das pessoas que sofrem de fibrose cística. Mas a grande sacada de Lippincot é ‘atiçar’ a curiosidade do leitor em saber se Stella irá abandonar tudo e seguir Will ou se Will contrariará os seus princípios e passará a conviver com Stella seguindo os seus conceitos de vida.
Posso garantir que o final da obra chega a surpreender, pelo menos um pouco.
Inté galera!

2 comentários

  1. Jam, sem querer menosprezar suas resenhas, muito pelo contrário lógico, mas preciso dizer que tuas divagações é que dão um tempero especial ao teu blog. Portanto continue divagando, a gente adora!
    Abraço!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahah!!! Quem bom... que bom Atas
      Gosto, às vezes, de contar alguns fatos curiosos que acontecem em minha vida, mesmo a temática do blog não tendo essa proposta.
      Grde abraço!

      Excluir