O aniversário de um devorador de livros

4 comentários

 

Hoje, 16 de dezembro,  vou dar um tempo nas resenhas e listas literárias para comemorar mais um ano de vida; comemorar ao lado de vocês que  acompanham o meu trabalho neste espaço há muito tempo. E por esse motivo, posso afirmar que já fazem parte da minha vida, mesmo não podendo olhar em seus olhos e bater um papo legal. Não importa, na minha concepção, a partir do momento que uma pessoa começa a seguir um blog e acompanhar todas as informações postadas nele, ela já passa a fazer parte da vida do blogueiro. No meu caso, as minhas postagens – mesmo “falando” sobre livros - nada mais são do que trechos e fragmentos do meu dia a dia. Com certeza, muitos
de vocês já passaram a conhecer as minhas manias, os meus defeitos, as minhas qualidades e até mesmo alguns dos meus segredos. Viu só, como vocês já fazem parte da vida do menino aqui?

E hoje, eu quero dividir com essa galera, um momento muito feliz que estou vivendo neste dia 16 de dezembro quando completo mais um aniversário.

Pois é, vi mais 365 dias nascerem e caírem por mais 365 noites. Em cada um desses dias, eu vivi diferentes experiências.

Muitos dias foram fáceis, leves e felizes, já outros foram pesados, complicados e até tristes, principalmente durante esse ano de pandemia quando vi amigos irem embora para sempre por causa da Covid-19, ainda na fase pré-vacinas. Aliás, retratei esse momento melancólico que vivi numa postagem que escrevi em março desse ano onde relembro dos meus amigos leitores que foram levados pela Covid. (veja aqui).

Apesar desse último ano não ter sido perfeito, e em alguns momentos ter sentido frustração e até infelicidade, houve sempre algo pelo que agradecer.

O que não me fez feliz, me fez crescer, e é esse crescimento que me ajuda a buscar e reconhecer a felicidade na minha vida.

Sei também que o último ano não foi fácil. Tivemos que nos reinventar e encontrar novas formas de comemorar as datas especiais. Mas apesar de todos nós termos tido um ano com momentos difíceis acompanhado de um vírus maldito – que Graças a Deus começou a ser vencido, apesar do surgimento de novas variantes – não posso deixar que essas circunstâncias me impeçam de celebrar a minha vida, e que eu possa enxergar as coisas boas que aconteceram comigo nesse ano. Tenho que entender e aceitar que o nosso verbo “aglomerar” não pode mais ser conjugado, pelo menos por enquanto.

Sim, é possível fazermos deste, um momento menos doloroso. O afastamento exigido não precisa necessariamente nos conduzir à solidão. Nossos melhores sentimentos seguem à disposição de quem amamos, de quem somos saudosos, de quem guarda em nós alguma importância. O beijo, o abraço e um aperto de mão são a materialização dos nossos sentimentos. Estes últimos são imateriais. Os sentimentos que nos compõem seguem vivos e prontos a serem servidos, e assim deve ser.

Mas quer saber de uma coisa? Chega de ficar filosofando. Hoje, eu quero mesmo é agradecer e porque não, curtir a Graça de ter mais um dia de vida pela frente, o qual espero render muitos anos. Mas isso quem vai decidir é o nosso bom Deus.

Quero agradecer aos meus familiares que estão sempre do meu lado. Meus irmãos: Orlando e Carlos, pessoas maravilhosas; à Lulu (esse grande suporte em minha vida), ao Danilo (Vamos que vamos Danilão!!), as minhas cunhadas, sobrinhas, sobrinhos, aos meus pais que, hoje, são os meus intercessores lá em cima; obrigado ainda a minha grande intercessora Maria (Sabiam que fui batizado em Aparecida do Norte e consagrado, ainda bebê, a Nossa Senhora, Uhauuuu!! Que felicidade!) enfim agradeço a todos que estiveram ao meu lado em mais um ano de vida.

E, claro, agradeço também a todos vocês que acompanham o “Livros e Opinião”.

Valeu!!

4 comentários

  1. José Antônio, muitas felicidades para você. Eu também faço aniversário no dia 16 de dezembro, comemorei assistindo a uma apresentação, pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, da 9ª Sinfonia de Beethoven, que também nasceu num dia 16 de dezembro. Eu não sou brilhante como você e o querido Ludwig, mas fico feliz de compartilhar isso.
    Mudando de assunto: muito bom o seu comentário sobre "O Senhor da Guerra". Uma série maravilhosa, que foi fechada com chave de ouro. Bernard Cornwell, além de um escritor incomparável, tem respeito pelos seus leitores, ao contrário do George Martin, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por lembrar! Agradeço, de verdade! E, com certeza, você é muito brilhante e capaz no que faz. Quanto as "Crônicas Saxônicas", puxa vida! Ela é incomparável; absolutamente perfeita.
      Abraços!

      Excluir
  2. Que coisa boa!!! Aniversário é só alegria! E fim de ano é uma época muito gostosa!
    Espero que seu dia tenha sido muito bom e nós (leitores) que agradecemos pela disposição em sempre nos manter abastecidos de resenhas.
    Que Deus te abençoe e te guarde, que venham muitos anos de alegria e paz.
    Feliz aniversário!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela lembrança! Agradeço, mesmo. Sim! Vamos continuar resenhando e publicando listas por aqui. E que Deus abençoe e guarde a todos nós.
      Abraços!

      Excluir