Blogueiros solitários: Os Jedi da blogosfera literária que nos dão a inspiração que precisamos

2 comentários

Esta semana, a minha carga de trabalho esteve bem puxada. Foi complicado conciliar trabalho-blog-leitura-tempo para o lazer. Aliás, pode esquecer esse último aí da lista. Não tive tempo de curtir um filme, fazer um churrasquinho mais intimista entre eu e Lulu, curtir um videogame. Não, nada disso. De fato, a semana foi trash. Desacelerei, até mesmo, a compra de livros porque não havia motivo para comprar mais obras se passei a ler menos nas últimas duas ou três semanas. Se estou triste por essa “correria”? Não. Nem um pouco.

Todo esse contexto serviu para que eu admirasse ainda mais os blogueiros solitários. Defino como blogueiros solitários aqueles que optam por manter, sozinhos, um blog em atividade. Sei que hoje, está ficando cada vez mais comum a segmentação de trabalho entre os blogueiros: enquanto um escreve sobre terror, outro escreve sobre drama, outro mais sobre suspense/policial, e no final todos cuidam juntos do layout. Beleza, não é mesmo?

Mas acontece que algumas pessoas na blogosfera ainda preferem manter os seus blogs particulares. Não, não. Não se tratam de pessoas convencidas ou que não aceitam trabalhar em grupo. Nem sempre é assim. Esses blogueiros querem apenas ter um cantinho só seu, onde possam fazer as suas críticas; das as suas opiniões; falar bem, mal ou mais ou menos sobre algum tema literário da atualidade; enfim, eles querem ter liberdade para expor os seus pontos de vista. E sabemos que fazer isso em grupo é complicado, requer muito jogo de cintura. Para atingir esse objetivo é necessário que você encontre outros blogueiros que sejam abertos a críticas e sugestões de seus parceiros, e sabemos que garimpar essas ‘pedras preciosas’ é difícil. Talvez, nós mesmos estejamos infinitamente longe de ser essa pedra preciosa. Neste caso, podemos encontrar pessoas que pensem democraticamente e aceitem as ideias alheias, mas aí.... Bummmm!! Lá vem a explosão de conflitos, porque nós, os donos do blog, nós mesmos, não temos a mente tão aberta quanto os nossos parceiros.


Sei lá galera, talvez não esteja sabendo explicar direito, por isso vou resumir de uma maneira bem simples: “manter um blog sozinho dá muito trabalho, mas é prazeroso; por outro lado, manter um blog coletivo dá muito menos trabalho, mas algumas vezes, deixa de ser prazeroso”. Vejam bem que eu usei o termo “algumas vezes” por isso se você encontrou as pessoas certas para lhe ajudarem – não se esquecendo que você, fundador do blog, também tem que ser essa pessoa certa – ótimo! Vão à luta!

Mas confesso que no meu caso prefiro manter o lado mais intimista do “Livros e Opinião”. Quem sabe, futuramente eu acabe mudando de ideia, mas por enquanto prefiro ir tocando o barco sozinho.

Sei que muitos blogueiros literários, principalmente os mais novos, acham essa ideia retrógada, mas eu já penso de maneira diferente. Considero essa galera solitária, muitos deles com mais tempo de blogosfera do que eu, verdadeiros desbravadores; heróis, mesmo. Foram eles que após o advento da popularização da internet, no início dos anos 2000, bem antes do “My Space”, “Orkut” e “Twitter”, usaram os blogs para contar para as outras pessoas um pouco de suas vidas. Considero esses blogueiros verdadeiros Jedi pois tudo começou com eles que inspiraram muitos jovens daquela época a abrir o seu blog. Esses Jedi da blogosfera lutaram contra outras redes sociais daqueles tempos para manter os blogs sempre vivos. Venceram os Orkuts e My Spaces da vida e não deixaram se acovardar pelo Twitter e agora, nos tempos atuais, pelo Youtube. Devemos essa sobrevivência dos blogs a esses desbravadores Jedi.

Muitos desses blogueiros do segmento literário fizeram a opção de continuar com o seu trabalho solitário, apesar das suas atividades profissionais. E mesmo com toda a correria do dia a dia ainda encontram tempo para escrever postagens maravilhosas que nos inspiram a ler ainda mais. Grande parte desses Jedi da blogosfera literária continuam alheios a parcerias com editoras, pois querem ter liberdade para criticar um livro que não gostaram, além de não ficarem atrelados a cronogramas esmagadores de leitura impostos por essas editoras que os obrigam a ler os livros doados como se fossem máquinas, diluindo assim, todo o prazer da leitura.

Admiro esses Jedi literários porque apesar de chegarem em suas casas cansados, depois de um dia estafante de serviço, ainda encontram tempo e principalmente prazer para escrever um post aos seus poucos ou muitos leitores que aguardam impacientes a publicação de um novo texto.

Entonce, me espelho muito nesses blogueiros para prosseguir com o “Livros e Opinião”.

Respeito muito os blogs coletivos, exceto aqueles que desempenham papel de lobby para editoras, mas respeito muito mais os blogueiros solitários que apesar da vida corrida ainda encontram tempo para nos informar com os seus posts que trazem contos, crônicas ou poesias que nos inspiram e nos orientam na hora de comprarmos um livro.

 

2 comentários

  1. Pensei que fosse fazer indicação de algum deles. Sobre literatura policial/terror/suspense, eu só conheço o seu. Parabéns pelo trabalho, sempre venho aqui para ler suas resenhas. Agora mesmo vou começar a ler o vírus da estrada vai para o norte. Abraços e mais uma vez parabéns pela dedicação ao blog...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Daniel! Vou continuar me dedicando sim, com certeza. Pelo o que eu entendi, parece que você aprecia o gênero terror. Vou lhe indicar, portanto, um outro blogueiro "Jedi Solitário", amigo meu que começou o seu blog praticamente no mesmo período que o meu, ou seja, há aproximadamente dez anos. É a "Biblioteca do Terror (www.bibliotecadoterror.com.br)do Rafa Michalski. Acho que você também irá gostar.
    Grande abraços e boas leituras!

    ResponderExcluir