Muito feliz com os quatro novos "bebês" que acabaram de chegar


Já fazia algum tempo que eu não saía do trivial com relação a compra de livros. A minha meta de aquisições literárias nos últimos sete ou oito meses era de dois livros, no máximo. Sabe como é falta de money, né?. Gastei muito com carro, casa e médico. E se não fosse a ajuda importante de Lulu, o barco teria ido a pique. Por isso, reduzi drasticamente as minhas compras, ficando no limite de dois livros, mas a maioria das vezes, um só.
Vinha adotando essa tática até o início da semana passada quando, finalmente, resolvi fazer uma loucura muito gostosa. Como as contas tinham dado um ‘refresco’, tomei a decisão de voltar aos velhos tempos e comprei na lata quatro obras literária que já vinha cobiçando há várias semanas.
Confesso que por causa da falta de fôlego do meu cartão que ainda se encontra na UTI fiquei temeroso, mas como sempre Lulu me deu a força que estava faltando. – Vai esperar o preço subir ou o livro se esgotar para comprar? – disse ela. Caraca, não sou sadomasoquista e nem quero ser, mas adoro essas duras da Lulu que recebo. Cara, elas te levantam o astral, ao contrário daquelas broncas ofensivas que broxam o sujeito. Às vezes, acho que ela teria que ser psicóloga. Acredito que o paciente sairia de seu consultório ‘triscando’ e com as pilhas recarregadas, depois dos conselhos do tipo: “Cara, para de se lamentar, acorda prá vida e vai à luta”.
Pois é, foi assim que esqueci o meu cartão, coloquei no carrinho de compras da Amazon: “O Homem de Giz” (C.J. Tudor), “E Não Sobrou Nenhum” (Agatha Christie), “A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert” (Joël Dicker) e “Le Monde Bizarre – O Circo dos Horrores” (M.D. Amado).
Galera, estou muito feliz com as aquisições e queria dividir essa alegria com vocês que frequentemente leem as minhas postagens. E olha que ainda ficaram de fora outras três preciosidades literárias e que, certamente, deverão chegar bombando no mês que vem quando fechar a fatura do meu Visa. Infelizmente o meu cartão pediu piedade na UTI quando arrisquei incluir no carrinho: “Por Trás de Seus Olhos” (Sarah Pinborough), “Não Conte a Ninguém” (Harlan Coben) e “Ed e Lorraine Warren” – Lugar Sombrio” (Ray Garton).
Bem, voltando a falar escrever sobre os meus quatro bebês, pretendo ler primeiramente “O Homem de Giz”. Cara, a minha expectativa com relação a história de C.J. Tudor está no ‘limite máximo’, afinal de contas ninguém mais do que Stephen King elogiou a história da escritora britânica. Além disso, é impossível não traçar paralelos entre o enredo de Tudor e o conto “O Corpo”, do próprio King que inspirou o filme “Conta Comigo”, de 1986; aliás um ‘contaço’ e um ‘filmaço’. Viu só? Não dá prá deixar de ficar ansioso.
A inspiração para adquirir “E Não Sobrou Nenhum”, surgiu após ler alguns textos nas redes sociais que classificam esse livro de Agatha Christie como o melhor já escrito por ela. Mais do que isso, na opinião da maioria dos críticos literários, “E Não Sobrou Ninguém”, lançado anteriormente com o título de “O Caso dos Dez Negrinhos” é o maior best-seller de ficção policial de todos os tempos, estando em 10 entre 10 listas de melhores livros da autora. Acho que essas credenciais já bastam para comprar o livro, Concordam?
Quanto “A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert”, a explicação para a sua entrada no carrinho de compras é que eu adoro enredos com plot twits e várias reviravoltas ao longo de sua narrativa; a obra de Joel Dicker se enquadra nessa categoria. Também estou morrendo de expectativa para lê-lo.
E finalmente, “Le Monde Bizarre: O Circo dos Horrores”. Ah! Não vai me dizer que você não gosta de histórias com palhaços e circos sinistros que fogem daquele padrão tradicional do qual já estamos cansados de ver? Estes enredos despertam a curiosidade de qualquer leitor, desde que não sofram de Coulrofobia, é evidente. Taí, o motivo de ter agarrado essa obra, publicada em 2012, antes que se esgotasse.
Desde que a editora Estronho anunciou a obra fiquei interessado e agora, surgiu a oportunidade de adquiri-la. “Le Monde Bizarre: O Circo dos Horrores” como o próprio nome diz é um livro de contos sobre um circo fictício que reúne criaturas estranhas, além de palhaços mais estranhos ainda. 
Os contos são de autoria de escritores principiantes, na época, alguns nem tão principiantes assim. Cada autor elaborou uma história - no mínimo, assustadora, segundo as pessoas que leram - usando como pano de fundo o universo sombrio de um circo fictício.
E agora, mãos a obra! Torcendo para ter várias horas disponíveis durante a semana para com começar a devorar esses livros, mas antes... tenho que terminar “A Última Colônia” de John Scalzi, que fecha a trilogia “Guerra do Velho” e que por sinal está fantástico.
Inté!

8 comentários

  1. E não sobrou nenhum e A verdade sobre o caso Harry Quebert são tops!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Maurilei, as críticas que li apontam isso mesmo. Por isso, encarei a compra (rs).
      Abcs!

      Excluir
  2. "E não sobrou nenhum" é um livro muito interessante mesmo.
    Mas acho que o "Assassinato no Expresso Oriente" me marcou há muitos anos como o melhor... talvez por ter sido o primeiro livro da Agatha que li.
    Estou muito curiosa sobre "A verdade sobre o caso Harry Quebert"! Inúmeras críticas boas!
    Já esperando a resenha! E do "Homem de giz" também!
    Devore rápido, por gentileza...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Samantha!
      Que coincidência! "Assassinato no Expresso Oriente", também foi o primeiro livro que li da autora. Acho que ainda na minha adolescência. Faz tempo (rs). "Quanto "A verdade sobre o caso Harry Quebert" será a minha próxima leitura. No início, pretendia ler primeiramente "O Homem de Giz", mas depois que recebi os livros, mudei os meus planos. Estou lendo agora, "Le Monde Bizarre", na sequencia lerei "Harry Quebert", depois "O Homem de Giz" e por último "E não sobrou nenhum",
      Assim que ler essas obras, publico as resenhas.
      Grde abraço!

      Excluir
  3. Parabéns pelas aquisições, Jam! "E não sobrou nenhum" é de fato o melhor livro de Agatha Christie que li (e olha que li mais da metade da obra da autora rsrs). Tenho certeza que não irá se arrepender.
    Quanto a "O homem de giz", não desejo ser agourento, mas li o livro recentemente e, infelizmente, não foi tudo aquilo que eu esperava :(
    Mesmo assim, acho que a opinião muda de leitor para leitor.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá Tex,
    Por enquanto estou "encarando" 'Le Monde Bizarre - O Circo dos Horrores'. Estou gostando dos contos. Todos eles foram escritos por novos talentos brasileiros do gênero terror. Minha próxima leitura será 'A verdade sobre o caso Harry Quebert. Quanto a Agatha prefiro deixar para o final.
    Ah! "O Homem de Giz" considero uma grande incógnita. Alguns gostaram, outros não. Vamos ver o que acho.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Como está?
    Este teu post tá rendendo comentários hein!
    Do que conheço acredito que você tenha feito ótimas compras. De Agatha Christie li muito pouco, pretendo ler mais, e o “E Não Sobrou Nenhum” foi o primeiro dela que li. O exemplar, que ainda tenho, levava ainda o titulo “O Caso dos Dez Negrinhos” e faz tempão que li, eu tinha uns 20 anos. Gostei das versões cinematográficas baseadas nele e adoro principalmente um filme antigo “ O Caso Dos Dez Indiozinhos” de 1945. Recomendo que assista ( antes ou depois de ler o livro). E o livro, sem comentários, é maravilhoso.
    “O Homem de Giz” comprei, acho, no final do ano passado. Comecei a ler e parei. Do que li, achei que lembra “It” ( só vi o filme) e a Série “ Strangers Things”. E claro que isso não deprecia de forma nenhuma o livro e eu amo histórias nesse estilo. Por que parei então? Eu tinha assistido recentemente ao filme “It” e achei melhor partir para outro estilo naquela hora e deixar esse livro para outro momento. Está na minha estante, esperando o momento certo.
    “A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert” chamou minha atenção tempos atrás mas a grana não dá pra tudo. Deve ser bem interessante.
    Do “Le Monde Bizarre – O Circo dos Horrores” eu sinceramente não tinha ouvido falar e ao ver aqui na tua postagem com certeza despertou minha vontade de ler.

    Boas leituras, até!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Atas, estava sumido heimm amigo.
      Rapaz, vc me assustou quando disse que parou de ler "O Homem de Giz". O Tex já tinha dito acima que a obra não era o que ele esperava e, na sequencia, chegou você dizendo que tinha parado de ler. Pensei comigo: "Pronto! Joguei dinheiro fora!" Ainda bem que vc parou por um outro motivo.
      Quando a "Le Monde Bizarre" estou gostando muito dos contos. Estou ainda no início, mas por enquanto recomendo a leitura.

      Excluir