A Cor Que Caiu do Céu


Como havia lido e gostado de  “O Caso de Charles Dexter”, aproveitei e já engatei um segundo livro de H.P. Lovecraft,  torcendo para que fosse tão bom quanto a obra citada acima. A torcida deu certo. “A Cor Que Caiu do Céu” é fantástico. Você não consegue desgrudar do livro, tanto é que o li em menos de dois dias, mesmo estando com a minha vida completamente atarefada e bagunçada. O enredo engendrado  por Lovecraft é muito bom e consegue te prender como uma teia de aranha.
Sabem aqueles livros que você vai lendo, vai lendo e aos poucos se desliga de tudo ao seu redor? “A Cor Que Caiu do Céu” tem esse poder. A história já começa tensa quando um representante de uma empresa de reservatórios  chega a uma pequena e misteriosa cidade com a intenção de construir uma represa. Ao descobrir fatos ao mesmo tempo pitorescos e macabros relacionados ao local, o sujeito se assusta e vai embora ‘voando’, abandonando até mesmo a idéia da obra.
Depois disso, vem a pauleira, de fato. Um meteoro cai numa fazenda localizada nesta cidade,  trazendo algo medonho que vai mudar completamente a vida do local e também de todos os seus moradores provocando terríveis mutações em tudo o que consegue tocar.
Quando uma equipe de cientistas e policiais decide ir até a fazenda para investigar as mutações, o bicho pega. Algo misterioso que veio junto com o meteoro prende o grupo na casa com a intenção de eliminar todos da pior maneira.
“A Cor Que Caiu do Céu” foi escrito em março de 1927 e foge das características de Lovecraft, o qual sabemos ser um mestre literário, mas do gênero terror. Ocorre que esta obra é um conto de ficção científica o que prova a grande versatilidade do autor, capaz de escrever histórias que fogem totalmente de seu perfil. O que eu admiro em Lovecraft é a sua competência em conseguir provocar sustos homéricos nos leitores escrevendo outros gêneros, além do terror.
Lovecraft começou a escrever “A Cor Que Caiu do Céu” imediatamente após terminar “O Caso de Charles Dexter”. Buscando criar uma forma de vida verdadeiramente alienígena, ele se inspirou em inúmeras fontes de ficção e não-ficção. “A Cor Que Caiu do Céu” tornou-se uma das obras mais populares do escritor, e algo que poucas pessoas sabem é que essa história é considerada a sua favorita.
Os críticos geralmente tratam "A Cor Que Caiu do Céu" como uma de suas melhores obras e a primeira em que ele mistura ficção científica e horror. Vários estudiosos de Lovecraft se referem ao enredo como um de seus contos estilísticos e conceitualmente mais finos. Outros vão além e apontam “A Cor Que Caiu do Céu” como o seu conto mais assustador.
A história foi adaptada para os cinemas em 1965, 1987 e 2010.
Os críticos cinematográficos são unânimes em afirmar que o badalado filme “Aniquilação”, de 2018 - baseado no romance homônimo de Jeff VanderMeer - contém numerosas semelhanças com a história de Lovecraft.
Galera, um tremendo livraço.
Com certeza, vocês irão devorá-lo rapidamente.

Nenhum comentário