Tenho um blog literário, mas também quero ter um canal no Youtube. Cuidado: pense bem antes de tomar essa decisão


Pois é... ás vezes baixa um espírito de hiperatividade em mim e então, apesar do pouco tempo disponível para desempenhar as minhas atividades, começo a planejar outras tarefas em minha vida. Depois de alguns dias, o tal espírito de hiperatividade se cansa e me abandona indo procurar, talvez, outras vítimas mais atraentes.
Por que estou escrevendo isto? Simples. Há poucos dias tive a idéia de criar um canal literário no YouTube. Cara, confesso que na hora me entusiasmei e muito! Comecei planejar poses e falas e fiz até um vídeo experimental. Fui dormir muito feliz com este novo projeto martelando em minha mente, mas no dia seguinte ao acordar, enquanto tomava uma ducha, comecei a pensar... a pensar e... “Pera aí! Cê ta loco cara?!”, exclamei. “Como não bastasse o blog, Twitter e Instagram, você ainda quer um canal?!! Novamente, a voz da minha consciência – a ‘Dona Razão’ que sempre aparece nos meus momentos insensatez para me puxar as minhas orelhas – sapecou uma segunda bronca: “Você pensa que só tem o blog em sua vida? E quanto aos seus afazeres profissionais? Os seus momentos de lazer? Os seus filmes, que você adora assistir? O tempo para a leitura dos seus livros?”. E continuou me detonando: “Vai Tigrão, segue em frente! Vá de encontro à felicidade, quero dizer à infelicidade”.
Depois dessa bronca, percebi o tamanho da minha maluquice e por isso, resolvi escrever esse post para alertar os blogueiros que, por acaso, venham ser possuídos pelo perigoso ‘espírito da hiperatividade literária nas redes sociais’.
Pra começar, seria muita hipocrisia negar que ter um canal no Youtube é por demais sedutor, mas antes de assumir esse compromisso, o blogueiro literário deve analisar profundamente alguns detalhes. Vamos á eles.
01 – Tempo para se dedicar ao blog
Volta e meia, vejo alguns blogueiros escreverem: “Olá gente, depois de algum tempo postar, voltei. Mil perdões porque eu estava com muitos problemas para resolver, mas agora voltei pra ficar”. Beleza. Então, se passam alguns meses e o tal blogueiro novamente some, novamente, para voltar algum tempo depois com a mesma desculpa. Garanto que não existe coisa mais chata ou desagradável para os leitores que se deparam com esse tipo de mensagem. Sei lá, fica no ar aquela impressão de desleixo, falta de compromisso com os seguidores e por aí afora.
O que dá credibilidade para um blog literário, além da qualidade das postagens, é a periodicidade. Isto mesmo. Você deve criar um hábito nos seus leitores e seguidores. Eles devem ter a certeza de que irão encontrar novas postagens em sua página, duas ou três vezes por semana. Se você definir as datas – segunda, quarta e sexta ou quarta e sexta ou então terça e quinta – melhor ainda. Este compromisso do blogueiro irá fazer com que ele fidelize os seus leitores.
Agora vem aquela perguntinha básica: “Você tem disponibilidade de tempo para fazer todas as semanas, duas ou três postagens?” Vou deixar essa pergunta mais completa. Vamos lá: “Você tem disponibilidade de tempo, todas as semanas, para gravar um vídeo no Youtube e também fazer duas ou três postagens em seu blog?”
Esta pergunta nos leva há um outro questionamento. Vamos à ele.
02 – Você produz conteúdo ou simplesmente copia e cola?
Existem dois tipos de blogueiros literários: aqueles que escrevem posts e aqueles que copiam e colam. Escrever sobre uma obra literária é emitir a sua opinião, dizer o que achou do estilo do autor, citar os pontos positivos e negativos da história, evitando ao máximo os spoilers. Tenho amigos blogueiros que levam quase dois dias somente com o trabalho de pesquisa, antes de preparar um post. Como não bastasse, depois de escreverem o espelho do texto, levam mais um dia para deixar o post pronto para ser publicado. Resultado: um texto agradável de se ler.
Contrastando com esses blogueiros, existem aqueles que, simplesmente, colam em suas páginas as resenhas de livros enviadas pelas editoras. Alguns ainda tentam dar uma ‘mascarada’ nessas resenhas, escrevendo no final ou no meio da postagem: “podem ler porque eu gostei muito”.
Agora, seja sincero, o que você prefere ler: o lobby de um livro ou a opinião sincera de quem o leu?
03 - É preciso perseverança para manter sozinho um blog
Cara, manter sozinho um blog literário é uma verdadeira missão, principalmente para aqueles que exercem outras atividades profissionais ou então, trabalham e estudam. É preciso tempo para preparar um texto de qualidade que desperte o interesse do leitor. E para isso, a missão se torna mais árdua ainda.
Muitas vezes, você chega do trabalho cansado ou desanimado e mesmo assim, ainda tem que escrever um post. Para cumprir essa tarefa, nós blogueiros, somos obrigados a sacrificar a leitura daquele livro tão ‘da hora’ que estávamos devorando ou então, lutarmos com todas as nossas  forças para não ‘mergulharmos’ naquela cama sedutora que se encontra em nossa frente.
04 - Tempo para se dedicar ao seu canal no Youtube
Finalmente, chegamos ao x da questão. Após você ter lido tudo o que  escrevi acima, pense muito bem e responda: “Você tem tempo suficiente para se dedicar ao seu canal literário? No meu caso cheguei a conclusão de que teria condições de fazer os meus vídeos literários, desde que contasse com uma equipe para me auxiliar na manutenção do blog. Mas acho que a chegada de novos administradores faria com que o “Livros e Opinião” perdesse um pouco de sua identidade e, confesso, que pelo menos ainda, prefiro manter o blog sozinho.
Muitas pessoas – nas quais eu me incluía até há poucos dias – pensam que ser um youtuber literário é moleza, ou seja, basta gravar um vídeo no seu celular e depois postar no Youtube. Nada disso. Antes de postar o vídeo, o youtuber tem que roteirizá-lo, preparar um texto daquilo que irá falar. Gravar de improviso, sem ter nada preparado é um convite para a lambança.
Após ter roteirizado e gravado o vídeo, você tem que editá-lo. A inclusão de alguns efeitos e cortes na imagem, torna a postagem muito mais interessante e menos cansativa. Para fazer isto, é preciso tempo. Fiquei sabendo que existem youtubers que demoram um dia para roteirizar, mais um dia para gravar e um outro novo dia para editar.
05 – Se tiver ajuda, vá em frente
Lembram-se do que escrevi sobre ter uma equipe trabalhando com você na manutenção do seu blog? Entonce, se você já tem um blog e mesmo assim, quer ter o seu canal literário, a medida mais sensata é convidar um colaborador ou colaboradores para lhe ajudar. Divida funções: enquanto um escreve postagens no blog, o outro roteiriza e grava os vídeos no Youtube. Se tiver mais pessoas na equipe, melhor ainda, porque o seu trabalho se tornará mais profissional, já que haverá uma maior segmentação de funções – uma pessoa para roteirizar e outras para gravar, editar e escrever os posts.
O importante é que você tenha consciência de que manter, sozinho, um blog e um canal literário de qualidade é muito difícil, quase impossível. E se você tiver ainda outras redes sociais – Facebook e Twitter – as dificuldades aumentam ainda mais.
06 – Blogueiro ou Youtuber?
Tudo bem. Você decidiu que quer ter um blog ou então um canal sobre livros, sem contar com a ajuda de outros administradores. Em resumo: quer ter  algo só seu, personalizado. O primeiro passo, é descobrir as suas afinidades, ou seja, o que você gosta mais de fazer: escrever ou falar?
Há pessoas que tem o dom da escrita, mas por outro lado são tímidas ou então tem dificuldades para se expressarem. Por outro lado tem pessoas que além de serem desembaraçadas, fotografam muito bem, tendo familiaridade com as câmeras desde crianças, mas em contrapartida, não gostam muito de escrever.
O segredo está em descobrir o que você faz de melhor.
Galera, espero ter ajudado.
Até a próxima!


Nenhum comentário