“Dentes de Dragão”; um livro póstumo de Michael Crichton para ser apreciado como uma garrafa de vinho de safra especial


A galera que acompanha o blog já sabe da minha paixão pela obra de Michael Crichton. Li quase todos os seus livros e juro que viajei no enredo de todos eles. Não me peça para indicar uma história ruim que eu tenha lido. Cara, não dá pra fazer isso porque eu gostei de todas elas.
Recentemente fiquei sabendo do lançamento do terceiro livro póstumo de Crichton: “Dentes de Dragão” – os outros dois foram “Micro” e “Latitudes Piratas”. Não preciso nem dizer que eu surtei ao saber da novidade.
Sabe quando você compra aquela garrafa de vinho de uma safra rara e guarda no seu barzinho como se fosse o anel precioso do Golem, esperando o momento especial para sorvê-la? Pois é, fiz isso com o novo livro do autor lançado em maio pela editora Arqueiro. Após comprar a obra, guardei-a num lugar especial em minha estante, aguardando o tempo certo para devorá-la. Quando acontecerá  isso? Sei lá. Pode ser nas minhas férias ou numa noite de chuva bem mansinha, comigo enfiado, confortavelmente, debaixo de um edredom. Não sei, simplesmente não sei... só tenho certeza que lerei a história numa ocasião singular.
Apesar de ter sido lançado somente agora, “Dentes de Dragão foi escrito na década de 70 e pode ser considerado um dos primeiros livros de Crichton. Pelo que sei, a obra vinha sendo revisada constantemente pelo autor que por algum motivo optou por guardá-la. Os originais foram encontrados por sua mulher após a morte do escritor.
Adorei a capa. Capaça!! De fato, a editora caprichou no layout. Cheguei até a pensar que tinha baixado o espírito da Darkside nos artistas gráficos da Arqueiro. Brincadeiras a parte, o visual da obra é muito bonito.
Quanto a sinopse oficial da trama também chama a atenção; pelo menos chamou a minha. Confiram:
“Desde Jurassic Park, nunca foi tão perigoso escavar o passado.
Em 1876, no inóspito cenário do Oeste americano, os famosos paleontólogos e arquirrivais Othniel Marsh e Edwin Cope saqueiam o território à caça de fósseis de dinossauros. Ao mesmo tempo, vigiam, enganam e sabotam um ao outro numa batalha que entrará para a história como a Guerra dos Ossos.
Michael Crichton
Para vencer uma aposta, o arrogante estudante de Yale William Johnson se junta à expedição de Marsh. A viagem corre bem, até que o paranoico paleontólogo se convence de que o jovem é um espião a serviço do inimigo e o abandona numa perigosa cidade.
William, então, é forçado a se unir ao grupo de Cope e eles logo deparam com uma descoberta de proporções históricas. Mas junto com ela vêm grandes perigos, e a recém-adquirida resiliência de William será testada na luta para proteger seu esconderijo de alguns dos mais ardilosos indivíduos do Oeste.”
Um fato curioso é que “Dentes de Dragão” é baseado na rivalidade entre dois personagens reais. E mais, o enredo será transformado em minissérie pelo canal National Geographic em parceria com a Amlin Television e a Sony Pictures.
E aí? Gostaram?
Espero que sim.

Nenhum comentário