“A Queda de Gondolin” de Tolkien será lançado em 30 de agosto


Os fãs de J.R.R. Tolkien devem estar soltando um Ihauuuuuuuu de alegria enorme. Também não é para menos, já quer a Amazon garantiu para o dia 30 de agosto a chegada me terras brasileiras de “A Queda de Gondolin” que foi o último trabalho produzido por Christopher Tolkien – filho do próprio J.R.R. Tolkien. Deixe-me explicar melhor essa colocação. Vejam bem, não estou querendo dizer que o livro foi escrito por Christopher. Não,  nada disso. Na verdade, ele não escreveu, mas editou a obra do pai. Aliás, “A Queda de Gondolin” não é o primeiro livro editado pelo terceiro dos quatro filhos de Tolkien. Antes, ele já havia organizado o “Silmarillion”.
Mas o que significa editar? Se você pensa que é um trabalho fácil de fazer, olha... sinto dizer, mas o engano, certamente, bateu em sua porta. Cara, é muito complicado, muito difícil, mesmo. Para que você entenda melhor, basta dizer que Christopher recebeu – mediante testamento – após a morte do pai: 70 caixas de arquivos, cada caixa lotada com milhares de páginas inéditas que Tolkien deixou para trás. Histórias, contos, palestras, poemas de 4000 versos mais ou menos terminados, cartas e mais cartas. Tudo em uma desordem gigantesca: quase nada estava datado ou numerado, tudo apenas lotando as caixas.
Livro e poster
Capisce? Já imaginou o que é ‘tirar’ de tudo isso uma história ou um romance organizado? Pois é, esta foi a missão do filho, ainda vivo de Tolkien. Sem contar que ele já está com 93 anos!  Tanto é que os anos vividos já começaram a cobrar o seu preço e a “A Queda de Gondolin” foi o último livro de Tolkien organizado pelo seu filho. A partir de agora, essa missão passará para os outros membros da Tolkien Trust e Tolkien Estate (entidade dos descendentes de Tolkien que tem os direitos dos livros) da qual fazem parte a esposa e o filho de Christopher, o neto e a filha de Tolkien, além de outros executivos. Tomara que eles continuem editando as obras do lendário escritor com o mesmo esmero.
Falando, agora, do livro em si, a Harper Collins promete caprichar no lançamento de “A Queda de Gondolin” que será publicado em versões Capa Dura, de luxo, large print e e-book. Os leitores brasileiros terão à disposição 304 páginas para serem cheiradas, lidas e folheadas com todo o prazer.
O livro incluirá ainda ilustrações do artista Alan Lee que já trabalhou em “O Senhor dos Anéis”, “O Hobbit”, “Os Filhos de Húrin” e “Beren e Lúthien”, esse último ainda inédito no Brasil.
Christopher Tolkien
“A Queda de Gondolin” terá material inteiramente inédito e irá explorar a cidade oculta dos elfos Gondolin. Portanto leitura obrigatória para os fãs das histórias que fazem parte do universo da Terra Média. O livro que será lançado em terras tupiniquins trará como brinde, um pôster tamanho A3.
A trama conta a história do rei élfico Turgon em sua incessante batalha contra Morgoth, o primeiro Senhor do Escuro. Nele, podemos ter uma dimensão do poder de Morgoth, além do tamanho de seu exército, que contava com milhares de orcs, Balrogs e dragões.
Para os leitores mais impacientes segue abaixo a nota oficial da Harper Collins.
No Conto da Queda de Gondolin estão duas das maiores potências do mundo. Existe Morgoth do mal extremo, não visto nesta história, mas governando sobre uma vasta potência militar de sua fortaleza de Angband.  Fortemente contrário a Morgoth está Ulmo, o segundo em poder após Manwë, chefe dos Valar.
A cidade de Gondolin é central nessa inimizade dos deuses, sendo bela, porém oculta. Foi construída e povoada pelos Elfos Noldorin que, quando moravam em Valinor, a terra dos deuses, rebelaram-se contra o seu domínio e fugiram para a Terra-média. Turgon, Rei de Gondolin é odiado e temido acima de todos os seus inimigos por Morgoth, que procura em vão descobrir a cidade maravilhosamente escondida, enquanto os deuses em Valinor em um debate acalorado se recusam a intervir em apoio aos desejos e projetos de Ulmo.
Nesse mundo chega Tuor, primo de Trin, o instrumento dos desígnios de Ulmo. Guiado sem ser visto por ele, Tuor parte da terra de seu nascimento na terrível viagem à Gondolin. Em um dos momentos mais impressionantes da história da Terra-média, o próprio deus do mar aparece para ele, erguendo-se do oceano em meio a uma tempestade. Em Gondolin ele cresce e se casa com Idril, a filha de Turgon. Seu filho é Erendel, cujo nascimento e profunda importância nos dias por vir são previstos por Ulmo.
Finalmente chega o terrível final. Morgoth aprende através de um ato de extrema traição tudo o que ele precisa para montar um ataque devastador na cidade, com balrogs e dragões e inúmeros orcs. Após um relato minuciosamente observado da queda de Gondolin, a história termina com a fuga de Trin e Idril, com a criança Erendel, olhando para trás de uma fenda nas montanhas enquanto eles fogem para o sul, nos destroços em chamas de sua cidade. Eles estavam viajando para uma nova história, o Conto de Erendel, que Tolkien nunca escreveu, mas que foi esboçado neste livro a partir de outras fontes.
Após sua apresentação de Beren e Lúthien, Christopher Tolkien usou a mesma “história em seqüência” na escrita desta edição de A Queda de Gondolin. Nas palavras de J.R.R. Tolkien, foi a primeira história real deste mundo imaginário e, juntamente com Beren e Lúthien e Os Filhos de Húrin, ele considerou-o como um dos três “Grandes Contos” dos Dias Antigos.
O livro fecha a mitologia da Terra-média.
Taí galera! Vamos aguardar a chegada de 30 de agosto para comemorar e muito!


Um comentário

  1. Opa perfeito, não tinha conhecimento desta obra, dia 01 de setembro vou acabar lendo um livro inteiro rs

    ResponderExcluir