Seis livros infantis recomendados para falar sobre a morte com as crianças


Há alguns anos aconteceu algo curioso com um amigo. Um fato, envolvendo uma criança, que eu achei atípico. Confesso que naquele momento não concordei com a maneira como esse meu amigo tentou resolver o problema. Já antecipo que esta situação em que participei passivamente foi a inspiração para escrever o post que você está lendo agora.
A filha pequena do Humberto (nome fictício) – hoje já adolescente -  havia acabado de perder a sua avó por quem tinha uma verdadeira paixão. Quando a avó morreu, a menina ficou muito triste e queria saber o que tinha acontecido. Na tentativa de tornar menor o sofrimento da filha, seu pai disse que a vovó foi fazer uma longa viagem. Ainda me lembro que após algum tempo, a filha do Humberto sempre cobrava o retorno de sua querida avó. Resultado: quando soube, por outras bocas que ela jamais iria ver a velhinha novamente, a situação complicou-se. Resumindo: foi necessário até mesmo ajuda psicológica.
Segundo a maioria dos psicólogos, a melhor maneira de lidar com o sofrimento de forma construtiva com os filhos pequenos é não evitá-lo, e sim favorecer a conversa, compartilhando os sentimentos.  Mas sabemos também que falar sobre morte com as crianças é complicado, aliás, muito complicado.
A criança percebe a morte como um acontecimento temporário, que pode ser revertido, que é possível morrer “só um pouquinho”. Filmes, revistas e desenhos reforçam esse conceito. E, cá entre nós, desmistificar essa concepção que os pequeninos tem sobre a morte não é fácil. Muitos país não sabem como lidar com as perdas de um ente querido ou então de um animalzinho de estimação da criança. Nessas horas, os livros sobre a morte (dentro da faixa etária da criança) tornam-se verdadeiros aliados.
No post de hoje, selecionei seis livros sobre o tema que irão ajudar os pais a enfrentar essa situação difícil. Vamos conferir:
01 – O anjo da guarda do vovô (Jutta Bauer)
Este livro conta a história de um avô que, no leito de hospital, recorda para seu netinho os principais momentos de sua vida - episódios da infância, da guerra, de necessidade e desconforto. Porém, por meio dos desenhos, o leitor fica sabendo que em todos as situações o avô teve a companhia invisível de um dedicado anjo da guarda.
A escritora alemã Jutta Bauer aborda o tema morte de modo simples, sutil e natural. Por esse motivo, o livro lançado em 2003 obteve um grande sucesso de crítica.
Bauer traduz o momento da despedida do personagem de uma forma completamente poética, falando sobre temas como experiência, aprendizado, legado e claro, sobre como lidar com a morte.
Detalhes técnicos:
O anjo da guarda do vovô
Autor: Jutta Bauer
Editora: Cosac Naify
Ano: 2003
Páginas: 48
02 – O pato, a morte e a tulipa (Wolf Erlbruch)
Um livro cativante e que certamente irá fazer que as crianças entendam a morte de uma forma natural. É mais um livro sobre o tema escrito por um autor alemão. Wolf Erlbruch ganhou, inclusive, o premio Hans Christian Andersen – um dos mais importantes da literatura infantil – pelo conjunto de sua obra.
O livro narra a história de um pato que percebe que a morte está por perto e, então, sente medo. Mas a morte é simpática e eles nadam e brincam juntos, além de conversar sobre a vida e a morte. Esta amizade faz com que o pato deixe de teme-la.
Os diálogos travados no livro entre os dois personagens são maravilhosos e ao mesmo tempo emocionantes, fazendo com que o leitor deixe de ver a morte como um ‘bicho-papão’. No final do livro, ela se entristece por ter que levar o seu amigo pato.
Detalhes técnicos:
O pato, a morte e a tulipa Autor: Jutta Bauer
Detalhes técnicos:
O pato, a morte e a tulipa
Autor: Wolf Erlbruch
Editora: Cosac Naify
Ano: 2009
Páginas: 32
03 – Para onde vamos quando desaparecemos (Isabel Minhós Martins)
Este é o tipo do livro que planta sementinhas na cabeça das crianças para que elas entendam de forma poética e sutil um assunto tão delicado e, ainda, considerado tabu por algumas pessoas.
O livro da escritora portuguesa Isabel Minhós Martins, nascida em Lisboa, mostra para os baixinhos que tudo que desaparece na vida, reaparece em outro lugar.
A obra lançada em 2015, é recomendada para crianças um pouco mais velhas, entre 9 e 10 anos. A partir de uma série de questionamentos, somos levados a refletir sobre a finitude da vida, sobre o tempo e, claro, sobre o aparecer e o desaparecer.
“Para onde vamos quando desaparecemos” é cheio de perguntas para reflexão e de conceitos para filosofar sobre o tempo, sobre o que é aparecer e desaparecer, sobre a finitude da vida e da existência.
A autora narra que para desaparecer, algo precisa ter aparecido primeiro para alguém. Algumas coisas desaparecem em um dia para aparecer no outro, como o sol. Outras, como as meias, caso apareçam, será sempre em um lugar inacreditável. Até as rochas desaparecem. Fato é que nada dura para sempre. E, nós, para onde vamos?
Um livro recomendadíssimo para as crianças.
Detalhes técnicos:
Para onde vamos quando desaparecemos
Autor: Isabel Minhós Martins
Editora: Tordesilhas
Ano: 2015
Páginas: 44
04 – O urso e o gato montês (Kazumi Yumoto e Komako Sakai)
Os autores foram muito felizes em sua proposta de escrever um livro infantil que falasse sobre a morte de uma maneira realista, mas ao mesmo tempo delicada. Tenho uma antiga professora que leu a obra e adorou. Segundo ela, as crianças passam a entender melhor o momento em que perdemos pessoas queridas que nos cercam.
No enredo do livro, um urso reflete sobre a sua vida monótona e sem atrativos quando, de repente, ele acaba perdendo o seu melhor amigo. É a partir de então que o urso começa a entender que alguns dias passam a nascer diferentes, antes mesmo de eles terem início.
A maneira poética dos autores apresentarem a história embala o leitor num movimento de elaboração do luto: o urso não se contenta com as palavras de apoio que recebe dos outros, ele tem seu tempo de entender o acontecido e é só quando esse tempo chega que a história parece se justificar.
Criação dos japoneses Komako Sakai e Kazumi Yumoto, o enredo é recomendado para crianças acima de 8 anos e ajuda os pequenos a compreenderem um pouco mais sobre a perda e o recomeço.
Detalhes técnicos:
O  urso e o gato montês
Autores: Kazumi Yumoto e Komako Sakai
Editora: Brinque Book
Ano: 2012
Páginas: 52
05 – Mas por quê??!: A história de Elvis (Peter Schössow)
Se você está pensando que o livro se refere ao mito do rock, Elvis Presley, se enganou. O Elvis do título é o passarinho de uma criança que acabou de morrer, deixando-a inconsolável.
Os amigos, então, providenciam o enterro do canarinho amarelo e participam, juntamente com ela do momento de luto e tristeza. Eles fazem que a garota também recorde dos momentos de alegria que viveu ao lado de Elvis. Uma leitura que ensina que todo luto merece ser vivido, contestado, vociferado, mas que, no fim, o que fica são as boas memórias. O livro do alemão Schössow, com certeza, ajudará muitas crianças a lidarem com a morte e o luto.
Detalhes técnicos:
Mas por quê??!: A história de Elvis
Autores: Peter Schössow
Editora: Cosac Naify
Ano: 2008
Páginas: 40
06 – A menina Nina - Duas razões para não chorar (Ziraldo)
É claro que eu não poderia esquecer de incluir nesta lista um autor brasileiro. E ninguém melhor do que Ziraldo, um dos mestres das histórias infantis.
Considerado o livro mais comovente que o autor já escreveu para crianças, “A Menina Nina – Duas razões para não chorar” mostra que as perdas são duras e machucam demais, mas também com o passar do tempo podem se transformar em doces saudades que nos trarão alegrias e não tristezas.
Ziraldo narra de maneira bastante sublime, a relação de uma garota chamada Nina com a sua avó. Toda a história é conduzida de forma leve e alegre, até que a dor aparece com a perda da avó.
É a partir daí que começam a surgir questionamentos, quando Nina passa a tentar entender o que aconteceu. Após a perda da avó, Ziraldo apresenta a Nina e aos leitores duas razões do por que não chorar, com uma linguagem simples, direta e cheia de esperança.
Um livro fantástico!
Detalhes técnicos:
A menina Nina – Duas razões para não chorar
Autor: Ziraldo
Editora: Melhoramentos
Ano: 2005
Páginas: 40
Taí galera, espero que este post ajude muitos familiares de filhos pequenos. Para a maioria dos pais, é complicado explicar a uma criança que um parente de quem elas eram bem próximas já não vai estar nas próximas reuniões de família. Apesar disso, há sim maneiras de lidar bem com o momento do luto de uma criança e sem dúvida, os livros dessa postagem poderão ajudar bastante nesta fase delicada da vida.


Nenhum comentário