Perseverança: o segredo para manter ativo um blog literário

2 comentários

Cara, o sujeito tem que ser perseverante para manter um blog literário e trabalhar, ao mesmo tempo; e mais perseverante ainda se for casado e tiver filhos. Por que? E o tempo para a esposa e os filhos? E o ‘money’ para ajudar nas despesas do lar? Por isso, eu sempre alerto os blogueiros e blogueiras iniciantes que estão com os hormônios a flor da pele para que reflitam muito bem antes de quererem abraçar o mundo. E o que é abraçar o mundo, nesse caso? Simples. É querer, numa lapada só, administrar um blog, um canal no Youtube, além das três tradicionais redes sociais: Face, Insta e Twiter. 

Não estou bancando o pessimista ou então querendo desestimular o surgimento de novos blogueiros. Longe disso. Eu, mais do que ninguém, torço a cada dia para o aparecimento de novos blogs literários, mas blogs de qualidade que sejam sinceros em suas opiniões e resenhas e não meros lobistas ou porta-vozes de editoras. Quando vejo um novo blog e percebo que o seu administrador continua postando resenhas sinceras, elogiando quando necessário e criticando, também, quando necessário, olha... você não imagina a minha felicidade. Faço questão de colocar esses blogs na minha lista de favoritos.

Por isso, encare esse texto - que você está lendo agora - como um conselho. Isso mesmo, o conselho de um blogueiro literário que já está na luta há mais de 11 anos e que durante esse período já passou por poucas e boas. Um blogueiro que tentou abraçar sozinho outras plataformas digitais; que pensou em mudar as características de sua página, seduzido por filmes e séries de TV e finalmente... que pensou em desistir de tudo. Verdade. Há algum tempo, pretendia parar com o blog e se dedicar apenas a leitura dos meus livros. Por todos esses perrengues vividos, acho que aprendi algumas lições, as quais gostaria de dividir com os blogueiros iniciantes.

Acredito que antes de nortear as metas de seu blog, é preciso fazer uma perguntinha básica: "Você estuda e trabalha ou somente estuda?” 

Ah! Ia me esquecendo, mais dois questionamentos: “Você ajuda na manutenção do seu lar? Tem filhos?”

Agora podemos começar. Vamos lá. Veja bem, se você só estuda e não tem um emprego ou então, está com a matricula de sua escola trancada por algum motivo, chegou a hora de abraçar o mundo. Quer ter além do blog, um canal literário no Youtube? Manter suas fã pages nas redes sociais? Vá lá, arrisque! Mas saiba que uma parcela significativa de seu tempo vai ser dedicada para essa finalidade. Escrever bons textos e produzir bons vídeos denota tempo, mas como nesse caso, tempo não será problema para você, mãos a obra!

Agora, se você estuda e trabalha ou apenas trabalha, o cenário muda de figura. O meu conselho é escolher apenas um canal: Blog ou Youtube. Sinceramente, encarar os dois nessa situação não dá. Éééé.... até dá, mas o resultado final não vai ficar legal e os leitores ou aqueles que assistirem aos seus vídeos irão perceber que o material foi preparado na correria. Falando claramente e sem meias palavras: foi preparado nas coxas.

Mas se você colocou em sua cabeça que quer ter um blog e um canal no Youtube, mesmo estudando e trabalhando, o mais sensato é convidar um outro colega que também goste de literatura e, assim, dividir as funções: um escreve e o outro produz os vídeos. Simples. Agora, quanto maior for a sua equipe, melhor. “Não, Jam. Não adianta, eu quero ter o meu próprio espaço com a minha identidade”. Ok, sem sevgredos: escolha blog ou canal no Youtube.

Vou exemplificar. Suponhamos que você tenha sido contratado para trabalhar oito horas diárias conforme determina a CLT. Digamos que o horário a ser cumprido seja das 8 às 11 e das 13 às 18 horas com duas horas de almoço. Como bônus, durante a noite, você encara os estudos. Nesta rotina corrida sobram as duas horas de almoço ou as madrugadas para você se dedicar ao blog. Outra opção é você “tirar” os finais de semana para produzir textos e vídeos e liberá-los aos poucos no decorrer da semana. Não aconselho. Isto porque as suas postagens vão ficar desatualizadas e outra, né... final de semana foi feito para nós, simples mortais, descansar, recompor as energias. Por isso, na minha humilde visão, aqueles que tem a rotina de estudar e trabalhar, manter apenas um blog ou um canal literário no Youtube é possível, com muita dedicação. Os dois... aí a ‘coisa’ já muda de figura.

Costumo dizer aos meus amigos que é melhor um passarinho na mão do que dois voando. Dentro do contexto dessa postagem, isso significa que devemos escolher algo que dominamos e fazê-lo bem feito, ou seja, se a você escreve melhor do que fala, o caminho são os blogs. Agora, se o seu texto é de meia boca para baixo, mas a sua comunicação verbal é fantástica, mergulhe de cabeça nos canais literários do Youtube.

Definida essa questão, vamos para uma outra também bem muito séria: as, quase sempre, malfadadas parcerias com editoras. Admito que o sonho de todos nós, devoradores de livros, é ter muuuuuitos livros, só que esses muuuuuitos livros devem ser degustadas e não engolidos. O problema das parcerias é o compromisso assumido pelo blogueiro de publicar resenhas num curto espaço de tempo. Imagine só, você lendo um livro com mais de 500 páginas, sabendo que tem de produzir uma resenha em poucos dias. Toda vez que você começa a leitura, o ‘fantasma’ da obrigação de termina-la o mais rápido possível acaba ‘matando’ o seu prazer de curtir a história. Este processo se transforma num círculo vicioso porque depois desse livro, o blogueiro tem uma fila de outras obras para ‘engoli-las’. Assim... Tchau, tchau prazer de se ler. Sem contar, aquelas editoras que enviam obras horrorosas ou então de gêneros que você não aprecia.

Ah! Tem mais. Muitas vezes, o seu blog ou canal do Youtube acaba se transformando num mero divulgador de obras de editoras já que o blogueiro ou youtuber não pode opinar que não gostou de um livro, caso contrário, adeus parceria. Triste, não acham?

Portanto, cuidado com as parcerias; mas se for o seu desejo seguir por esse caminho, escolha uma editora que não apresse a sua leitura obrigando-o publicar resenhas num espaço de tempo massacrante e, também, que aceite críticas honestas e não apenas elogios gratuitos. Cá, entre nós, acho que vai ser difícil descobir alguma editora que se enquadre nessas características.

Para finalizar, tenha sempre em mente que podem surgir situações em sua vida que lhe forçarão a parar de ‘blogar’. Pode ser uma decepção, alguns comentários maldosos, um tropeço em sua vida particular ou até mesmo uma desmotivação. Nestes onze anos de blog passei por várias dessas situações. Com certeza, elas aparecerão e por isso, será necessário lidar com elas; acho que domá-las, seria a palavra mais correta.

O que eu posso dizer é que você se lembre do seu público fiel, aquelas pessoas que periodicamente acessam a sua página para conferir os seus novos posts; e acredite, desde que você produza um material de qualidade, mesmo o seu blog ou canal no Youtube sendo pequeno, muitos leitores darão as caras por lá ansiosos para ver o que foi produzido. Será que isso não supera qualquer decepção?

Espero ter ajudado os novos blogueiros.


2 comentários

  1. Rapaz, você é um herói. Não apenas em conseguir administrar o blog dentro da sua vida corrida, mas em manter a chama acesa. Eu mesmo não consegui fazer isso.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Augusto! De fato, é muito difícil, por enquanto estou conseguindo. Quanto ao fim do Gato Smuck... uma pena. Eu era um grande fã das suas postagens, tanto é que tenho várias delas guardadas.
      Abraços meu amigo!

      Excluir