Guerreiros da Tempestade (Crônicas Saxônicas – Livro IX)

Uhtred definitivamente é o cara! Já perto do final de “Guerreiros da Tempestade” quando o seu minguado exército estava prestes a confrontar uma hoste muito maior e com uma parede de escudos amedrontadora, eis que ele solta o seu grito de guerra: - Puta! Puta! Puta! - Antes disso ele começa a gritar outro nome inesperado, o qual não posso revelar agora porque acabaria ‘matando’ a história de Bernard Cornwell com um spoiler gigante. O que posso dizer é que se trata do nome mais improvável que um comandante guerreiro possa berrar à frente de uma parede de escudos antes do início de um embate sangrento. 
Mêo! Para levantar o ânimo de seus guerreiros que tinham uma missão praticamente impossível pela frente, Uhtred poderia gritar o nome da rainha da Mércia, Aethelflaed, ou então palavras aleatórias que inspirassem coragem, como: “Matar! Matar!” ou “Venham morrer seus bostas de vacas!”. Cara, sei lá; Uhtred já gritou tantos desafios antes dos confrontos com as temíveis paredes de escudos inimigas que eu já perdi a conta, mas o seu ‘berro de confiança” mais recente superou todos os outros.
Morri, suei, rolei, mijei, babei de tanto rir. E não só eu, mas todos os guerreiros de Uhtred, até mesmo os mais sisudos, começaram a gargalhar quando o seu chefe puxou o refrão com os dois nomes inimagináveis para uma batalha.
Este capítulo do 9º volume das “Crônicas Saxônicas’ é antológico e merecia abrir o post. Aliás, a batalha final - quando os homens de Uhtred e Sigtryggr enfrentam o exército dinamarquês do cruel Ragnall Ivarson – é repleta de surpresas e reviravoltas. As atitudes surpreendentes de Finan, Sigtryggr e Uhtred “filho”, além do velho Uhtred deixam os leitores boquiabertos. Você imagina uma coisa e acontece outra totalmente diferente.
Acredito que tenha sido a batalha mais rápida de toda a saga, acho que foram somente três páginas, nem isso; mas mesmo assim, foi uma das melhores por causa das surpresas proporcionadas pelos personagens que já citei.
Agora, analisando a obra de um modo geral, posso dizer que “Guerreiros da Tempestade” é o melhor dos nove livros, com exceção de “Os Senhores do Norte” que na minha opinião continua sendo o grande “bam-bam-bam” de toda a série.
Neste novo livro, Cornwell brinda os seus leitores com uma surpresa atrás da outra, uma verdadeira montanha russa. Gomer, a esposa de Leofstan, novo bispo da Mércia, não é nada daquilo que o leitor imagina. Ela tem fama de velha, feia, encolhida e não pronuncia uma palavra sequer durante grande parte da trama, sem contar que o leitor nunca sabe como é o seu rosto, já que está sempre coberto. Perto do fim da história quando é revelado quem é a verdadeira Gomer... Caraaaaacaaaaaaa!!!! Não pode ser verdade!!!
Cara, juro que levei um choque porque jamais imaginava que o bispo Leofastan fosse capaz de ... Bem, melhor você saber por si próprio. Mas já adianto para aqueles que estão duvidando da  masculinidade do bispo, que ele não é gay; pelo contrário. Portanto, a tal Gomer é um enigma que após descoberto, de fato, derruba o queixo da galera.
O mistério envolvendo Gomer é apenas um dos muitos existentes em “Guerreiros da Tempestade”. Temos ainda uma prostituta chamada Ratinha que tem os seus segredos surpreendentes; temos o retorno de Sigtryggr e Stiorra, genro e filha de Uhtred, respectivamente; temos um inimigo cruel que não mede as conseqüências de seus atos para conquistar a Northumbria e apor aí afora.
Mas uma das maiores surpresa do livro é a volta de Brida - amiga inseparável de Uhtred e também sua primeira amante em “O ÚltimoReino” (1º volume da saga) - que retorna como uma perigosa inimiga.
A transformação de Brida chega a ser assustadora. Comparo a sua metamorfose com a de outro personagem famoso criado por Cornwell: “Nimue” de as “Crônicas de Artur”  Na saga arturiana, a doce e sedutora Nimue vai se transformando, aos poucos, numa mulher rancorosa, vingativa e má o que acaba refletindo em sua imagem. Em “Excalibur”, volume que encerra as crônicas, vemos Nimue transformada numa perigosa bruxa.
A mesma transformação ocorre com Brida em “Guerreiros da Tempestade”. Chega a ser chocante para aqueles leitores que acompanharam a personagem desde a sua aparição em “O Último Reino”. Muito chocante..
Por todas essas surpresas e reviravoltas é que “Guerreiros da Tempestade” pode ser considerado um dos melhores livros da série “Crônicas Saxônicas”.

Ansioso pela chegada do 10º volume!

Um comentário

  1. Terminei hoje Guerreiros da Tempestade e, claro, foi muito foda.
    Porém, a narrativa adotada por Uhtred (Cornwell) nesse livro foi diferente dos outros, e isso foi meio estranho, mas, nada que atrapalhe a obra.

    ResponderExcluir