terça-feira, 3 de outubro de 2017

O Meu Pé de Laranja Lima

“O Meu Pé de Laranja Lima”, escrito por José Mauro de Vasconcelos, lançado em 1968, foi um dos livros que me ajudou a ganhar gosto pela leitura. Tanto é verdade, que já o li e reli por diversas vezes e pretendo relê-lo outras vezes mais.  E não satisfeito com as leituras e releituras, ainda assisti as novelas que foram ao ar pela Rede Bandeirantes em 1980 e 1998. Cara, a história é muito boa.
Ainda me lembro da minha fase de ‘calouro-ginasial’. Fiquei abobado quando vi, pela primeira vez, a biblioteca da minha nova escola que se comparada com a do grupo escolar, onde estudava, se parecia com a antológica biblioteca de Alexandria. Foi fuçando nesse mar de livros que localizei a história de um garoto chamado Zezé. Após folhear as primeiras páginas acabei me interessando pelo livro e o pedi emprestado.  Lí rapidinho.
Fiquei fã de carteirinha daquela criança pobre, de seis anos, inteligente e sensível. Carente de um afeto que não encontra na família. Zezé aprende tudo sozinho e inventa para si um mundo de fantasia em que seu grande confidente é Xururuca, o pé de laranja lima. As suas conversas com a árvore são emblemáticas e ao mesmo tempo emocionantes.
Acredito que um dos motivos que leva tanta gente a gostar do livro, são as emoções que ele desperta, algumas bem fortes. No meu caso, ainda me recordo, que parte dos sentimentos de Zezé era semelhante aos meus. E vou mais além, o desabafo que o personagem fazia toda vez que ‘conversava’ com o seu pé de laranja lima era também o desabafo que muitas crianças daquela época gostariam de fazer com alguém, mas não podiam - por não terem esse alguém ou, simplesmente, não confiarem em ninguém.
O pé de laranja lima que está plantado na casa de Zezé é o seu melhor amigo: ouve, fala, brinca, dá conselhos. Xururuca é incrível! O amigo que todos nós, crianças daquele tempo, gostaríamos de ter.
O livro tem ainda outros personagens importantes e cativantes como Portuga, um comerciante supimpa que faz Zezé se sentir querido pela primeira vez na vida. Mêu! Um trecho envolvendo o Portuga é de partir o coração.
Uma curiosidade interessante que fiquei sabendo há pouco tempo, é que José Mauro escreveu o livro em apenas 12 dias. Acredita?!
“O Meu Pé de Laranja Lima” pode ser considerado o livro brasileiro mais traduzido para outras línguas, deixando evidente a sua popularidade entre crianças, adolescentes e adultos.
Foi adaptado para o cinema pela primeira vez em 1970 por Aurélio Teixeira. Ganhou três telenovelas: em 1970, exibida pela TV Tupi; em 1980, pela Rede Bandeirantes; e em 1998, novamente exibida pela Rede Bandeirantes. Em 2003, O Meu Pé de Laranja Lima foi publicado na Coréia do Sul, em forma de quadrinhos, numa edição com 224 páginas ilustradas. Em 2012, uma nova versão cinematográfica foi dirigida por Marcos Bernstein, um dos roteiristas da mega-produção do cinema nacional, Central do Brasil.
Enfim, um livro que merece todo esse sucesso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...