domingo, 5 de março de 2017

Ed e Lorraine Warren: Demonologistas (Arquivos Sobrenaturais)

Cara, tenso demais. Tão tenso que cheguei a ter algumas atitudes – vocês podem até considerá-las hilárias, tudo bem, eu não ligo – que após a leitura do livro, com os batimentos cardíacos já normalizados, pensei que jamais as teria. Classifico ‘Ed e Lorraine Warren: Demonologistas’, da série 'Arquivos Sobrenaturais', lançado recentemente pela editora DarkSide, como uma obra fodasticamente fodástica. A leitura impressiona os crentes e também os descrentes em assuntos polêmicos como espíritos opressores, possessões, fantasmas, casas mal assombradas e por aí afora.
Ah! Imagino que vocês estejam curiosos para descobrir algumas das minhas atitudes incomuns após ter encarado a obra escrita por Gerald Brittle. Ok, eu conto; mas apenas uma. Lá vai, na lata: rasguei e joguei fora a foto promocional da boneca Annabelle que acompanha o livro, um brinde super bem sacado da editora. Disse para mim mesmo: - Meu! Quero essa foto na minha casa não! Sei lá, vai que esse treco tá carregado com influências negativas ou então acompanhado de alguma outra coisa metafísica. E quando eu digo ‘alguma outra coisa’, entendam como... Cara, melhor deixar pra lá. Aposto que você está rindo, né? Tudo bem ‘El Valenton’, leia o livro e com certeza você irá parar de gargantear.
Há uma diferença enorme de obras ficcionais de terror para obras reais de terror. Com relação ao primeiro exemplo, você sabe que o enredo é fantasioso e saiu da mente fértil de um romancista. Quanto ao segundo, o ‘negócio’ muda de figura, já que a história contida nas páginas foi baseada em fatos reais e, confesso, que os fatos documentados no livro de Brittle impressionam, até mesmo os mais céticos.
As 272 páginas do lançamento da DarkSide faz com que o leitor repense todas aquelas brincadeiras bobas feitas no passado com grupos de amigos que envolviam o sobrenatural e o preternatural. Os tabuleiros Ouija e as brincadeiras do copo. Lembram-se? Ufa! Ainda bem que não tive essa curiosidade.

Casal de demonologistas Ed e Lorraine Warren
O livro é praticamente uma entrevista com o famoso casal de demonologistas Ed e Lorraine Warren, onde eles narram detalhes dos seus casos mais famosos – entre os quais ‘Amityville’, ‘Família Perron’, ‘Caso Beckford’, ‘Caso Foster’ e, claro, o da famosa boneca ‘Annabelle’ - entremeados com orientações sobre os riscos de se envolver com o mundo metafísico; uma brincadeira que pode custar bem caro.
O casal Warren explica a diferença entre espíritos humanos e inumanos; o drama e o sofrimento de pessoas que fizeram conjurações, muitas vezes como uma simples brincadeira; como ocorrem as opressões e possessões por entidades inumanas e outras coisas do gênero.
Segundo os demonologistas, o espírito demoníaco se faz presente na vida das pessoas por meio do livre-arbítrio quando elas querem ou convidam através de um contato espiritual sem nenhuma necessidade para isso. São as leis da ‘Atração’ e do ‘Convite’.
Annabelle do filme (à esquerda) e Annabelle verdadeira no colo de Lorraine
Ed explica que a ‘Lei da Atração’ é algo do tipo: “semelhante atrai semelhante’. Dar atenção ao positivo atrai positivo; dar atenção ao negativo atrai o negativo. Portanto, pessoas que fazem coisas negativas ou claramente contrárias à natureza – maldades praticadas de maneira voluntária por um homem contra outro, indivíduos com satisfação de cometer atos cruéis e perversos, etc - estão basicamente fazendo o trabalho do Diabo por ele e, de fato, atraem espíritos negativos para junto de si. Pela ‘Lei do Convite’, prossegue Ed, “a coisa” é ‘peça e receberás’, ou seja, uma pessoa pode invocar o espírito demoníaco por meio de um ritual ou via um canal de comunicação sincero, tipo: cerimoniais de magia, encantamentos, sessões espíritas, uso de tabuleiro Ouija ou rituais profanos secretos em que o individuo voluntariamente convida uma presença demoníaca para si.
Achei interessante, também, o trecho onde é revelado os detalhes de um ritual de exorcismo, como um padre ou clérigo se prepara para esse momento e quais são as condições impostas pela Igreja para que aconteçam esses rituais.
Mas sem dúvida alguma os capítulos mais interessantes do livro se referem aos casos investigados por Ed e Lorraine. Os que mais me impressionaram foram os casos ‘Beckford’ e ‘Annabelle’. No primeiro ocorrido em 1974, uma família passou a ser atormentada por espíritos inumanos após uma de suas filhas ter utilizado um tabuleiro Ouija para se comunicar com espíritos. Vicky Beckford, então com 19 anos de idade, havia saído da linha: ela convidou um espírito demoníaco a se manifestar. Embora a garota iludida tenha dado essa permissão sem querer, pensando se tratar de um espírito humano, segundo os Warren, ela cometeu uma transgressão sobrenatural da maior gravidade. O resultado foi talvez o pior caso de ataque diabólico já vivenciado pelo casal de demonologistas.
Brittle descreve em detalhes todo o drama dessa família – do início ao fim – incluindo o exorcismo da casa com o objetivo de expulsar as entidades malignas.
‘Annabelle’ também impressiona. O caso real da boneca - possuída por uma entidade demoníaca – que, sozinha, fica mudando de lugar é de arrepiar. O livro traz a história completa da boneca de pano maligna que acabou indo parar nas telas do cinema em 2014, além de uma ‘ponta’ no filme “Invocação do Mal” (2013).
E já que estamos falando escrevendo sobre filmes, vale lembrar que todos os casos que inspiraram os filmes ‘Invocação do Mal 1 e 2’, ‘Annabelle’ e ‘Horror em Amityville’ são descritos em detalhes no livro de Brittle.
Enfim, ‘Ed e Lorraine Warren: Demonologistas’ é um livro de terror que dá medo, aliás, muito medo, pois são fatos reais e documentados vividos pelo casal de demonologistas mais famoso dos últimos tempos. Tão famoso que teve vários filmes baseados em seus casos e também em sua vida.
Vale a leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...