quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Quando será que a Suma de Letras irá relançar as obras raras de Stephen King? Eu disse ‘R-A-R-A-S’.



Posso dizer o que eu acho? Na lata? Ok, lá vai: -“Estão brincando com os fãs de Stephen King, caraca! Mas brincando legal, de fato”.  Depois do desabafo – que me desculpe a Suma de Letras, mas essa é a minha opinião – quero escrever o que estou pensando. Acredito que seja a mais pura perda de tempo – pelo menos para o leitor – fazer o relançamento de um livro que ainda não está esgotado, ou seja, uma obra que é facilmente encontrada no mercado; e  encontrada aos borbotões.
Um dia desses vi a notícia de que a Suma de Letras, editora responsável pela publicação dos livros de King no Brasil, irá relançar neste segundo semestre a antológica obra ‘kingniana’ “A Dança da Morte”. – “Êpa! Pera aí! Acho que tem alguma coisa errada!” Esta foi a indagação que fiz, após ler a notícia numa rede social. E uma indagação com três exclamações para frisar bem o meu espanto.
Bem, vamos colocar os neurônios prá funcionar. Porque relançar um livro que você pode encontrar facilmente no mercado? Numa rápida zapeada na net, consegui localizar “A Dança da Morte (The Stand)”, edição de 2005, lançada pelo Objetiva em sete livrarias. Então, resolvi fazer uma busca mais detalhada, incluindo os sebos virtuais (Santa Estante Virtual!) e localizei mais um batalhão dessa obra; se não me engano, ‘uns’ 18 livros, incluindo a publicação da Bertrand de 1990. Caso semelhante acontece também com “O Apanhador de Sonhos”, lançado no Brasil, também pela Objetiva, entre 2004 e 2005. A edição original pode ser encontrada em qualquer livraria virtual. Se falarmos, então, de sebos, a ‘coisa’ muda de assunto. Nas lojas cadastradas no portal do Sebo Virtual, os interessados irão ‘dar de cara’ com um verdadeiro batalhão desse livro.
Então, voltando a nossa indagação inicial: porque relançar uma obra que continua com presença marcante nas prateleiras das livrarias, sejam elas físicas ou virtuais? Quer mesmo saber? De verdade? Não sei. É isso aí, simplesmente ‘n-ã-o  s-e-i’. Prefiro evitar ficar levantando hipóteses sem nenhum embasamento ou então criando certas teorias da conspiração. Agir dessa maneira seria muita leviandade da minha parte. Estaria maquiando esse post com inverdades somente para deixá-lo mais interessante. E sabemos que não é por aí. Prefiro disser escrever que desconheço os motivos que levaram a Suma de Letras a optar por essa estratégia, mas por outro lado, tenho o direito de discordar. E uso esse post pra isso. E não só para discordar, mas também para tentar encontrar uma resposta que satisfaça não apenas a minha curiosidade, mas com certeza, a de milhares de fãs do Rei do Maine que estão ansiosos por relançamentos de obras raras. E aqui vale um adendo: Na minha concepção, entende-se por obras raras, aquelas que estejam esgotadas, verdadeiras jóias do ‘baú kingniano’. Exemplos? Ok. Mêo, são tantos!! Anote algumas: “A Metade Negra”, “A Hora do Lobisomem”, “Trocas Macabras”, “Eclispe Total”. Putz! Putz! E Putz, de novo!!! Vou dar um tempo porque estou ficando nervoso; ‘cabrero’ mesmo (rs).
Falando escrevendo por mim; não quero comprar um livro simplesmente porque ele foi relançado com uma nova capa e tradução atualizada. Quero adquirir uma obra que foi lançada há mais de 20 ou 30 anos e que não encontro em nenhuma livraria desse ou do outro mundo. Então sim, valerá a pena! Deu pra entender galera? É por isso, que na minha humilde opinião, a estratégia da Suma de Letras está furada. Pessoal da Suma, desculpa aí, mas esse é o meu ponto de vista. E diga-se de passagem, opinião de um grande fã desse cara fantástico chamado Stephen King.
Para que gastar tempo e dinheiro colocando no mercado livros fáceis de achar. Tudo bem, que demore um pouco mais, nem que seja mais de um ano, quase dois, vá lá, mas o relançamento de uma obra rara que o leitor já não consegue encontrar em nenhuma livraria é muito especial.
A maioria das obras raras de King, todas elas esgotadas e que se transformaram na ‘menina dos olhos’ de milhares de leitores foram publicadas pela finada Francisco Alves; uma ou outra pertencem a editoras diferentes, mas muito pouco. Anotem aí: “Os Livros de Bachman”, “Os Estranhos”, “Eclipse Total”, “Angustia”, “Cão Raivoso”, “A Metade Negra”, “Depois da Meia-Noite”, “Trocas Macabras” e “A Hora do Lobisomem”. Talvez possa incluir nessa relação mais alguns livros que estão começando a rarear no mercado, tornando-se difíceis de encontrar, como por exemplo: “A Coisa” e “A Incendiária”. É importante frisar que a editora já confirmou o relançamento de “A Coisa” para breve.
Desconheço como funciona o esquema de compra de direitos de tradução e publicação de uma obra de King, mas creio que relançar obras raras de 20 ou 30 anos atrás não seja uma missão impossível. Tanto é que a Suma de Letras já confirmou “Angústia” para 2014, além de declarar que o processo de compra dos direitos de tradução de “Cão Raivoso” está bem adiantado. Pôxa vida, será que a Suma não poderia seguir nessa mesma toada ao invés de ficar recolocando no mercado ‘figurinhas fáceis’, apenas com um visual diferente?
Gente, confesso que é frustrante você passar horas e horas na internet à procura de “A Hora do Lobisomem”, “A Metade Negra” ou “Os Livros de Bachman” para no final da busca, descobrir um sebo que lhe ofereça o seu “sonho” por R$ 300,00 ou mais.
É muita areia para o caminhão do ‘menino’ aqui.

18 comentários:

  1. Confesso que achei o seu texto um tanto exagerado. Mas não condeno, fã é fã. Na minha opinião, a Suma de Letras está tentando relançar toda a obra do King, começando pelo fácil: livros que já pertencem ao catálogo. E não vejo como negativo relançar "figuras repetidas", até porque já reparou a fonte minúscula utilizada nas edições anteriores? O descaso com acabamentos que ajudam, e muito, na leitura? Eu descobri King recentemente, e confesso que o motivo foram as capas. Sim, elas me chamaram tamanha atenção que resolvi acompanhar. Agora estou praticamente com todos os lançamentos em casa, lendo 2 por mês. Então, qualquer cuidado extra - coisa rara no nosso meio editorial - é bem vindo. Ainda mais se tratando de um autor tão especial como Stephen King. E quanto os livros raros, tenho certeza de que eles virão com o tempo. Já foi confirmando o lançamento de "Misery", e "Trocas macabras" tá em negociação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...até porque já reparou a fonte minúscula utilizada nas edições anteriores? O descaso com acabamentos que ajudam, e muito, na leitura?" Enquanto lia o texto pensava exatamente nisso! A fonte das edições da objetiva é horrível, deixa a leitura cansativa. Por exemplo: A Hora do Vampiro (título ridículo) tem 270 pg naquela fonte horrível. A Suma relançou o livro com um belo título, Salem, numa edição MUITO agradável de se ler, boa fonte, bom espaçamento, tanto é que o livro ficou com 460 páginas!!
      Então, Rubens, concordo com você, não é negativo o que a Suma ta fazendo, ela está dando às "figuras repetidas" uma edição bem decente.

      Excluir
  2. Uma dica aos amigos...Esse ano consegui comprar (quase) todos os livros "raros" do Stephen King no site Estante Virtual: Trocas Macabras (por R$ 15,00...nem acreditei), Depois da Meia-Noite, A Incendiária, Eclipse Total, A Metade Negra, Cão Raivoso, A Hora do Lobisomem, Pesadelos e Paisagens Noturnas I e II, Angústia, Os Livros de Bachman (esperando a entrega pelo correio...Greve "maldita"). Tá certo, gastei uma grana razoável mas valeu MUITO a pena. Agora só falta comprar uns 8 ou 9 livros do SK para conseguir completar minha coleção. Sou um HiperUltraSuper Fâ do S. King.
    José Antonio (Jam), vc tem Face??? Poderia me mandar o link? Obrigado!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco! O quê?! 'Trocas Macabras' por R$ 15,00?!! Considere-se o cara mais sortudo de todo o planeta (rs). Realmente, a "Santa Estante Virtual" é o maior amparo de todos nós leitores inveterados. Parabéns pelas aquisições.
      Qto ao Face anote aí: https://www.facebook.com/LivroseOpiniao

      Abcs e volte sempre!

      Excluir
  3. Concordo plenamente com o artigo. Também adoraria completar minha coleção do Rei do Terror, porém, é bom salientar que atualmente o preço de algumas obras no EV e no ML estão proibitivos. Algumas chegam a beirar R$ 250,00 a R$ 500,00. Uma coisa que consegui fazer ultimamente e que sido bom é importar as edições portuguesas de algumas obras. Depois da Meia Noite e A Metade Negra saem 10 euros cada uma e mesmo com o frete internacional é muito mais barato do que comprar aqui e em edições recém-lançadas pela Bertrand, sem cheiro de mofo e capas caindo ou coladas com durex. Também dá para achar algumas obras que ainda não foram traduzidas para o PT-BR, mas que já estão disponíveis por lá como O Homem do Colorado, A Rapariga que Adorava Tom Gordon e Corações na Atlântida. Os Estranhos, que também é difícil de achar por aqui, é mais tranquilo por lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado, as edições portuguesas, nessas horas, passam a ser uma boa opção.
      Abcs!

      Excluir
    2. DRocha onde vc importa essas versoes portuguesas?? sou doido pra importar mas n consigo =(

      Excluir
    3. Digão, eu compro em lojas virtuais com cartão de crédito internacional. O processo de compra é o mesmo do Brasil, a diferença é que o frete internacional é um pouco mais caro, é cotado em Euro e as vezes demora para chegar. A última compra que fiz foi numa loja chamada Wook.pt. Chegou tudo certinho. Tem também a versão portuguesa da FNAC que é boa. Mas, alguns livros mais raros só achei numa loja chamada Bulhosa.pt, esses eu já encomendei, mas ainda não chegaram.

      Excluir
  4. Quanto ao texto eu concordo que a Suma podia agilizar esse processo de publicar livros raros, mas nao vejo como ruim ela estar publicando versoes nao raras, os livros novos da sumas estao lindos, capas maravilhosas e papel amarelado que ajuda a ler, curti mto, qdo posso dou preferencia aos livros lançados pela Suma do que pela objetiva

    ResponderExcluir
  5. Alguém sabe a data de relançamento de "a coisa"(it) ????? não consigo achar, e está sempre esgotado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ozzy,
      A Suma de Letras só deverá relançar "A Coisa" com nova tradução e capa em agosto. Antes, deverá sair Misery (Louca Obsessão). Mas se vc não quiser esperar tanto, descobri alguns sebos na 'Estante Virtual' que disponibilizam a obra de King. Anote aí:

      http://www.estantevirtual.com.br/mod_perl/busca.cgi?pchave=stephen+King+-+A+Coisa&alvo=autor+ou+titulo

      Excluir
  6. olá,tem alguma novidade sobre o relançamento de A Coisa ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá fernando,
      À princípio, a Suma de Letras prevê o relançamento de "A Coisa" somente para o mês de agosto.Enquanto isso, vc pode encontrar o livro nos sebos da estante virtual, mas por preços bem salgados. Se puder, o melhor, de fato, é aguardar..
      Abcs!

      Excluir
  7. Concordo com o texto. O relançamento das obras raras iria acabar com essa festa besta de vendedores exploradores e oportunistas que jogam o preço lá no alto por uma edição caindo aos pedaços de Trocas Macabras ou uma edição ridícula em formato "POCKET" de A Hora do Lobisomem, que convenhamos, nem é uma boa história.
    A Estante Virtual ajuda e atrapalha ao mesmo tempo, pois enquanto podemos encontrar obras raras, os livreiros percebem o "quanto valem" as obras, simplesmente pela lei da "oferta x procura", e quando achamos algum livro esgotado que há muito procuramos ele está por um valor altíssimo.
    Lembrando que nos EUA, primeiras edições publicadas com tiragens limitadas, numeradas e autografadas por Stephen King, Dean R. Koontz, Clive Barker entre outros podem ser encontradas no Ebay e em sebos físicos por preços abaixo dos $ 500 dólares. Pois lá livros são tratados como devem ser: boa disponibilidade e bom preço, além é claro de um belo cuidado ao ser editado.
    Pessoal sou um colecionador nato de grandes obras , mas livros são livros, e não alimentos,
    água ou moradia.

    Aguardo reedições há muito tempo, tanto do Stephen King como do Dean R. Koontz, cujas edições esgotadas são raramente encontradas a preços proibitivos como já citado.
    Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Miguel, muito boa a sua colocação. Só resta torcer para que essas obras sejam relançadas acabando assim com os preços especulativos e exorbitantes cobrados por alguns colecionadores.
      Abcs!

      Excluir
  8. Também concordo com você. Estou a procura do livro O Homem do Colorado há um tempão, desde que comecei a assistir a série Haven, baseada na obra, Mais quando procuro só encontro a versão em ingles The Colorado Kid, eu não entendo ingles, e queria muito ler esse livro, mais está dificil!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Isabel, vamos ver se os apelos de tantos leitores que estão a procura dessas obras raras serão atendidos, um dia.
      Abcs!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...