quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sob a redoma, novo livro de Stephen King será lançado em outubro



Cara, palavra de honra que antes de escrever esse post fui me aconselhar com uma multidão de pessoas mais ‘chegadas’. Sobrou pra todo mundo: namorada, irmão, amigos, colegas, tio, sobrinho e pasmem até para o ‘seo’ Touro. Pera aí, calma... calma... não se trata de nenhum animal de corte ou reprodutor, mesmo porque não sou o Dr. Dolittle para conversar com os bichos. Touro é o apelido do meu querido velho que ficou conhecido assim por causa de sua fortaleza física e mental, apesar dos seus tão decantados 88 anos.
Bem pessoal, todos eles, menos o Touro torceram o nariz para a minha idéia, alguns chegaram ao ponto de me acusar de falta de criatividade. “Vira o disco! De novo vai falar sobre King!!”; “Logo, logo o seu blog vai ficar descaracterizado, afinal a ‘maioria’ dos posts só falam desse tal King!”; “José... o cara é bom, sei disso, mas está dando a impressão que ele tá  lhe passando um jabazinho para sair tantas vezes no blog; dá um stop pô!”. Olha, confesso que essa última acusação doeu, aliás me quebrou no meio; imagine só, Stephen King me pagando um jabá!! Como se ele precisasse disso e como se esse blogueiro aqui, fizesse parte da corja do mensalão. Pensei comigo mesmo: se existisse um ‘mensalão dos blogs literários’ eu seria o réu principal!   
Resumindo, descartei todas as pedradas, pauladas, tesouras voadoras e ponta-pés; e segui apenas o conselho do ‘seo’ Touro.
- “O blog não é seu? Então faz o que quiser!”.
- “Valeu Touro!!”. Então o Sr. Sabe quem é Stephen King?!”
- “Hãa?? Quem??
Portanto galera, se vocês são fãs do grande mestre do terror e estavam afim de garimpar mais algumas ‘cositas’ com relação a “Sob a Redoma”, novo livro de King que será lançado no Brasil daqui há pouco mais de um mês, agradeçam ao Touro que mesmo não conhecendo o famoso autor acabou me dando uma força para a missão (rss).
Mas chega de enrolação e explicações. Vamos ao que interessa. “Sob a Redoma” será lançado em terras brasileiras no dia 1º de outubro próximo. Essa data, com certeza já está sendo comemorada pela grande legião de fãs ‘verde e amarelo’ de Stephen King. Afinal, estamos se referindo ao lançamento do livro de uma das ‘lendas vivas’ da literatura de terror que não publicava uma obra inédita no Brasil há muitos anos.
E seguindo a risca o “estilo King”, o novo livro do autor mais se parecerá um calhamaço com uma montanha de folhas. São ‘somente’ 960 páginas à serem devoradas! Digo ‘estilo King’, porque é difícil ver uma obra do mestre com poucas páginas. Ele pode demorar para escrever, mas quando resolve publicar um livro, os leitores podem se preparar porque o dito cujo chega ‘rasgando’, ultrapassando as 800 e beirando as 1.000 páginas!
Segundo release da Editora Objetiva - da qual a Suma de Letras, responsável pelo lançamento do livro no Brasil, faz parte - a história de “Sob a Redoma” se passa em Chester’s Mill, no Maine. Na trama, em um dia como outro qualquer, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer. Os moradores de Chester’s Mill percebem que terão de lutar por sua sobrevivência. Pessoas morrem, aparelhos eletrônicos entram em pane ao se aproximar da redoma e a situação fica ainda mais grave quando a cidade se vê exposta às graves consequências ecológicas da barreira. Para piorar a situação, James “Big Jim” Rennie, político dissimulado e um dos três membros do conselho executivo da cidade, usa a redoma como um meio de dominar a cidade. Enquanto isso, o veterano da guerra do Iraque, Dale Barbara, é reincorporado ao serviço militar e promovido à posição de coronel. Big Jim, insatisfeito com a perda de autoridade que tal manobra poderia significar, encoraja um sentimento local de pânico para aumentar seu poder de influência. O veterano se une a um grupo de moradores para manter a situação sob controle e impedir que o caos se instaure. Junto a ele estão a proprietária do jornal local, uma enfermeira, uma vereadora e três crianças destemidas.
No entanto, Big Jim está disposto até a matar para continuar no poder, apoiado por seu filho, que guarda a sete chaves um segredo. Mas os efeitos da redoma e das manobras políticas de Jim Rennie não são as únicas preocupações dos habitantes. O isolamento expõe os medos e as ambições de cada um, até os sentimentos mais reprimidos. Assim, enquanto correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e uma forma de desfazê-la, ainda terão de combater a crueldade humana em sua forma mais primitiva.
Taí um breve resumo de “Sob a Redoma”. Mais uma vez, King provou que para escrever uma boa história de terror não há a necessidade de se apelar para monstros horripilantes ou gosmentos ou, ainda, mutilações, mortos vivos e isso ou aquilo. Não estou afirmando que King nunca se utilizou desses artifícios. É evidente que em algumas de suas histórias aparecem esses elementos, mas ele não faz disso uma regra. Pelo contrário, o seu forte é o chamado ‘terror psicológico’ e também o ‘terror real’, ou seja, quando o medo está arraigado em nossos pensamentos ou então faz parte das coisas rotineiras do nosso dia a dia.
“Sob a Redoma” explora bem esse tipo de terror. Em Chester’s Mill não há a necessidade de seres sobrenaturais para assustar os leitores; as próprias atitudes dos moradores fazem isso. A cada página que lemos descobrimos do que o ser humano acuado ou privado de sua liberdade é capaz. Alguns personagens da história, que no início julgávamos centrados e coerentes, passam a mostrar o seu ‘lado monstro’ por causa da pressão ou do perigo que enfrentam.
Agora, só resta esperar e contar nos dedos os dias que faltam para a chegada de 1º de outubro quando as livrarias tupiniquins receberão “Sob a Redoma”. Depois disso é só preparar o coração para a chegada de “11/22/63” que na terra do Tio Sam já ganhou o status de “obra prima”.
Valeu!


8 comentários:

  1. Não sei se serve de consolo quanto à suposta "descaracterização" do seu blog, mas o fato de ter feito posts recentes sobre o King me fez visitá-lo várias vezes.

    Enfim...

    Pela resenha, esse novo livro aí não vai ser tão focado no terror e sim numa espécie de ficção-científica com possíveis lições de moral. Ou retratos da natureza humana. Algo do tipo.
    Pessoalmente, prefiro o estilo mais clássico do autor. Ah, e o Tourão aí tem razão: o blog é seu então você escreve sobre o que te der na telha. Não imponha regras a si próprio quanto a isso.

    Ah, e tô lendo Christine.

    Abraço.
    gatosmucky.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Augusto, vamos ver como King se sai nesse novo estilo. Aliás, 11/22/63 não foge muito disso, ou seja, o terror passa longe. Vc escreveu que está lendo Christine. Sabe, esse é um dos livros que estou na dúvida: se leio ou não... O que está achando??
      Abcs!!

      Excluir
  2. Também demorei uns sete meses para lê-lo depois que comprei. Fiquei um pouco receoso quanto ao tema, mas até agora - estou na página trezentos e alguma coisa - está legal.

    Por enquanto não está nada assustador, mas a gente é forçado a admitir que o texto do cara é gostoso pra caramba de ser lido.

    Quando terminar, te digo se realmente gostei ou não.

    Abraço.
    regthorpe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Estou preparando um especial sobre o livro no stephenking.com.br. Dá uma passadinha lá pra dar uma conferida, se puder... Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Somos da Suma de Letras e gostaríamos de falar com você sobre Stephen King. Pode nos escrever em blogs@objetiva.com.br?

    ResponderExcluir
  6. Olá, tbm tenho um blog aparentemente livre de temáticas e essa sua observação da descaracterização tbm parece que se aplica a mim, pois já fiz vários posts sobre o king e nem havia percebido!Mal posso esperar para por as mãos nesse livro. A propósito me visite:Wesleycreek.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem bom que esse 'lance de descaracterização Kingniana'não atinge só a mim (rsss).
      É claro que visitarei o seu blog e deixarei comentários..
      Gde abraço!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...