domingo, 24 de abril de 2011

A Casa Infernal

Após escrever sobre “Os 10 maiores vilões da literatura de terror”, alguns amigos que leram o post me perguntaram:  “Quem é esse tal Emeric Belasco? Então, eu respondi: “Por acaso, você já leu “A Casa Infernal”? Para que a pessoa entenda porque esse personagem é considerado um dos mais malignos e perversos da literatura de terror, é essencial que leia o livro de Richard Matheson, o mesmo autor de “Eu Sou a Lenda”. Veja bem; eu disse ler o livro e não assistir ao filme. A obra literária é muito mais completa e densa do que o filme “A Casa da Noite Eterna” – diga-se de passagem – brilhantemente dirigido por John Hough em 1973.
O Emeric Belasco do livro é assustador. Só mesmo lendo para compreender. “A Casa Infernal”, foi escrita em 1971 e é lição  obrigatória para os fãs do gênero.
O clima criado pelo autor é angustiante e quando comecei a ler não consegui parar. Devorei página por página, e como o livro da Editora Novo Século é relativamente pequeno, apenas 254 páginas, em letras grandes, terminei em um final de semana.
A história gira em torno de uma mansão mal assombrada pelo fantasma do terrível Emeric Belasco. Se as casas mal assombradas fossem montanhas, a “Mansão Belasco”, como ficou conhecida, seria considerada o Monte Everest das casas mal assombradas. Há 40 anos, ela se mantém imponente, desfiando todos aqueles que tentam decifrar os seus segredos. Nesse período houve duas tentativas de investigá-la, uma em 1931 e outra em 1940. Ambas foram desastrosas. Oito dos mais renomados pesquisadores de fenômenos paranormais do mundo envolvidos nessas tentativas foram mortos, cometeram suicídio ou enlouqueceram. Apenas um conseguiu sobreviver e o terror que presenciou foi tão grande que até hoje sofre os efeitos do desastre do passado. Esse sobrevivente, Benjamin Franklin Fischer, participou da equipe que tentou desvendar os mistérios da casa em 1940. Na época, ele era uma criança prodígio, com apenas 15 anos, considerado o maior médium sensitivo do mundo. Devido a sua fama, acabou sendo um dos convidados para a excursão à mansão macabra. Todos morreram, só ele sobreviveu.
Para que o leitor tenha uma noção da malignidade de Emeric Belasco, basta dizer que Fisher – considerado há 4 décadas uma criança destemida, tendo conseguido desvendar segredos de várias casas mal assombradas - foi encontrado caído na varanda da frente da mansão encolhido como um feto, tremendo de medo e pavor. Quando as equipes médicas o colocaram na maca, ele começou a gritar e vomitar sangue, com os músculos rijos como pedra. Ficou em coma por três meses. Mais tarde, especialistas definiram o medo como a causa desses sintomas.
Outra prova do “poder de fogo” de Belasco é que ele conseguiu trucidar uma equipe formada pelos cinco maiores pesquisadores de fenômenos psíquicos do mundo e que já tinham enfrentando e desvendados os mais aterrorizantes mistérios. A mesma equipe da qual Benjamin Fischer fez parte em 1940.
Cena do filme "A Casa da Noite Eterna", baseado no romance
de Richard Matheson
Matheson descreve com detalhes o que aconteceu com os cinco paranormais. Uma médium auto-confiante que achava que podia, sozinha, solucionar o mistério da casa infernal acabou cortando a garganta com as próprias mãos; um professor cético que teve um derrame, após sofrer uma experiência tão terrível na mansão que foi incapaz de relatá-la; um paranormal famoso que enlouqueceu na mansão após presenciar fenômenos que ultrapassavam os limites da razão. Ele acabou indo parar num hospício, onde permanece trancado. E por aí afora.
Passados 40 anos dos desastres envolvendo os dois grupos de pesquisadores, um milionário excêntrico resolve comprar a mansão e contratar novos cientistas e paranormais, incluindo Fischer que sobreviveu a catástrofe de 1940, para fazer mais uma tentativa de descobrir os mistérios do local. Eles terão o prazo de uma semana para solucionar o segredo e se conseguirem ganharão 100 mil dólares. À princípio, Fischer reluta em fazer parte do novo times de pesquisadores”, mas depois o dinheiro fala mais alto e ele decide aceitar a proposta.
Matheson dá ênfase nas divergências enfrentadas pelo grupo de quatro pessoas que aceitaram o desafio de enfrentar a casa. Fischer, agora com mais de 40 anos, é um médium fracassado e com os poderes bloqueados pelo medo. Ele é menosprezado pelo líder da equipe, Dr. Lionel Barret que o julga fraco e incapaz e faz de tudo para dispensá-lo do grupo. Cético e autoconfiante, Dr. Barret não acredita em fantasmas ou espíritos que vagam assombrando a mansão. Para ele, tudo não passa de fenômenos paranormais que podem ser perfeitamente explicados, sendo que pretende provar essa teoria. A jovem médium psíquica, Florence Tanner, uma das mais respeitadas em sua área diverge totalmente de Barret. Para ela, o que, realmente, assombra a mansão é o espírito de Emeric Belasco que precisa ser confrontado e expulso. E completando o time, temos a insegura Edith, mulher e assistente do Dr. Barret. É esta equipe – a terceira – que irá enfrentar a Mansão Belasco. 
Momento em que a equipe de paranormais chega à Mansão Belasco
Os conflitos vividos pelos quatro pesquisadores por causa da divergência de idéias são descritos com perfeição por Matheson e prende a atenção do leitor. É inevitável que você acabe se simpatizando com um ou alguns do grupo e torcendo o nariz para outros.
Mas o “bicho pega”, de fato, quando Emeric Belasco entra em cena desafiando os seus quatro antagonistas. Eis as perguntas que eu deixo no ar para aqueles que ainda não leram o livro: “Como o inseguro Fischer, agora com os nervos em frangalhos, irá se comportar enfrentando a casa Infernal pela segunda vez?”. “Será que o Dr. Barret conseguirá manter o seu auto-controle e confiança diante dos eventos que enlouqueceram seus antigos companheiros de profissão e que ousaram desafiar Belasco?”. Terá Florence um destino diferente da outra médium que há 40 anos se matou cortando a garganta com as mãos?”. E a frágil e insegura Edith que vive à sombra do marido, como se comportará?”. Quem já leu o livro, sabe que o final é diferente de tudo aquilo que nós possamos imaginar. Quando o segredo de Belasco é descoberto, o leitor literalmente fica de queixo caído, demorando alguns segundos para se recompor, porque todos os conceitos assimilados durante a leitura da história caem por terra. Com isso, Matheson provou que é um dos gênios da literatura de terror.
E não venha me dizer que não vai ler o livro porque já assistiu ao filme “A Casa da Noite Eterna”. Apesar da produção cinematográfica ter sido muito fiel ao livro de Matheson, não dá pra comparar. O livro descreve de maneira completa eventos que no filme passam muito rapidamente, como o ataque sofrido por Florence pelo gato possuído pelo espírito de Belasco, ou então, a descrição completa dos fatos macabros e chocantes que ocorreram na Casa Infernal na época em que Belasco era vivo e que deram origem a sua fama de mal assombrada.
Enfim, a leitura de “A Casa Infernal”, como já disse é obrigatória para você que aprecia uma boa história de terror. Mas leia preparado, porque os calafrios virão.
Inté! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...