sábado, 14 de janeiro de 2012

O Reverso da Medalha

Com certeza aqueles que excomungam Sidney Sheldon, por considerar suas obras meros dramalhões, sem nenhum atrativo, passarão a me odiar após a revelação que estou prestes a fazer. Talvez nem terminem de ler esse post; mas vá lá, vou assumir as conseqüências, mesmo porque considero Sidney Sheldon um autor de grande talento. “Não entendo como ‘A Casa dos Espíritos’, de Isabel Allende se tornou um grande sucesso nos cinemas, enquanto ‘O Reverso da Medalha’, de Sheldon se transformou numa mini-série “R-I-D-Í-C-U-L-A”, exibida sem nenhum alarde em 1984; tão ridícula que ninguém mais se lembra dela. Considero o livro “O Reverso da Medalha” tão bom quanto “A Casa dos Espíritos”, e vou além, achei a leitura da obra de Sheldon bem mais atrativa.
Pronto, está feita a revelação: erética para alguns, mas para outros, algo normal. Aceita continuar lendo o post (rs)? Então vamos lá. Disse que não entendo como esses dois livros seguiram caminhos tão opostos na “Meca do cinema”, que todos sabem fica em Hollywood. Ambos tem muitas coisas em comuns: abordam sagas de famílias poderosas (os Trueba e os Blackwell); tem personagens femininas de personalidade forte como protagonistas (Clara, Blanca e Kate), abordam várias gerações de uma família; e finalmente venderam milhares de cópias consagrando definitivamente os seus autores.
Mas apesar de todas essas semelhanças, os dois livros tiveram trajetórias bem distintas quando foram adaptados para as telas, aliás, “O Reverso da Medalha” nem chegou a sair da telinha, já que virou uma escabrosa mini-série de TV com roteiro horrível e atores mais horríveis ainda. Fica uma indagação no ar: “Qual o motivo dos produtores e donos de estúdios de Hollywood não terem enxergado o potencial da obra de Sheldon?
Caramba! Percebi que já estou divagando; afinal de contas, o objetivo desse post é dar informações aos leitores sobre “O Reverso da Medalha” e não compará-lo com uma outra obra, no caso, “A Casa dos Espíritos” ou então tentar descobrir os motivos de seu fracasso em Hollywood. Por isso, mãos à obra, ou melhor, mãos aos teclados.
 “O Reverso da Medalha” pode ser considerado o melhor livro de toda a brilhante carreira de Sidney Sheldon. Considero-o uma ‘obra épica’, já que aborda os dramas, alegrias, conquistas e derrotas de quatro gerações da poderosa família Blackwell.
Tudo começa em 1883, quando o patriarca dos Blackwell, Jamie McGrecor, ainda adolescente, decide deixar a sua família na Escócia e seguir  para um distante povoado na África do Sul em busca de diamantes. O seu sonho é ficar rico, aproveitando o período da ‘febre dos diamantes’ que invade as terras africanas. Jamie come o pão que o diabo amassou e paga um preço altíssimo para conseguir o seu objetivo: ficar multimilionário. O capítulo em que Jamie e o seu fiel escudeiro Panda roubam os diamantes de uma mina super-protegida e até aquele momento inexpugnável é de tirar o fôlego.
Sheldon vai mostrando aos poucos a mudança na personalidade do outrora inocente, bondoso e romântico Jamie que após ser traído e espezinhado pelo seu futuro sogro Van der Merwe - um homem mau e ganancioso que se enriquece a custa do sofrimento dos seus garimpeiros – se transforma num ser humano vingativo e sem sentimentos, tão mau quanto Van der Merwe, que por sinal, é o dono da mina que Jamie e Panda roubam. Para Jamie só interessa uma coisa: se vingar da maneira mais cruel possível daquele que um dia lhe traiu e humilhou. E quem paga o preço dessa vingança é a filha única de Van der Merwe, a bela e inocente Margaret – a menina dos olhos de seu pai - que acaba se casando com o rapaz para viver um relacionamento frio e sem amor, pelo menos da parte de Jamie. É desse relacionamento que nasce Kate , a heroína do romance.
A partir daí, Sheldon explora de uma maneira simples, mas eficiente – que prende a atenção do leitor – todas as fases da vida de Kate: desde a sua infância até a fase adulta, quando se casa com um dos empregados de seu pai, David Blackwell, bem mais velho do que ela, mas a quem amou desde criança. Nem por isso, ela deixa de transformar David num joguete visando apenas a expansão de seu império.
Desde o momento que aparece pela primeira vez na história, Kate Blackwell domina as páginas do romance de Sheldon, graças a sua personalidade forte. Ela não é muito diferente de Jamie McGregor, já que é capaz de fazer coisas terríveis para o bem da Kruger-Brent, conglomerado de empresas que herdou de seu pai. Para ela, a Krueger-Brent está acima do marido, dos filhos e dos netos. Durante as páginas de “O Reverso da Medalha” aprendemos a amar e também odiar Kate Blackwell.
A parte mais tensa e pesada do romance de Sheldon envolve a terceira geração dos Blackwell, envolvendo o filho de Kate: Tony que no decorrer da história descobrimos se tratar de um esquizofrênico-homicida, chegando ao ponto de sofrer uma lobotomia para controlar o seu instinto assassino. A grande sacada de Sheldon é deixar “no ar” se a esquizofrenia de Tony é algo hereditário ou se foi causada pelas atitudes desumanas de Kate que acabou destruindo o sonho do filho de ser um famoso pintor. Para a matriarca dos Blackwell o que importava era apenas que Tony assumisse a direção do império da Krueger-Brent. O resto seria continuaria sendo resto.
É nesta parte do livro que Kate expõe o seu lado mau, egoísta e mesquinho, chegando ao ápice, quando tenta destruir os sonhos do filho por causa do seu império empresarial.
Mas Sheldon faz com que os leitores também admirem a sua heroína, como no capítulo em que ela salva Panda - o amigo do peito de seu pai, Jamie McGregor - de cair nas garras da polícia, já que ele se tornou um conhecido ativista político que luta pelo fim do racismo que dominava a África. O livro termina com a quarta geração da família Blackwel, onde Sheldon apresenta as filhas de Tony e também netas de Kate. São elas: a perversa e inteligente Eve e a angelical, mas tão inocente Alexandra. Eve é o demônio em pessoa capaz de tentar matar a própria irmã para se transformar em herdeira única dos bens da família Blackwell. Ela usa a sua beleza estonteante para conquistar os homens que interessam em seu jogo. Tudo para conseguir fama e dinheiro, mas o seu fim acaba sendo um dos piores possíveis.
Enfim, “O Reverso da Medalha” é um livrão para ser devorado em poucas horas. Um enredo que prende o leitor da primeira a última página, bem diferente do desastroso “A Senhora do Jogo”, de Tilly Bagshawe, considerado a sequência oficial da obra prima e épica de Sheldon.
Ah! Antes que me esqueça; atente para o prólogo de “O Reverso da Medalha”, talvez, um dos melhores se não o melhor de todos os livros de Sheldon. A cena em que Kate já bem velhinha reúne todos os familiares em sua mansão para revelar um grande segredo é fantástica.
Até o próximo post!

10 comentários:

  1. Olá... Sou do Blog "Grindhouse Project" e queria dizer que gosto muito do blog! Tem como a gente se falar por e-mail?
    grindprject@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. vixe jam, é eu ler suas postagens que minhas lista de livros para ler ganha mais um item rsrsrs mas enfim adoro seu blog está salvo em meus favoritos :D abrçs e sucesso

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Otávio! Fico feliz em saber que estou colaborando em suas escolhas de livros.
    Abcs!

    ResponderExcluir
  4. Acabei de fazer o download de O Reverso da Medalha por causa dessa postagem. E mal posso esperar pra começar. E eis a pergunta, PQ Ñ VIROU SUCESSO NA TELINHA? Me parece a melhor obra do Sheldon, pela sua descrição.
    Olha, tenho uma opinião ainda mais 'polêmica' q a sua: Ninguém supera Sidney Sheldon. Eu já li vários outros romances, mas nenhum me fascina como os dele.
    Parabéns pelo post, mt bom!

    ResponderExcluir
  5. Mary, Sheldon é um grande escritor, prova disso são os inúmeros prêmios conquistados logo no início de carreira. Vale lembrar que a sua obra " A Outra Face" foi eleita no inicio dos anos 70, época de seu lançamento como o melhor livro de suspense das últimas décadas. Qto ao "Reverso da Medalha", com certeza, irá adorar a saga da Familia Blackwell. Leia e depois me fale, ok?
    Ah! E que bom que gostou dos posts. Volte sempre! Será um prazer recebê-la por aqui.
    Abcs!!

    ResponderExcluir
  6. Terminei de ler o livro e agora concordo plenamente com tudo que você disse nessa postagem, é fantástico! O melhor!
    Como você disse, as vezes você ama Kate, as vezes você à odeia. Ela é demais, uma personagem como nenhuma outra dos romances do Sheldon, magnífica. Ela manipula todo mundo, e mesmo com 90 anos, no final do livro, ao meu ver, deixa a entender uma possível manipulação de seu neto Robert, assim como fez com Tony, seu filho.
    Agora, eu ñ pude deixar de soltar uma risada com o que aconteceu com Eve, dava tanto valor à beleza que acabou ficando feia e a irmã continuando linda! KKKK foi muito bem feito. Tbm não esperava o fim de Mellis, Eve puxou a esperteza da avó.
    Livro ótimo, e mais uma vez não consegui parar de ler, era a hora mais difícil pra mim quando tinha que ir dormir e deixar de ler. Cada página levava a outra e aquilo viciava...
    Agora eu vou ler ''A Senhora do Jogo''
    Só uma dúvida de principiante (rss) Pq o nome do livro é ''O Reverso da Medalha''? Não achei muito a ver com o enredo. Ou se tiver, eu ñ percebi. Você sabe? Poderia me tirar essa dúvida?

    Atenciosamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro fantástico, não é mesmo?! Quanto "A Senhora do Jogo", não espere tanto, mas mesmo assim, espero que goste. Na pior das hipóteses serve como uma continuação "meia boca" de "O Reverso da Medalha". Qto ao motivo do livro de Sheldon se chamar "O Reverso da Medalha", acredito que tenha sido alguma "brilhante" idéia de um funcionário ou executivo da Record que é a editora resposnável pela publicação dos livros de Sheldon no Brasil. Concordo com vc, não tem nada a ver com a história. Vale lembrar que em cada País onde foi lançado, o livro recebeu um título diferente, mas o título original é: "Master of Game" que significa "Capitã ou Comandante do Jogo". Nem preciso dizer que tem tudo a ver com a nossa Kate Blacksell (rs).
      Espero ter ajudado!
      Abraços!!

      Excluir
  7. hehee Eu sabia disso, aí fiquei pensando pq ñ deixaram o título traduzido msm, combinaria mais, mas o reverso da medalha? o.õ' E olha q comandante do jogo ou capitão ficaria muito melhor do q reverso da medalha.
    Sim sim, vc ajudou, mt obrigada :D
    Quanto a senhora do jogo, eu ñ encontrei em lugar algum em pdf pra baixar, vou ficar sem ler D: Mas vou passar pra outro do Sheldon. Vc tem alguma sugestão?
    Eu aceito, só não: Conte-me seus sonhos, A outra face, Lembranças da meia noite, Nada é eterno, O céu está caindo, O plano perfeito e Se houver amanhã pq eu já li. Poderia me dar só mais essa ajudinha?

    ResponderExcluir
  8. Mary,
    Como você já leu "Lembranças da Meia Noite" seria interessante dar uma olhadinha no livro "O Outro Lado da Meia Noite", já que "Lembranças..." é a continua da história de Noelle Page e Catherine Alexander. "A Ira dos Anjos" e "Se Houver Amanhã" também são boas sugestões; mas se vc quiser deixar um pouquinho a ficção de lado e conhecer detalhes sobre a vida de Sidney Sheldon, como foi a sua infância, adolescência, os problemas e dificuldades enfrentados até ter se tornado um grde escritor recomendo: " O Outro Lado de Mim: Memórias".
    Boa leitura!

    ResponderExcluir
  9. Eu adorei A senhora do Jogo, Foi por ele que eu li O Reverso da Medalha.. Depois da leitura deste é difícil sim comparar a escrita fascinante do Sidney Sheldon com outro autor, mas mesmo assim pra mim A senhora do jogo não é uma péssima continuação para alguém que tenta elevar sua obra a uma altura equivalente de um mestre como ele é..

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...