segunda-feira, 21 de março de 2016

10 autores que não publicam novos livros há muitos anos

Um dia desses ao reler “O Silencio dos Inocentes” acabei ficando P. da Vida. Caraca! É muita sacanagem do cara, meo! A minha revolta tinha como endereço certo o autor da obra. Um cara pra lá de talentoso chamado Thomas Harris que criou um dos mais icônicos personagens da literatura policial: Dr. Hannibal Lecter.
Harris seu sacana sem coração... há dez anos que nós – seus inveterados ‘leitores-fãs’ – estamos esperando um novo livro e nada.
Mas a minha revolta e frustração com os chamados ‘escritores-ursos’ que após lançarem livros antológicos, simplesmente entram num buraco e hibernam por décadas, atinge também outros caras folgados: Arthur Golden, Patrick Rothfuss, Dan Brawn, entre muitos outros.
Caramba, por onde andam esses caras?! Quando será que irão lançar um novo livro? (se de fato, vão lançar). Será que eles estão enfrentando uma crise de criatividade?
Neste post vamos saber por onde andam os ‘autores-ursos’ e porque estão demorando tanto para lançar um novo livro.
01 – Thomas Harris
Obra principal: O Silêncio dos Inocentes
O escritor e jornalista Thomas Harris foi o pai de um dos personagens mais fascinantes da literatura policial: Dr. Hannibal Lecter. O famoso serial killer esteve presente nos livros “Dragão Vermelho” (1981), “O Silêncio dos Inocentes” (1988), “Hannibal" (1999) e “Hannibal, A Origem do Mal” (2006). Todos eles adaptados com sucesso para os cinemas, mas foi “O Silêncio dos Inocentes” que transformou o Dr. Lecter num dos símbolos das cultura pop dos anos 80; o serial killer mais emblemático das páginas e também das telonas.
Harris não lança um novo livro há uma década. Cara, é tempo de mais para um autor que revolucionou a literatura policial. Vasculhei vários sites, blogs e outras redes sociais, incluindo a página oficial do escritor, mas não há nenhuma informação de que esteja preparando um novo livro.
Juro que estou temendo pelo pior. Harris já está com 75 anos, logo entrará na casa dos 80; e nessa fase sabemos que é normal ocorrer uma desaceleração criativa num autor. Temo que a vinda de uma nova história - quem sabe até mesmo mais uma sequencia envolvendo Dr. Lecter - está cada vez mais difícil.
02 – John Grogan
Obra principal: “Marley e Eu”
Muitos leitores acreditam que John Grogan escreveu apenas “Marley e Eu”, em 2005, mas não; ele também foi o autor de outros cinco livros que vieram na esteira do estrondoso sucesso da história do cãozinho que conquistou o mundo. As obras posteriores foram “Marley, O Cãozinho Atrapalhado” (2007), Meu Querido Christopfer” (2007), “De Volta Pra Casa” (2008), “Cachorros Encrenqueiros se Divertem Mais (2008), “O Natal de Marley” (2009) e Meu Barco e Eu (2010).
Já deu pra ver que Grogan não escreve há mais de cinco anos. Agora se as estatísticas entrarem no jogo, podemos afirmar que o autor americano está há quase 11 anos sem conhecer um novo sucesso, já que os livros lançados depois de “Marley e Eu” são obras desconhecidas para grande parte dos leitores.
Por ter gostado muito da história daquele cachorro labrador, torço demais para que Grogan ‘desperte’ e escreva um segundo Bestseller tão bom quando o primeiro lançado em 2005. Aliás, esperança é a ultima que morre.
03 – Rhonda Byrne
Obra principal: “O Segredo”
A escritora australiana Rhonda Byrne  sacudiu o ‘mundo literário’ em 2006 ao lançar “O Segredo”, uma espécie de chave da sorte que abriria todas as portas da felicidade, do prazer e principalmente do sucesso. Para ter essa chave nas mãos, bastaria ler “O Segredo”.
Cara, recordo-me que na época foi um ‘bafafá’ danado nas livrarias de vários países, incluindo o Brasil. Filas, empurra-empurra e mais isso e aquilo para conseguir a famosa chave da sorte, quero dizer, o famoso livro.
Alguns anos depois, em março de 2012, ela lançou outra obra nesse mesmo estilo chamada “Magia”.
Agora, decorridos seis anos, ninguém mais ouviu falar em Byrne. Tudo indica que ela se tornou um segredo.
04 – Dan Brown
Obra principal: “O Código Da Vinci”
Aos 51 anos de idade, Dan Brown já vendeu milhares de livros em vários países e criou polêmicas e mais polêmicas envolvendo o Vaticano e o cristianismo. Robert Langdon  - o famoso simbologista de Harvard, metido a investigador na horas vagas – saiu da mente criativa de Brown para se consolidar como um dos mais carismáticos personagens dos romances policiais.
O que ‘enche o saco’ dos leitores de Brown é a demora para lançar os seus livros. Para que você tenha uma idéia desse grande lapso de tempo, “O Símbolo Perdido” (2009) só chegou após seis anos do lançamento de “O Código da Vinci” (2003). Já, “Inferno” (2013) só deu as caras depois de quatro anos.
Agora fica a pergunta com relação ao próximo livro do autor, pois já fazem quatro anos que ele está ausente do prelo nas livrarias.
A boa notícia é que Brown deu sinal de seu novo romance numa palestra realizada, recentemente, em Dublin onde revelou que já está trabalhando em mais enredo para Langdon.
Quanto tempo vai demorar esse trabalho? Ninguém sabe.
05 – Patrick Rothfuss
Obra principal: “O Nome do Vento – A Crônica do Matador do Rei – Primeiro Dia”
Já estamos há seis anos sem receber nenhuma notícia sobre Kvothe, “O Arcano”, o personagem principal da saga “A Crônica do Matador do Rei” ("O Nome do Vento" e "O Temor do Sábio"). Os fãs da trilogia estão a beira de um ataque de nervos, já que Patrick Rothfuss, até agora, não definiu a data de lançamento.
A falta de informações acabou originando uma explosão de boatos sobre possíveis datas de lançamento, todas elas furadas. Alguns sites garantiram que o livro sairia em outubro de 2014, outros apostaram num dia qualquer de 2015 e assim por diante.
Na verdade, “As Portas de Pedra” – título provisório do livro que deverá fechar a trilogia sobre Kvothe – não tem nenhuma previsão de lançamento. Pode demorar um ou dois anos, quem sabe.
A demora é justificada pelo enorme esmero que o autor preserva durante a escrita e também por suas repetidas revisões que acabam deixando o trabalho mais lento, o que sempre resulta num trabalho final primoroso como aconteceu com os dois primeiros volumes da saga.
06 – Kim Edwards
Obra principal: O Guardião de Memórias”
Esta autora norte-americana não é fraca não. Seu primeiro livro, “O Guardião de Memórias” (2005) vendeu cerca de 500 mil cópias somente no Brasil. Quer mais? Ok. A coletânea de contos “Os Segredos do Rei do Fogo” (2008) lhe valeu os prêmios Whiting e Nelson Algren, dois dos mais importantes da literatura americana. Mas, infelizmente, Kim Edwards tomou Doril e depois sumiu.
Seu livro mais recente – “O Lago dos Sonhos” - foi lançado em 2011 e de lá pra cá, absolutamente nada. E pior, não há nenhuma informação nas redes sociais de que ela esteja trabalhando em um novo romance.
07 – Orlando Paes Filho
Obra principal: “Angus: O Primeiro Guerreiro”
O escritor brasileiro Orlando Paes Filho, de 54 anos, é o criador da épica série “Angus”. Ele criou o personagem em 1978 quando tinha apenas 16 anos e então, a partir daí, começou a produzir os enredos. O sonho de adolescente de Paes tornou-se o seu objetivo de adulto e durante os últimos anos, o escritor se dedicou a uma saga composta por um número ‘infindável’ de livros.
Pena que as aventuras do guerreiro medieval Angus deram uma desacelerada e pararam em 2010 no terceiro volume. Não tem livro novo do autor nos toplists há mais de cinco anos. Os fãs de Angus continuam ansiosos por uma nova aventura do herói.
08 – Arthur Golden
Obra principal: “Memórias de Uma Gueixa”
Arthur Golden faz jus ao título de “autor de um livro só”. É de sua autoria o bestseller “Memórias de uma Gueixa” que foi um grande sucesso não só entre os leitores, mas também entre os críticos literários. Lançado em 1997, o livro é rico em minúcias, revelando um conhecimento profundo da cultura e da história do Japão.
Golden traz as confissões e as experiências de vida da gueixa Nitta Sayuri. Conduzido pela personagem, o leitor entra num mundo onde o que mais conta são as aparências, onde se pode leiloar a virgindade de uma criança, onde as mulheres são treinadas para enfeitiçar os homens mais poderosos e onde o amor é desprezado como uma ilusão.
Devido ao mega-sucesso da obra literária, a Columbia Pictures em conjunto com a Dream Works produziram 2006, o filme “Memórias de uma Gueixa”.
Parece algo surreal, mas pode acreditar: Temos um autor que escreveu um baita romance, do qual originou um baita filme e mesmo assim, está sem lançar um novo livro há 19 anos!
09 – Eric Garcia
Obra principal: “Os Coletores”
Os Coletores” foi um dos melhores livros de ficção cientifica que eu já li. Ele foi indicado ao Prêmio Philip K. Dick, para autores do gênero, ganhando posteriormente uma adaptação cinematográfica, estrelada por Jude Law e Alice Braga. Na história, uma tecnologia chamada "artiforgs", permite reproduzir artificialmente qualquer órgão do corpo humano. Praticamente indestrutíveis, os novos órgãos de metal e plástico são aparentemente muito mais confiáveis e eficientes do que os rins falíveis e os pulmões sujeitos a câncer. Mas é importante ressaltar que, em casos de inadimplência, um dos profissionais da companhia fará uma rápida visita, extrairá o produto e o levará de volta imediatamente.
Não entendo porque Eric Garcia, autor dessa preciosidade, está sem publicar uma história inédita desde 2009. Estaria ele sofrendo dos famosos bloqueios de criatividade que ‘volta e meia’ atacam alguns escritores?
10 – Winstom Groom
Obra principal: Forrest Gump
Este autor americano lançou até agora sete livros, mas somente um foi publicado no Brasil com tradução para o nosso idioma: “ForrestGump”. Os outros podem ser encontrados, mas todos em inglês.
Forrest Gump escrito em 1986 deu origem ao filmaço homônimo, oito anos depois, estrelado por Tom Hanks e com uma trilha sonora m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a.
Winstom Groom está sem escrever desde 1998, data de seu último livro: Such a Pretty, Pretty Girl. Realmente, um desperdício para uma mente brilhante da qual saiu um personagem como Forrest Gump.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...