quarta-feira, 18 de outubro de 2017

O Jogo do Anjo (2º volume da saga O Cemitério dos Livros Esquecidos)

Estava com um receio enorme em iniciar a leitura de “O Jogo do Anjo”. Tinha acabado de ler “A Sombra do Vento” e acreditava que Carlos Ruiz Zafón não iria conseguir escrever uma sequência tão boa quanto o primeiro livro da saga “O Cemitério dos Livros Esquecidos”. E advinha? Eu estava errado. Muito errado. Zafón conseguiu criar um enredo tão envolvente quanto “A Sombra do Vento”.
Apesar de ter escrito uma história com elementos sobrenaturais, fugindo das características de “A Sombra do Vento” que tinha um clima mais realista, o autor consegue prender da atenção do leitor da primeira a ultima página.
O sucesso de “O Jogo do Anjo” deve-se em grande parte a elaboração fantástica de seus personagens principais. Caraca, como Zafón é bom nisso! David Martin - o atormentado e talentoso escritor que para fugir de seu destino nada promissor decide, supostamente, vender a sua alma ao diabo – é o personagem mais instigante já criado por Zafón. Em determinados momentos, você o considera um verdadeiro calhorda, em outros, o melhor dos seres humanos. A partir do instante em que o leitor vai conhecendo a vida cheia de agruras e rejeições do personagem, inclusive dentro de seu lar com os próprios pais, passa a ter uma maior identificação com ele e até mesmo compreender algumas de suas atitudes menos comuns.
A minha admiração por Zafón vem da sua capacidade em conseguir transformar personagens pequenos em verdadeiros gigantes, como por exemplo Dom Basílio e Victor Grandes. O primeiro, subdiretor de um jornal decadente onde Martin começa a trabalhar e o segundo, um inspetor da polícia de Barcelona que fica nos calcanhares do protagonista após a ocorrência de uma onda de assassinatos estranhos na cidade.
Dom Basílio dá os ares de sua graça em poucas páginas, mas conquista o leitor com a sua antipatia de fachada, porque na realidade, ele é dono de um grande coração. Juro que ele com aquele inseparável lápis vermelho rabiscando os textos de seus redatores, encontrando erros existentes ou inexistentes, lembrou um antigo ex-editor que trabalhou comigo. Quanto a Victor Grandes, Zafón guarda um grande Ás na manga, dando uma reviravolta na vida do personagem, deixando o leitor de queixo caído. Ele começa pequeno e desinteressante na trama, mas de repente: Booom!! O personagem dá uma quinada de 360 graus, revelando um grande segredo.
Se você adorou as reviravoltas no enredo de “A Sombra do Vento”, com certeza, irá gostar de “O Jogo do Anjo” que segue a mesma linha. Quando tudo parece caminhar para um desfecho normal, envolvendo determinado personagem, eis que vem a surpresa e o que você pensava ser o óbvio, acaba se transformando em algo totalmente inesperado. Este estilo de escrita do autor espanhol faz com que o leitor se transforme num devorador de páginas, atravessando madrugadas lendo o livro; como eu fiz.
Em “O jogo do Anjo” você também terá a oportunidade de conhecer, em detalhes, a vida de Isabella, a mãe de Daniel Sempere, um dos protagonistas de “A Sombra do Vento”. Zafón resgata as origens da personagem, mostrando como foi a sua infância e adolescência e ainda como ela conheceu Sempere, o pai de Daniel. É prazeroso entrarmos na intimidade dos “pais adolescentes” de Daniel Sempere. Vale lembrar que todos esses personagens cruzam os seus destinos com o de David Martin.
A história de “O Jogo do Anjo” se passa bem antes de “A Sombra do Vento”, no primeiro ano do século XX.  O autor narra a saga do escritor David Martin que logo ao nascer, já começou a tomar golpes da vida. Seu pai, segurança de um jornal em Barcelona, morreu assassinado na porta da redação quando o autor ainda era uma criança. O jeito para a escrita logo se manifestou, mas as oportunidades nunca estiveram à altura do potencial do rapaz. As pancadas em sua vida continuaram acontecendo com freqüência, entre as quais, a perda de seu grande amor que foi parar nos braços de seu melhor amigo.
Aos 28 anos, cínico, habituado a vender barato o seu talento, vivendo sozinho num casarão em ruínas, David se descobre doente e com pouco tempo de vida. É quando resolve fazer um pacto com um  misterioso personagem que surge em sua vida, prometendo muito dinheiro e o restabelecimento de sua saúde. Este pacto terá grandes conseqüências na vida do personagem. Boas ou más? Só lendo o livro para saber.
O que posso dizer é que a história tem um final inesperado.
Podem conferir, sem medo.


sábado, 14 de outubro de 2017

Jovem escritor brasileiro lança 1º volume de trilogia infantojuvenil. “Vince – A Busca de um Caminho” tem dragões, pântanos, castelo misterioso e muita aventura

Fico imaginando quantos escritores brasileiros de talento estão lutando para  lançar o seu primeiro livro e não conseguem. Já tive a oportunidade de ler vários originais escritos por alguns amigos que fiz ao longo dos meus mais de seis anos de blog. Posso afirmar que são histórias fantásticas e que segundo os seus autores foram recusadas por várias editoras.
Cara, as vezes penso que  a maioria dessas editoras, sequer lêem os originais que recebem. Na pior das hipóteses “batem os olhos” na introdução e param por aí. Esta é a única explicação plausível que eu encontro para tantas porcarias – geralmente de escritores americanos ou europeus - publicadas com grande estardalhaço e que não chegam aos pés dos originais ‘rejeitados’ que eu li.
Fazer o que? Só resta torcer para que as nossas grandes editoras passem a tratar com mais carinho e atenção os enredos que recebem de novos autores, aqui da terrinha, para serem analisados. Com certeza, esses editores  estão perdendo jóias raríssimas e de uma maneira displicente, ingênua e me desculpem a sinceridade, até mesmo burra, deixando passar a oportunidade de ganharem muito dinheiro com as vendas de boas histórias.
Por isso quando descubro que algum escritor tupiniquim conseguiu romper esse preconceito, com certeza comemoro com uma bateria de fogos.
Não poderia deixar de citar as editoras Multifoco, Chiado e Scortecci que são, na minha opinião, as únicas que ainda procuram dar uma chance para o novos talentos da escrita no Brasil. Pelo menos, por enquanto, elas ainda não aderiram a febre  das publicações de s youtubers.
Vinícius Varzim Cabistany
Torço muito por esses jovens escritores que lutam por um lugar ao sol e procuro ajudá-los, na medida do possível. Bem, mas vamos ao que interessa. Tem novo escritor brasileiro no pedaço que conseguiu publicar o seu livro. Trata-se de Vinicius Varzim Cabistany. Recebi o pdf da obra e apesar de ter parado de ler romances digitais, pois tenho que priorizar as obras físicas que recebo, resolvi acrescentar “Vince – A Busca de um Caminho” em minha lista de leitura. Confesso que fiz uma leitura dinâmica do pdf, mesmo assim, gostei.
“Vince – A Busca de um Caminho” é uma obra infanto-juvenil muito interessante. É o  primeiro volume de uma trilogia, ambientada em um mundo fantástico onde  os três protagonistas, Vince, Tom e Mike, são arrastados para uma realidade totalmente diferente do cotidiano
em que viviam, sendo obrigados a lutar pela sobrevivência e ao mesmo tempo, encontrar um caminho de volta para casa. Os três adolescentes precisam lidar com a realidade de viver em uma região vasta, tão bela quando perigosa e aparentemente esquecida do resto do mundo.
O autor busca o apoio de dragões e outros animais excêntricos, além de muitas peripécias, fugas e desafios  para deixar o enredo bem mais interessante. E consegue.
Os cenários incluem florestas densas, pântanos estéreis, desertos
escaldantes e até um castelo misterioso. A jornada avança motivada pela inabalável esperança de encontrar ajuda ou mesmo pistas que possam indicar um caminho a ser seguido.
Ao final, a procura culmina no objetivo traçado, logo nos primeiros diálogos, onde todos concordam em alcançar o ponto mais alto do vale.
O caminho até lá reserva surpresas incríveis, de encontros com criaturas
desconhecidas  à  descobertas  surpreendentes sobre o  vale, mas também revela a face mais egoísta de cada personagem.
Gostei do ritmo da narrativa e com certeza os leitores que apreciam histórias de aventura com muita adrenalina irão aprovar o lançamento do selo ‘Desfecho Romances’ da editora Multifoco.
Vinicius Cabistany nasceu em Rondonópolis e atualmente reside em Campos Grande (MS). É biólogo e professor de ciências naturais e segundo ele, viu na natureza das diferentes regiões onde viveu, os cenários perfeitos para as narrativas de “Vince – A Busca de um Caminho”.
Boa leitura. Acredito que irão gostar. 




terça-feira, 10 de outubro de 2017

Stephen King escreve livro em parceria com Owen, seu filho caçula. “Belas Adormecidas” já está em pré-venda

Imagine só duas feras do gênero terror unindo forças para lançar um livro. Pai e filho. Um mestre e o outro, aprendiz, aliás, um ótimo aprendiz. É evidente que estou ‘falando’ de Stephen e Owen King. Os dois decidiram escrever uma história arrepiante e que certamente irá tirar o sono de muitos leitores.
“Belas Adormecidas” mostra uma cidade muuuito e apavorante onde as  mulheres dormem envoltas em casulos. Se perturbadas, elas se tornam extremamente ferozes e violentas. Entretanto, uma misteriosa mulher parece ser imune a essa condição. A pergunta que fica no ar: Seria ela uma anomalia médica ou um demônio que deve ser exterminado a qualquer custo? Um mote incrível, não acham?
Segundo o pai e o filho caçula, o processo de escrever um livro a quatro mãos foi pacífico, sem nenhum tipo de conflito. Eles se entenderam perfeitamente bem. Por exemplo, Owen escrevia cerca de 30 páginas e depois perguntava ao pai onde ele iria a partir daquele ponto. King, por sua vez, disse que não estranhou o processo nem um pouco, pois já tinha escrito uma história com o seu filho mais velho Joe Hill.
Stephen e Owen King
Mas não pense que por ser pai, o mestre do terror teve uma atitude paternalista com Owen. Nada disso, ambos se comportaram como dois profissionais sem vínculos familiares – pelo menos foi o que King disse em entrevista coletiva e... Owen concordou – para que o enredo fluísse naturalmente.
O projeto deu tão, mas tão certo que os dois  já estão pensando em escrever um segundo livro juntos.
Taí galera, “Belas Adormecidas” já está em pré-venda nas principais livrarias virtuais, o problema é que... cada uma delas aponta uma data de lançamento diferente, a maioria para novembro, mas prefiro seguir a cartilha da Amazon e principalmente da Suma de Letras que é a ‘dona dos porcos’, afinal, é a editora responsável pelos lançamentos dos livros de King no Brasil. A data divulgada tanto pela Amazon quanto pela Suma é 16 de outubro.

Aguardemos! 

sábado, 7 de outubro de 2017

O Pequeno Príncipe

Defino “O Pequeno Príncipe’ como um livro de cabeceira de muitas gerações. Uma obra que foi passando de pais para filhos ao longo de décadas sem perder a sua atualidade. Também pudera, a história escrita pelo francês Antoine de Saint-Exupéry, há mais de 70 anos, é antológica.
Tive contato com o livro através de uma professora quando ainda estava cursando o primeiro ano do antigo ginasial. A nossa classe tinha de fazer um trabalho baseado na obra de Saint-Exupéry, acho que um resumo, não me lembro bem. A classe inteira amou a história; até mesmo aqueles alunos que não eram muito chegados em literatura. Acredito que a partir daquele momento, “O Pequeno Príncipe” injetou nas veias de vários alunos o gosto pela leitura.
Sem querer deificar a obra, ela pode ser considerada o clássico dos clássicos e uma das mais importantes do século, pois transcende o tempo e o espaço em que foi criada, se perpetuando ao longo de décadas. Quem lê “O Pequeno Príncipe” acaba descobrindo o que há de melhor nos seres humanos. Só mesmo, você lendo as suas páginas para entender melhor o que estou tentando explicar.
Trata-se de uma das obras literárias mais traduzidas no mundo, tendo sido publicada em mais de 220 idiomas e dialetos. Saint-Exupéry foi também autor das ilustrações originais de 1943. Em Portugal, O Principezinho, como ficou conhecido,  integra o conjunto de obras sugeridas para leitura integral, na disciplina de Língua Portuguesa, no 2º Ciclo do Ensino Básico.
Aquele menino lourinho se transformou num dos personagens mais famosos e queridos de todos os tempos, que empolga crianças e adultos com ensinamentos inesquecíveis. Sua história deixa marcas pela forma simples de suas mensagens de otimismo, simplicidade e amor ao nosso planeta. 
O livro conta a história de um piloto que cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. Naquele lugar ermo, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. 
Uma obra imperdível que não pode faltar na biblioteca de nenhum adulto e também de nenhuma criança.
Fantastic!