sábado, 29 de abril de 2017

Reversos da Vida

Quando eu estudava em Bauru, tinha um locutor de rádio naquela cidade com uma voz aveludada que fazia muito sucesso. Um amigo meu sempre dizia que a voz do tal locutor tinha o poder de hipnotizar quem estivesse por perto. – “Deus me livre! O cara te seduz com essa voz! Tô fora!”. – Eu me divertia muito com o Luiz que vivia chamando o comunicador de ‘Ravengar Apaixonado’. Pois é galera, a literatura de folhetim é muito parecida com esse locutor de voz macia que hipnotiza quem o ouve ou nesse caso do folhetim, quem o lê.
Não importa que a estrutura do enredo folhetinesco seja sempre a mesma - história impreterivelmente de amor no estilo: moço e a moça se encontram com sinceridade. O encontro e o relacionamento do casal não podem ser escandalosos. Eles sofrem horrores com maquinações de familiares que não aceitam o romance, de amigas invejosas que cobiçam o bom partido, de cartas caluniosas, de acidentes inesperados; enfim todo tipo de contratempos. Mas... o final sempre é feliz –, ela tem o poder de prender a atenção do leitor. Que o digam as revistas Sabrina, Julia, Bianca e outras, cujo sucesso durou décadas.
Por ser raro encontrar, atualmente, romances no estilo folhetim nas livrarias, principalmente lançados por autores brasileiros, “Reversos da Vida”  da escritora baiana Terezinha Teixeira dos Santos acabou despertando o meu interesse. Confesso que a minha curiosidade ficou ainda mais aguçada por nunca ter lido – pelo menos que eu me lembre – uma obra com essas características, excetuando algumas revistas Sabrinas e fotonovelas que arrisquei na minha infância.
Por isso, solicitei à Scortecci Editora que, se possível, me enviasse o livro para resenhá-lo. Outro fator que pesou na balança foi o pequeno numero de páginas da obra, apenas 118 e em letras graúdas. Como estou encarando as 560 páginas de “O Legado Bourne” de Eric Van Lutsbader, queria algo, digamos... menor. E foi assim que “Reversos da Vida” caiu em minhas mãos.
Foi uma leitura do tipo ‘vapt-vupt’. Não só pelas poucas páginas da obra, mas principalmente pelo enredo que prende a atenção até o final. Não me pergunte como uma narrativa simples e com poucos personagens consegue prender o leitor. Sei lá, acho que essas características peculiares dos romances de folhetim são inexplicáveis.
“Reversos da Vida” é uma história de amor à moda antiga, com drama, suspense, sofrimentos, reviravoltas e uma intensa trama de amor. Uma homenagem da autora aos romances-folhetins que conquistaram gerações nos séculos XIX e XX. O livro narra a história de Pollyane e Marcelo, separados após um trágico acidente e que terão o amor colocados a prova.
O romance lembra um pouco ‘Romeu e Julieta’, já que um dos motivos que impede Pollyane e Marcelo de ficarem juntos é uma velha rixa familiar. Apesar dos pais – principalmente os de Marcelo - serem contra o relacionamento do casal, chegando ao ponto de armar situações ardilosas para separá-los, os dois não desistem diante das adversidades. Bem... até que uma situação inesperada acaba colocando o amor do casal à prova.
Terezinha Santos segue a risca as características dos folhetins de décadas passadas no que se refere aos costumes e linguagem dos personagens. Ela foi muito feliz nessa recriação de época.
Enfim, uma típica novela passional romântica do século XIX recheada de amor, separação, dor e reencontro.
Acho que a galera romântica irá gostar, principalmente se forem fãs das Sabrinas, Julias, Biancas e Cia.
Inté!
Detalhes da obra
Editora: Scortecci Editora
Autora: Terezinha Teixeira Santos
Gênero: Ficção (Romance Folhetim)
Formato: 14 x 21 cm 
Páginas: 124
Edição:1ª edição
Ano: 2017
Preço sugerido: R$ 25,00
Onde encontrar: Livraria Asabeca

terça-feira, 25 de abril de 2017

‘O Portador do Fogo’, 10º volume das Crônicas Saxônicas, será lançado no começo de maio. Livro já está em pré-venda

Man! Eu não caibo de alegria, de emoção e mais isso e aquilo. O meu coração tá em ponto de ebulição. O motivo? Ok, eu digo: o lançamento do 10º volume das ‘Crônicas Saxônicas’ de Bernard Cornwell. Cara, para entender o que eu estou sentindo só mesmo aqueles que leram os nove livros da saga publicados até agora. Esqueça o Uhtred bonito e certinho da série Last Kingdom que estreou o ano passado no canal History. O personagem da TV nem se compara ao do livro. Aliás, fazer  tal comparação é uma covardia e das grandes. O Uhtred das páginas é um guerreiro letal no uso de sua espada, mas ao mesmo tempo divertido porque usa e abusa dos xingamentos para se referir aos seus rivais, notadamente quando eles se enfrentam cara a cara numa batalha.
Este Uhtred, o original, é incapaz de ser transportado para as telas por qualquer ator. Só mesmo quem leu todos os livros das ‘Crônicas Saxônicas’ para entender o que estou falando escrevendo. E agora, os fãs da saga que vendeu mais de 300 mil exemplares somente no Brasil, já podem comemorar porque no dia 02 de maio chega nas livrarias físicas e virtuais de todo o País, o 10º livro da série intitulado ‘O Portador do Fogo’.
De acordo com a sinopse fornecida pela editora Record, no novo livro, a Britânia enfim encontra um momento de paz. Sigtryggr, senhor da Nortúmbria, e a rainha Æthelflaed, senhora da Mércia, chegaram a um acordo e decretaram uma trégua, com o apoio do maior guerreiro da época, Uhtred de Bebbanburg. Uhtred vê então a chance de recuperar suas terras, tomadas por seu tio tantos anos - e agora mantidas por seu ardiloso primo. Mas os inimigos que Uhtred fez depois de tantos anos em guerra e os juramentos que prestou, além de uma rede intrigas, o desviam temporariamente do sonho de recuperar Bebbanburg. E isso abre espaço para o surgimento de um novo inimigo, o temível Constantin da Escócia, que aproveita o clima de incertezas para comandar seu exército para o sul e conquistar terras da Nortúmbria. Porém, Uhtred está determinado, e nada, nem novos nem antigos inimigos, será capaz de mantê-lo afastado de seu direito de nascimento.
Após algumas madrugadas zapenando nas redes sociais e na internet de um modo geral, descobri que Cornwell optou pela morte de um personagem importante na trama. Caraca, quem será?! Æthelflaed? Sigtryggr? Æthelstan? Stiorra? Quem? Só mesmo aguardando a chegada de 02 de maio para saber.
Os fãs mais afoitos da série – aqueles como eu – que quiserem garantir o seu livro, já podem reservá-lo. ‘O Portador do Fogo’ entrou em pré-venda nas livrarias virtuais.
Melhor garantir do que esperar, concordam?
Inté!


sábado, 22 de abril de 2017

“202 Perfumes Para Provar Antes de Morrer – Edição Masculina” ensina os segredos na hora de escolher a fragrância ideal

A escolha errada de um perfume pode provocar situações constrangedoras. Verdade! Você pode achar que o aroma é divinamente fantástico para aquela ocasião, mas na realidade... não é. Pelo contrário: o efeito é devastador para quem está perto de você.
Um amigo que trabalha em uma perfumaria num shopping, me disse há algum tempo, que não basta escolher um aroma, passar no corpo e sair por aí. Saber escolher o perfume certo é uma arte.  Este meu amigo perfumista costuma dizer que uma fragrância não perfuma apenas a pele, mas a alma. Por isso, temos de escolher fragrâncias que combinem com a nossa personalidade. Ele lembra ainda que para cada ocasião existe uma fragrância ideal. Por exemplo, é constrangedor uma pessoa ir trabalhar durante o dia usando um perfume típico para eventos sociais noturnos ou pior: passar, à la vontê, nas axilas uma fragrância que deve apenas ser respingada atrás das orelhas ou no pescoço.
Não fazia idéia, mas na realidade, a perfumaria é uma arte. Talvez, por isso, o livro “202 Perfumes Para Provar Antes de Morrer – Edição Masculina” do autor Daniel Barros, lançado pela Scortecci Editora em 2014 tenha batido recordes de vendas. Cara, o livro vendeu muito, mas muito, de fato. Vendeu tanto que a editora decidiu  publicar uma 2ª edição da obra neste ano, lembrando que existe também uma edição feminina do livro chamado “303 Perfumes Para Provar Antes de Morrer” que foi publicado em 2015.
O livro de Barros foi um ‘achado’ para os amantes da perfumaria já que eles tem
Daniel Barros, autor do livro
recursos muito limitados se quiserem ler assuntos relacionados à sua ‘paixão’. O autor presta uma verdadeira consultoria para aqueles leitores que ficam confusos na hora de escolher um perfume.
O argumento principal utilizado por Daniel Barros tanto a edição masculina quanto a feminina do livro - é explorar os mais importantes perfumes dentro de cada família olfativa. Todos os perfumes são bem conhecidos do autor, que os descreve e os aconselha para seus públicos específicos. É um guia prático e fácil de consultar, assim como fácil de entender.
Em “202 Perfumes Para Provar Antes de Morrer – Edição Masculina” Daniel Barros mostra de maneira didática as diversas possibilidades do mundo da perfumaria masculina. A proposta é fazer com que o leitor encurte o caminho para escolher o seu perfume (ou estilo) ideal, assim como também ampliar seu horizonte olfativo e aprender a se conhecer melhor por meio de fragrâncias. 
Todas as resenhas sobre perfumes que constam na obra têm como base testes pessoais feitos com fragrâncias que pertencem à coleção do autor. Ele escolheu falar daquelas que gosta e deixar de fora as consideradas ruins. Ele escreve ainda sobre a origem do perfume, os gostos dos brasileiros, a atividade de perfumista, os métodos de extração, a memória olfativa, a linguagem do perfume, conselhos de aplicação entre outros temas. 
Daniel Barros é proprietário da Ego In Vitro (www.egoinvitro.com.br), consultoria para ajudar pessoas a encontrar perfumes de acordo com o seu estilo e personalidade. Para isso desenvolveu uma metodologia comprovada de experimentação de amostras dentre as mais de 1.200 fragrâncias de seu acervo.
A 2ª edição de “202 Perfumes Para Provar Antes de Morrer” relançada pela Scortecci pode ser encontrado na livraria Asabeça  (http://migre.me/wu8yF).
Agora só resta deseja uma boa leitura para os amantes de um bom perfume.
Classificação
Gênero: Artes / Perfumes
Subgênero: Moda e Design
Formato: Brochura
Informações Básicas
Autor: Daniel Barros
Editora: Scortecci Editora
Edição: 2ª
Ano: 2017
Páginas: 124

terça-feira, 18 de abril de 2017

“Hebe: A Biografia” já está em pré-venda. Lançamento do livro está previsto para a primeira semana de maio

Galera, desculpe-me por estar ‘meio’ down hoje. A derrubada de ânimo aconteceu por causa de uma descoberta que chegou tarde demais. Caraca, se ‘ela’ tivesse chegado antes! A tal descoberta que me refiro é o número do chassi de meu carro que oxidou e com isso, precisou ser remarcado pelo Detran. Meu!!! O que eu e Lulu investimos nesse carro!! Suspensão, amortecedores, layout, pneus e mais isso e aquilo. Que carraço cara! E de repente... A FDP da ferrugem, algo mínimo do mínimo, acaba comendo, justamente, dois ou três números do chassi. Resultado: remarcação, na lata. E de carona com a remarcação do chassi, veio a desvalorização do carro. E bota desvalorização nisso man!!
Hoje, na concessionária, no instante que o dono revelou o valor do meu carro, quase tive um treco. Entrei em deprê. Se não fosse Lulu para me animar – não sem antes, também, ter explodido e mandado tudo para a PQP – não sei o que seria de mim.
Quando ela me viu, soltou o verbo: - “Não me apaixonei por nenhum coveiro da Família Adams! Por isso, troque logo essa cara meu amigo!” -  E depois concluiu: - “Veja o exemplo da Hebe que não abandonou nem mesmo durante a sua grave doença aquele sorriso do tipo ‘ ai que gracinha!!’
- “Ué! Pêra aí Lulu. Você estava ao lado dela para saber isso???!! – “Não importa, pode trocar essa cara por outra menos feia”. – “Ok, garota, menos feia né? Quer dizer que o meu normal já é o feio. Valeu pelo apoio, girl”.
Bem, trocamos algumas risadas e o meu lado down foi-se embora. Ao chegar em casa, o exemplo de Hebe não me saía da cabeça, afinal, ela foi uma das responsáveis pelo reerguimento de meu astral. Comecei a zapear nas redes sociais e acabei descobrindo que no dia 06 de maio próximo será lançada uma biografia sobre a saudosa artista. Olha, juro que me interessou. Por isso, resolvi escrever esse post para avisar os fã da Hebe sobre a chegada, em breve, de seu livro.
A biografia da Hebe foi escrita pelo jornalista Artur Xexéo e desembarcará nas livrarias pelo selo da BestSeller que faz parte da editora Record, em parceria com a Hebe Forver, empresa que preserva o legado da apresentadora.
O livro vai contar a trajetória desse ícone da nossa cultura pop que começou como cantora de rádio, prestigiou a primeira transmissão ao vivo da televisão brasileira, em 1950, e se estabeleceu como apresentadora, recebendo diversas personalidades em seus programas de entrevistas, que primavam pela informalidade ao serem realizadas em um confortável sofá.
Xexéu deverá trazer inúmeras curiosidades sobre a vida de Hebe que apresentou o primeiro programa feminino da televisão brasileira: “O Mundo é das Mulheres”. Também deverão estar presentes nas páginas, detalhes não só dos bastidores de sua vida profissional como também particular, entre as quais o seu casamento com o empresário Décio Capuano em julho de 1964, considerado uma das cerimônias mais bonitas que a cidade de São Paulo já viu. Após a união, a artista tomou uma decisão radical. Decidiu abandonar a carreira.
Enquanto era pressionada para voltar à TV, a apresentadora realizou o sonho de ser mãe. Em setembro de 1965, nasceu Marcello, seu único filho.
Quando voltou à carreira artística, Hebe passou a comandar um programa na Rádio Excelsior direto de sua casa. Depois, estreou uma atração no Canal 7, TV Record: o “Programa Hebe” que contou com a presença de Roberto Carlos na estréia e chegava a alcançar 70% de audiência, um verdadeiro fenômeno na época. Foi a partir daí que o sofá se tornou uma das marcas registradas da comunicadora e um dos maiores símbolos da televisão brasileira.
Hebe Camargo faleceu 29 de setembro de 2012, de falência dos órgãos. Sua saúde estava fragilizada desde 2008, quando ela foi diagnosticada com câncer no peritônio, membrana que reveste a cavidade abdominal.
Agora só resta aos fãs aguardar a chegada de 06 de maio para conferir a biografia da “Rainha da TV Brasileira”. Para os fãs mais arodrosos que quiserem garantir o seu exemplar, a boa notícia é a de que “Hebe: A Biografia” já está em pré-venda na principais livrarias virtuais.
Inté !