quarta-feira, 18 de outubro de 2017

O Jogo do Anjo (2º volume da saga O Cemitério dos Livros Esquecidos)

Estava com um receio enorme em iniciar a leitura de “O Jogo do Anjo”. Tinha acabado de ler “A Sombra do Vento” e acreditava que Carlos Ruiz Zafón não iria conseguir escrever uma sequência tão boa quanto o primeiro livro da saga “O Cemitério dos Livros Esquecidos”. E advinha? Eu estava errado. Muito errado. Zafón conseguiu criar um enredo tão envolvente quanto “A Sombra do Vento”.
Apesar de ter escrito uma história com elementos sobrenaturais, fugindo das características de “A Sombra do Vento” que tinha um clima mais realista, o autor consegue prender da atenção do leitor da primeira a ultima página.
O sucesso de “O Jogo do Anjo” deve-se em grande parte a elaboração fantástica de seus personagens principais. Caraca, como Zafón é bom nisso! David Martin - o atormentado e talentoso escritor que para fugir de seu destino nada promissor decide, supostamente, vender a sua alma ao diabo – é o personagem mais instigante já criado por Zafón. Em determinados momentos, você o considera um verdadeiro calhorda, em outros, o melhor dos seres humanos. A partir do instante em que o leitor vai conhecendo a vida cheia de agruras e rejeições do personagem, inclusive dentro de seu lar com os próprios pais, passa a ter uma maior identificação com ele e até mesmo compreender algumas de suas atitudes menos comuns.
A minha admiração por Zafón vem da sua capacidade em conseguir transformar personagens pequenos em verdadeiros gigantes, como por exemplo Dom Basílio e Victor Grandes. O primeiro, subdiretor de um jornal decadente onde Martin começa a trabalhar e o segundo, um inspetor da polícia de Barcelona que fica nos calcanhares do protagonista após a ocorrência de uma onda de assassinatos estranhos na cidade.
Dom Basílio dá os ares de sua graça em poucas páginas, mas conquista o leitor com a sua antipatia de fachada, porque na realidade, ele é dono de um grande coração. Juro que ele com aquele inseparável lápis vermelho rabiscando os textos de seus redatores, encontrando erros existentes ou inexistentes, lembrou um antigo ex-editor que trabalhou comigo. Quanto a Victor Grandes, Zafón guarda um grande Ás na manga, dando uma reviravolta na vida do personagem, deixando o leitor de queixo caído. Ele começa pequeno e desinteressante na trama, mas de repente: Booom!! O personagem dá uma quinada de 360 graus, revelando um grande segredo.
Se você adorou as reviravoltas no enredo de “A Sombra do Vento”, com certeza, irá gostar de “O Jogo do Anjo” que segue a mesma linha. Quando tudo parece caminhar para um desfecho normal, envolvendo determinado personagem, eis que vem a surpresa e o que você pensava ser o óbvio, acaba se transformando em algo totalmente inesperado. Este estilo de escrita do autor espanhol faz com que o leitor se transforme num devorador de páginas, atravessando madrugadas lendo o livro; como eu fiz.
Em “O jogo do Anjo” você também terá a oportunidade de conhecer, em detalhes, a vida de Isabella, a mãe de Daniel Sempere, um dos protagonistas de “A Sombra do Vento”. Zafón resgata as origens da personagem, mostrando como foi a sua infância e adolescência e ainda como ela conheceu Sempere, o pai de Daniel. É prazeroso entrarmos na intimidade dos “pais adolescentes” de Daniel Sempere. Vale lembrar que todos esses personagens cruzam os seus destinos com o de David Martin.
A história de “O Jogo do Anjo” se passa bem antes de “A Sombra do Vento”, no primeiro ano do século XX.  O autor narra a saga do escritor David Martin que logo ao nascer, já começou a tomar golpes da vida. Seu pai, segurança de um jornal em Barcelona, morreu assassinado na porta da redação quando o autor ainda era uma criança. O jeito para a escrita logo se manifestou, mas as oportunidades nunca estiveram à altura do potencial do rapaz. As pancadas em sua vida continuaram acontecendo com freqüência, entre as quais, a perda de seu grande amor que foi parar nos braços de seu melhor amigo.
Aos 28 anos, cínico, habituado a vender barato o seu talento, vivendo sozinho num casarão em ruínas, David se descobre doente e com pouco tempo de vida. É quando resolve fazer um pacto com um  misterioso personagem que surge em sua vida, prometendo muito dinheiro e o restabelecimento de sua saúde. Este pacto terá grandes conseqüências na vida do personagem. Boas ou más? Só lendo o livro para saber.
O que posso dizer é que a história tem um final inesperado.
Podem conferir, sem medo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...