terça-feira, 14 de março de 2017

Por que ler dá sono?

Fugindo um pouco, quero dizer... fugindo muito, das propostas desse blog que são as publicações de resenhas, listas e novidades literárias, hoje eu quero explorar um assunto diferente, mas nem por isso menos interessante para o leitor: “Por que ler dá sono?” É sobre isso que eu quero falar escrever hoje.
Resolvi abordar esse tema após descobrir que estou ficando muito mole para encarar os meus livros no único período de leitura mais produtivo para mim: à noite. Cara, antigamente, o menino aqui, devorava páginas e mais páginas madrugas afora, mas hoje... broxou. Fiquei revoltado, entende? Tudo bem que não foi um broxou com apelo sexual, mas mesmo assim, a preocupação chegou perto. Este ‘broxou-literário’ me obrigou a realizar algumas pesquisas na Net na esperança de encontrar um motivo para a tal ‘desanimada’ – não por falta de vontade de ler, mas por falta de forças para ler.
Nestas vasculhadas pela Rede, descobri um artigo de Fábio Haggstram que é diretor do Centro de Disturbios do Sono do Hospital São Lucas, de Porto Alegre. Segundo ele, não é ler um livro que dá sono, mas as substâncias químicas que agem no corpo. Uma delas é a adenosina, que se acumula ao longo do dia. Esta tal adenosina, a qual eu nunca tinha ouvido falar, é uma substância capaz de inibir o nosso estado de vigília. O seu acúmulo leva àquela vontade irresistível de dormir. Se você optar por realizar leitura à noite, por exemplo, seu corpo terá acumulado uma grande quantidade dessa substância e, consequentemente, você começará a dar breves cochilos. Por isso, quanto mais adenosina, maior o sono, ou seja, o problema, na verdade, é a hora da leitura. Experimente ler em outro horário. Você pode até sentir preguiça, não conseguir nem virar a página e se entediar. Mas não terá sono.
Já a segunda substância envolvida é a melatonina. Ela regula o sono, pois é liberada quando o ambiente escurece. Por isso dormimos, normalmente, à noite. E, como a luz inibe a produção de melatonina, quem lê no tablet, por exemplo, tende a sentir menos sono do que quem lê no papel. É por esse mesmo motivo que é mais fácil passar horas na internet ou vendo televisão do que ler um bom livro de madrugada. Portanto, não se sinta culpado se a TV estiver mais agradável às 4h.
Nas minhas zapeadas e vasculhadas pela Net encontrei também três dicas para não dormir enquanto se lê um livro. Vamos à elas:
1. Começou a bocejar? Levante e dê uns pulinhos. Estar acordado é reagir a estímulos, e esse pequeno exercício nada mais é do que um estímulo motor. Depois dos pulinhos, experimente lavar o rosto, com certeza isso vai ajudar a quebrar a monotonia.
2. Ler em voz alta exercita outras partes do cérebro, como o lobo temporal (relacionado à audição) e o lobo frontal (relacionado à produção da fala), e vai acabar com aquela preguiça momentânea.
3. Leia sentado. É lógico: a não ser que você tenha problema na coluna, é mais difícil dormir sentado do que deitado, já que, para dormir, é preciso relaxar toda a musculatura, o que não ocorre sentado.
Taí! Galera, entendam que a culpa não é do livro, mas das senhoras adenosina e melatonina que arrebentam com todos nós devoradores de livro.
Fora elas, é claro, ainda há o cansaço provocado por nós mesmos, a chamada privação do sono: dormir menos horas do que necessitamos para se sentirmos restaurados no dia seguinte. Nossa sociedade é, cada vez mais, uma sociedade de 24 horas, o que exige um grande número de profissionais trabalhando dia e noite, ininterruptamente e como conseqüência menos horas de sono e sonolência no dia seguinte.
Cara, acredite, é tiro e queda o sono chega rasgando, de fato; principalmente se você se esborrachou de trabalhar durante todo o dia, ‘coisa’ do tipo: acordar as 5h00 e trampar, sem parar, até as 21 horas. Mêu, independente de adenosina, melatonina ou o escambau a quatro, quando chegar a noite, você vai estar arrebentado, sem ânimo para encarar qualquer leitura, por melhor que seja.
Taí pessoal, espero ter ajudado.

Inté!

2 comentários:

  1. Olá, Jam!

    Achei bastante interessante o post, tendo um cunho mais jornalístico sem, contudo, se desvincular da base do blog: a leitura.

    Com certeza temas assim podem muito bem ser abordados aqui, especialmente vindo de um jornalista.

    E adorei as dicas!

    Abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Tex! Pretendo explorar, mais vezes, esses temas paralelos no blog; como você disse, procurando não fugir da proposta do meu trabalho inicial que é escrever sobre livros.
      Fico feliz que tenha gostado do post.
      Grande abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...