terça-feira, 25 de julho de 2017

Professor capixaba lança “Charuto Cubano”, seu 4º livro

Fico feliz quando surgem novos escritores brasileiros e procuro, na medida do possível, ajudá-los na divulgação de suas obras. Acredito que uma das funções dos blogs literários é apoiar essas iniciativas. Pena que grande parte dos nossos colegas blogueiros (as) se perdem no mundo das parcerias com as grandes editoras e acabam ficando mais preocupados em produzir conteúdos de lobby visando aumentar o seu ‘arsenal’ livros ganhos. Resultado:  fecham os olhos para os escritores iniciantes que dependem muito desses blogs para um primeiro empurrãozinho em suas carreiras.
Durante a semana recebi uma mensagem em minha caixa de e-mail de uma representante da editora Multifoco que está lançando o livro “Charuto Cubano” de Jaci Alvarenga através do selo Mil Palavras.
Segundo nota da editora, a obra está focada na crítica social e política, que teimam em permanecer fora da agenda dos governantes. “Charuto Cubano”, nasceu da idéia de descrever o quadro político atual do país através dos colóquios de um grupo social. O livro traz temas como corrupção, evergetismo, cultura, alcoolismo, violência doméstica e cinismo social em diálogos entre os personagens, com uma pitada de dramaturgia teatral sem ser uma obra destinada aos palcos.
A editora também explica que o lançamento reproduz a realidade do sujeito diante da vida. Os personagens discutem, dentro de um bar, tudo o que ouvem e lêem cada qual com seus pontos de vistas. Neste cenário, colocam em pauta suas alegrias, amarguras, sonhos, realidades e indignações. “Charuto Cubano é uma crítica político-social em linguagem metafórica contra o capitalismo, relatando fatos atuais com o objetivo de abrir debate e deixar um legado social para as próximas gerações”, diz a nota da editora distribuída aos blogs.
Por sua vez, o autor da obra faz questão de frisar que não é dramaturgo e pouco
Jaci Alvarenga
entende desta forma de arte. Simplesmente criou um argumento, imaginou as cenas e inseriu as palavras nas falas de cada personagem. “Em suma, esta obra não se destina à realização teatral”, diz ele.
Jaci Alvarenga Theodoro Filho é capixaba de Muqui, e sempre teve o sonho de escrever. Sua carreira no mundo das grandes empresas foi fundamental para colocar em prática as suas duas primeiras obras: Teoria J – uma abordagem ousada sobre empreendedorismo (2013) e Empreendedorismo: dilemas, fatos, fachadas e os mistérios da vida (2015).
Após este período, Jaci resolveu enveredar para o mundo literário buscando sua inspiração em temas sociais e políticos, principalmente da época da ditadura e de uma sociedade massacrada por crises econômicas. Assim, em 2016, nasceu Servos Modernos - revolucionários silenciosos, que serve como base para a sua mais nova obra: Charuto Cubano.
Engenheiro Eletricista com ênfase em Telecomunicações e mestrado no Uruguai, Jaci passou por várias corporações, mas se apaixonou pela carreira de professor. Ele leciona desde 2006 na Fai – Centro de Ensino Superior, Tecnologia e Educação, em Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais. O escritor é casado, tem três filhas e reside na cidade de Campinas. 
“Charuto Cubano” está sendo distribuído pela editora Multifoco. Os interessados poderão adquirir o seu volume nesse endereço.

Boa leitura!

4 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...