sábado, 24 de junho de 2017

Livro "A Praga' promete revelar histórias de vida, morte e isolamento que faziam parte do dia a dia dos leprosários no Brasil

Antes de tudo, desculpem os sete dias sem postagens. Manter um blog sozinho já é difícil navegando em um mar tranqüilo, imagine, então, quando esse mar fica turbulento. Cara, estava entupido de trabalho durante a semana passada. E trabalhar numa redação de qualquer veículo de comunicação é muito estressante. Tudo gira em torno de tempo e metas a serem cumpridas, pois como a maioria já sabe, o fato não espera acontecer. Ele não corre atrás do jornalista gritando: - Olha eu aqui! Quero falar com você!. – Na realidade, é o contrário. E durante a semana, a ‘coisa’ foi cruel comigo. Mas isto é assunto para um outro post. Agora vamos falar de livros que é a essência desse blog; e um livraço, pelo menos é o que imagino, já que a obra ainda não chegou nas livrarias, mas fique tranqüilo, pois ela chegará em breve.
Pois é galera, a Geração Editorial estará lançando mais um livro no mesmo estilo de “Holocausto Brasileiro – genocídio: 60 mil mortos no maior hospício do Brasil”, da jornalista mineira Daniela Arbex. Só que agora, o preconceito  e a desinformação sobre doenças mentais cedem espaço para a discriminação e a intolerância com a hanseníase.
Esqueça os tempos modernos, onde essas doenças ganharam tratamentos de ultima geração, possibilitando aos seus pacientes levar uma vida praticamente normal ou pelo menos perto disso.
O livro “A Praga – Holocausto da hanseníase. Histórias emocionantes de isolamento, morte e vida nos leprosários do Brasil” é trucão pesado. A obra é para ser lida por pessoas que agüentam o tranco após processarem informações pesadas. Aqueles que já leram o livro de Arbex sabem do que estou falando.
Manuela Castro vai a fundo em sua obra, escancarando as portas de leprosários brasileiros de décadas passadas. Também conhecidos como asilos e sanatórios, os leprosários eram grandes espaços onde ficavam as pessoas com a doença. O objetivo era isolar totalmente os pacientes da sociedade. O preconceito contra a lepra é histórico - até a década de 1940, o tratamento era desconhecido.
A regulamentação dos leprosários aconteceu na década de 1920, com a criação da Inspetoria de Profilaxia e Combate à Lepra e Doenças Venéreas. Estes espaços passaram a ser organizados como uma cidade, com escolas, praças, dormitórios, refeitórios e até delegacias, prisões e cemitérios. Chegaram a existir cerca de 40 leprosários em todo o Brasil.
Em 1949, o isolamento forçado dos hansenianos em leprosários virou lei federal, que vigorou até 1986. A legislação permitia separar os filhos dos pacientes que engravidassem dentro das colônias. Ainda bebês, eram enviados em cestos à educandários e preventórios, espécie de creches de filhos considerados órfãos, mesmo tendo pais vivos. C-a-r-a-c-a! Triste né?! A autora de “A Praga” mergulha de cabeça nesse tenebroso contexto, mostrando de maneira aberta como as pessoas portadoras de lepra eram tratadas no passado.
Apesar da cura da lepra ter sido descoberta nos anos 1940, o Brasil, com seu atraso científico e social, ignorou ou subestimou isso. O pavor brasileiro se espalhou facilmente entre as políticas de saúde, os médicos interessados apenas em lucro, a ignorância, a pobreza, as regiões desassistidas e as famílias em pânico. 
Acredito que devido ao tema forte e polemico, o livro “A Praga – Holocausto da hanseníase. Histórias emocionantes de isolamento, morte e vida nos leprosários do Brasil” tem grandes chances de repetir o sucesso de “Holocausto Brasileiro – genocídio: 60 mil mortos no maior hospício do Brasil”.
A obra já está em pré-venda nas principais livrarias virtuais do País e a sua previsão de lançamento é 17 de julho próximo.
Para quem não sabe, Manuela Castro é apresentadora e repórter da TV Brasil desde 2008. Com experiência em coberturas especiais no Brasil e no mundo, recebeu diversos prêmios com o programa Caminhos da Reportagem. Além de duas premiações com o episódio “Hanseníase, a história que o Brasil não conhece”, também foi agraciada com os prêmios Sebrae de Jornalismo, Ministério do Meio Ambiente e CNBB de Comunicação.
Como li “Holocausto Brasileiro e gostei, com certeza, também, estarei lendo o livro de Manuela Castro.
Bye!
Detalhes Técnicos
Título: A Praga
Subtítulo: O Holocausto da Hanseníase. Histórias Emocionantes de Isolamento, Morte e Vida nos Leprosários do Brasil.
Autor: Manuela Castro
Editora: Geração Editorial
Edição: 1
Ano: 2017
Especificação: Brochura / 300 páginas
Peso: 410 gramas
Dimensões: 230mmx160mmx40mm


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...