quarta-feira, 28 de março de 2012

Dois livros para destrinchar as origens de James Bond

Há personagens da literatura considerados verdadeiros ícones da cultura pop. Sejam eles heróis ou vilões, ao longo de décadas, formaram uma verdadeira legião de admiradores.  Alguns, devido a grande fama conquistada, conseguiram extrapolar as páginas dos romances e invadir as telas dos cinemas. Esses personagens mexeram muito com o imaginário popular, chegando ao ponto de aguçar a curiosidade dos leitores com relação as suas origens. Ou será que você nunca desejou conhecer detalhes sobre a infância e adolescência de um dos maiores psicopatas que o mundo literário já conheceu: Dr. Hannibal Lecter? Confessa vai?! Pois é, Thomas Harris matou a sua curiosidade ao lançar o livro “Hannibal – A Origem do Mal”.
Agora, confessa outra coisinha: vai me dizer que você nunca teve curiosidade em “fuçar” nas gavetas da adolescência do maior espião de todos os tempos: o insuperável James Bond? Meu amigo bondmaníaco! Pode acreditar que isso já era possível há mais ou menos seis anos atrás. E eu, nadando de braçadas na minha ignorância, só fui descobrir isso há poucas semanas.... Que vergonha.... Mas, do meu lado existe a desculpa de que por considerar a obra de Ian Fleming um verdadeiro patrimônio histórico sobre o agente 007, algo único e insubstituível, nunca me interessei pelo grande número de escritores que tentaram dar sequência ao legado do  mestre Fleming.
Alguns livros que li de escritores que tentaram suceder Ian Fleming me embrulharam o estômago. Eles eram ruins até a última gota! Neste “bolo” estão John Edmund Gardner que – pasmem!! – escreveu 14 livros sobre o espião inglês; Raymond Benson e até mesmo Sebastian Faulks com a sua ‘terrible’ “Essência do Mal”. Cada vez que lia um livro fora do “Universo Fleming” constatava que as histórias originais eram insubstituíveis.
Por isso, agora confesso que estou com um baita receio de encarar os dois livros de Charlie Higson que exploram a adolescência de 007. Ok, ok... agora quem vai confessar sou eu: posso estar com muito receio, mas também estou com uma vontade danada de agarrar esses dois livros e devorá-los, com a esperança, é claro, de não me decepcionar logo nas primeiras páginas.
Pelo menos, os comentários sobre os dois livros são positivos e quando foram lançados: “Missão Silverfin” (2006) e “A Morte é Contagiosa” (2007) receberam rasgados elogios da crítica, o que, convenhamos, não aconteceu com “A Essência do Mal”, de Faulks e “Carta Branca”, de Jeffery Deaver, este, lançado por enquanto, somente nos Estados Unidos. Acredito que esse fator já seja uma grande credencial para Charlie Higson. Inclusive, o lançamento de “A Morte é Contagiosa”, valeu uma extensa matéria no Caderno 2 do Estadão em 2007, com direito a uma entrevista do autor.
Quanto a receptividade do público, não chega a ser diferente, já que os comentários dos internautas que adquiriram os livros em sites de compras e postaram as suas ‘impressões’ são os melhores possíveis.
Outro dado que me deixou animado e bem... digamos que.. estimulado a adquirir a obra de Higson é que a série sobre o ‘jovem Bond’  já foi lançada com sucesso em 25 países. Só o primeiro volume - Missão Silverfin - já vendeu mais de meio milhão de exemplares em todo o mundo. Até agora, foram lançados três livros da série e mais dois estão programados. Quer dizer, se tudo isso não credenciar a série para o estrelatro total, com certeza, os livros de Higson entrarão para a galeria dos maiores engodos da história da literatura.
Acredito que aqueles que quiserem conhecer detalhamente a infância de James Bond não podem deixar de ler esses três livros de Higson, com ênfase para “Missão Silverfin”, porque é essa obra que “destrincha” as origens do agente secreto.
No primeiro livro da série de três, o autor nos apresenta um Bond aos 13 anos. Logo após perder os seus pais em um acidente de carro, a criança é mandada para o tradicional colégio interno Eton, na Inglaterra.  De acordo com a resenha do livro, Bond, gradativamente vai se acostumando com as regras da escola, além de fazer novos amigos. No enredo, o jovem que viria se tornar o maior agente secreto de todos os tempos, acaba despertando a ira de George Hellebore e de seu pai, Randolph, um traficante de armas. Pronto! Está armada a trama da obra.
Mais do que a aventura em si, “Missão Silverfin” revela detalhes importantes da infância de 007 e também de sua criação. Como eram os seus pais? Qual o relacionamento de Bond com eles? Como era a personalidade e o comportamento do pequeno herói? Só por curiosidade, vale a pena lembrar que grande parte do enredo se passa no colégio Eton. Por tudo isso, creio, que “Missão Silverfin” pode ser considerada uma obra referência sobre as origens do agente secreto.
Em “A Morte é Contagiosa”, segundo livro da série, James e seus colegas de classe viajam com dois professores para a ilha da Sardenha, no Mediterrâneo, para estudar as ruínas arqueológicas do lugar. James aproveita a viagem para visitar seu primo Victor.
Há um tempo, a casa de Victor foi invadida e importantes peças de arte foram roubadas. Na ilha, um conde construiu para si uma fortaleza impenetrável. E, para completar, a família de um colega de colégio de James desaparece no mar. Bond acaba descobrindo que essa série de fatos tem uma ligação e assim, decide dar início a uma investigação e acaba descobrindo uma perigosa conspiração que vai muito além dos roubos dos quadros de seu primo Victor.
Bem, tai uma pequena sinopse do enredo dos dois livros da série “O Jovem James Bond”. Torno a frisar que por enquanto, os outros três livros que fecham a saga ainda não foram lançados no Brasil.
Juro que estou pensando seriamente em adquirir, pelo menos, “Missão Silverfin” que pode ser considerado o início da lenda. Bem... vamos ver.

3 comentários:

  1. Um amigo meu faz aniversario mês que vem, e sei que ele é apaixonado pelo 007 estou pensando em dar estes livros pra ele :D mas qual que foram lançados no Brasil?

    ResponderExcluir
  2. Otávio, anote aí...
    Esses dois livros que citei no post: "Missão Silverfin" e "A Morte é Contagiosa" já foram lançados no Brasil. O primeiro em 2006 e o segundo no ano seguinte. Vc vai encontrá-los facilmente em qualquer livraria on line. Agora mesmo, acabei de vê-los à venda no submarino.
    Boa sorte!
    Abcs!

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado José Antônio, já fiz minha compra rsrsr
    P.S adoro o seu blog o/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...