sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Acidente com o Fokker 100 da TAM que deixou 99 mortos em São Paulo completa 21 anos. Confira dois livros sobre a tragédia

Há exatos 21 anos, eu acompanhava aturdido pela televisão a queda do Fokker 100 da TAM sobre oito casas no bairro do Jabaquara, em São Paulo. A tragédia  que deixou um saldo de  99 mortos – todos os passageiros e tripulantes da aeronave, totalizando 96 pessoas, além de outras três vitimas que estavam em terra – chocou todo o País.
O voo 402 decolou às 8h26 do dia 31 de outubro de 1996 do Aeroporto de Congonhas com destino ao Rio de Janeiro e caiu 24 segundos depois.
Segundo as investigações, a queda do avião foi provocada por uma falha no reversor da turbina direita (freio aerodinâmico) que abriu durante a decolagem, um erro cuja chance de ocorrer seria, segundo projeções da fabricante, da ordem de um em 100 bilhões.
Ao se aproximar da rua onde caiu, a cerca de 2 km do aeroporto, o avião esbarrou em um prédio na esquina com a Avenida Jarupari, próximo à Escola Estadual Doutor Ângelo Mendes de Almeida.
A asa direita do avião cortou parte de um outro prédio na esquina da Rua Luís Orsini de Castro. A aeronave ainda levou o telhado de um sobrado, no número 40 da mesma rua, onde fez a primeira vítima em terra. O avião caiu no lado ímpar da rua, nas oito casas entre os números 59 e 125. Duas vítimas que estavam no solo morreram no número 77.
Cara, ainda me lembro da fila de corpos cobertos com sacos pretos, todos eles estendidos na rua numa fila macabra e ao mesmo tempo triste. Chorei muito. Aliás, decorridas mais de duas décadas do acidente, ainda me emociono.
Após o acidente com o avião da TAM em 1996,  foram publicados dois livros sobre o assunto. Confiram:
01 – Perda Total (Ivan Sant’Anna)
O escritor, que é piloto amador e trabalhava no mercado financeiro, passou cerca de três anos e meio pesquisando a fundo para reconstituir passo a passo três dos maiores, e mais recentes, acidentes da aviação nacional: o TAM 402, o GOL 1907 e o TAM 3054, que juntos interromperam quase 450 vidas num espaço de dez anos.
Apesar de “Perda Total” não ser um livro que aborde exclusivamente os fatos relacionados ao acidente envolvendo o vôo 402 da TAM, os leitores interessados nessa tragédia irão encontrar muitas informações interessantes.
No livro, ele transcreve, por exemplo, o diálogo final e as últimas ações dos pilotos, que mostra que o tempo inteiro eles trabalharam em cima de um erro - já que tentavam solucionar um problema no autothrottle (acelerador automático) que não existia, já que a falha foi no reverso (uma espécie de freio). Segundo o autor, este e outros detalhes que estão na obra, não são exatamente novidades, mas coisas que foram descobertas anos depois dos acidentes e que muitas deixaram de ser divulgadas ou não tiveram repercussão.
Além das gravações de caixas pretas das três aeronaves, com todas as falas das cabines e os dados técnicos dos vôos, a  pesquisa realizada por Sant’Anna incluiu também os relatórios do Cenipa (Centro de Investigação e Prevensão de Acidentes Aeronáuticos, da FAB).
A obra foi muito elogiada por pilotos e experts em aviação, por isso, acredito que vale a pena ser lida.
Autor: Ivan Sant’Anna
Editora: Objetiva
Ano da edição: 2011
Páginas: 304
Acabamento: Brochura
02 – O Dia Que Mudou Minha Vida (Sandra Assali)
Quando há mais de 20 anos vi pela TV a queda do Fokker 100 da TAM, o meu pensamento se voltou de maneira instantânea para os familiares das vítimas. Putz! Como vai ficar a situação daquelas pessoas que dependiam das vítimas para a sua sobrevivência? Elas serão indenizadas ou não? Esta indenização vai demorar? Como elas ou eles irão fazer até lá? Enfim, como será feito o gerenciamento das crises de tantas pessoas após a queda do avião?
O acidente com o vôo 402 da TAM provocou catástrofes em várias famílias com filhos perdendo os pais, esposas perdendo os maridos ou vice e versa, empresas que perderam seus líderes. Cara, foi uma cadeia de catástrofes.
E ninguém melhor do que uma pessoa que esteve envolvida  no centro dessa catástrofe para ‘falar’ sobre o sinistro e principalmente orientar todos os familiares das vítimas.
Assali é uma das viúvas do vôo 402. Ela perdeu o marido, José Rahal Abu Assali. Para superar o trauma da perda repentina, criou a Abrapavaa (Associação Brasileira de Parentes e Amigos das Vítimas de Acidentes Aéreos), da qual é presidente até hoje.
A associação revolucionou o sistema de indenizações às famílias das vítimas.  Na época, 64 famílias se uniram para entrar com processo na justiça dos Estados Unidos, país do fabricante do reverso do Fokker 100 --equipamento do avião que apresentou problema e foi um dos principais fatores do acidente.
Antes mesmo de uma decisão judicial, Sandra afirma que as famílias assinaram acordos extra-judiciais entre US$ 800 mil e US$ 1,5 milhão (entre R$ 2,5 milhões e R$ 4,7 milhões na cotação atual).
“O Dia Que Mudou Minha Vida dá detalhes de como está sendo realizado esse gerenciamento da crise envolvendo uma das maiores tragédias da aviação em nosso País.
Autor: Sandra Assali
Editora: Independente (Sandra Assali)
Ano da edição: 2016
Páginas: 229 (Tamanho do arquivo: 1849 KB)

Acabamento: eBook Kindle

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...