terça-feira, 12 de setembro de 2017

O Casamento

Para ser sincero, eu não pretendia ler “O Casamento” de Nicholas Sparks. Não mesmo. A minha intenção era iniciar a releitura de “A Sombra do Vento” de Carlos Ruiz Zafón começando, assim, a odisséia de “O Cemitério dos Livros Esquecidos”, mas pelos motivos que já expliquei 'nesse post', acabei obrigado a adiar o meu encontro com Daniel Sempere, Julian Carax, Fermin, Tomás Aguilar e companhia.
Se me arrependo? Não. Primeiro: gostei da história de Sparks – fazendo analogia com um famoso comercial de TV: não é nenhuma Brastemp, mas é bom. – e segundo:  toda vez que adiamos, por pouco tempo, um projeto acalentado por nós, a expectativa em torno desse projeto cresce, aumentando o nosso estado de ânimo. Bem... pelo menos acontece dessa maneira comigo.
Não posso negar que esses detalhes ajudaram muito a gostar da história bem light escrita por Sparks. “O Casamento” é um daqueles livros que você lê numa tacada só. A escrita fluida e sem rebuscamentos do autor deixa o enredo ainda mais digerível. O tipo da história para você ler sem nenhuma pretensão; simplesmente para passar o tempo. Mas nem por isso, é ruim. Os personagens são bem compostos; o enredo, como já disse, é fluido; e o final tem uma baita reviravolta que certamente irá surpreender os leitores.
“O Casamento” (2003) é a sequência da obra máxima de Sparks: “Diário de Uma Paixão” (1996) e conta a história da filha, genro e netos de Noah e Allie, casal que encantou  toda uma geração de leitores há mais de 20 anos. Apesar de grande parte dos críticos literários terem derramado um mar de elogios na obra escrita em 2003, definitivamente, ela não se comprara com “Diário de Uma Paixão” que é uma história de amor - daquelas de arrebentar - entre duas almas gêmeas e que nem mesmo as piores dificuldades enfrentadas na juventude e também na velhice foram capazes de separá-los. Cara, como me emocionei! Mas emoção daquelas de deixar os olhos úmidos de lágrimas. Costumo dizer que Noah e Allie são fodas! Com todo o respeito, é claro.
Eles arrebentam qualquer coração de pedra. E justamente em “O Casamento”, é o personagem de Noah que carrega a maior parte da carga emotiva e dramática. Enganam-se aqueles que pensam que o casal principal - Wilson e Jane – são os responsáveis por mexer com o coração e os sentimentos dos leitores. Não. O responsável é Noah.
No enredo de “O Casamento”, após quase 30 anos de casamento, Wilson é obrigado a encarar uma dolorosa verdade: sua esposa Jane, parece ter deixado de amá-lo, e ele é o único culpado disso.
Viciado em trabalho, Wilson costumava passar mais tempo no escritório do que com a família. Além disso, nunca conseguiu ser romântico como o sogro era com a própria mulher. A história de amor dos pais de Jane, contada em “Diário de Uma Paixão”, sempre foi um exemplo para os filhos de como um casamento deveria ser.
Diante da incapacidade do marido de expressar suas emoções, Jane começa a duvidar de que tenha feito a escolha certa ao se casar com ele. Wilson, porém, sente que seu amor pela esposa só cresceu ao longo dos anos. Agora que seu relacionamento está ameaçado, ele vai fazer o que for necessário para se tornar o homem que Jane sempre desejou que ele fosse. É nesse momento que Noah entra na história e a história, por sua vez, se transforma. Wilson decide procurar o sogro para se aconselhar a recuperar o amor de Jane.
Neste ponto do enredo, Sparks mescla o presente e o passado, ou seja, envolve num ‘bolo só’ a história de Noah e Allie e também de Wilson e Jane.
É interessante saber como era o relacionamento de Wilson com o seu sogro antes de se casar com Jane ou então as passagens emocionantes envolvendo Allie, Noah e seus filhos, a medida em que ela ia ficando debilitada com o Mal de Alzheimer. Caraca, o trecho em que Noah e Allie se mudam para uma casa de repouso e se despedem para sempre do seu casarão dançando uma musica romantica é de cortar o coração. Viram só como os momentos de maior emoção do livro estão relacionados com Noah e Allie?
Resumindo: podem ler sem medo “O Casamento”. Com certeza irão gostar, afinal de contas, Noah está lá, novamente, marcando presença.
Ah! Lembrando mais uma vez: atenção para o final de derrubar o queixo. O meu caiu; acho que o de vocês também cairá.

Inté!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...