domingo, 9 de outubro de 2016

Dinheiro Sujo

Após assistir “Jack Reacher – O Ultimo Tiro” (2012) com Tom Cruise fiquei sabendo que o filme havia sido inspirado num livro de Lee Child. Como gostei das peripécias aprontadas por Mr. Cruise resolvi comprar o livro, mas com um pé atrás, já que Child não escreveu nada além de algo envolvendo Reacher. São vinte aventuras literárias do cara durão – ex militar americano - das quais, oito já lançadas no Brasil.
Digamos que ele tenha criado um personagem e só ficou nele. Fiquei na dúvida: Putz! Será que eu compro... não compro... Afinal de contas, o preço da obra não era nada convidativo, mais ou menos ‘uns’ R$ 55,00. Tudo bem, como havia gostado do filme resolvi adquirir o livro, mas não aquele que serviu de base para a produção cinematográfica, já que eu sabia o final da história. Lembro que os roteiristas mudaram pouca coisa na hora de transpor para as telas a história de Reacher. Dessa maneira, optei por comprar a primeira aventura escrita por Child envolvendo o seu único personagem. E olha... gostei. Muito, mesmo.
O que mais me chamou a atenção no enredo foram as “cenas” realistas envolvendo Reacher. Apesar do cara ser letal com as mãos ou com armas, ele está longe de ser um super-homem. Ele também sangra, se machuca, depende de outras pessoas para tirá-lo de situações de risco, etc. Em determinado trecho de “Dinheiro Sujo”, quando o ex-militar está enfrentando um brutamontes homicida, ele revela que esse lance de sair no braço contra um inimigo perigoso só aparece nos filmes. “Se você tem uma pistola, fuzil ou até mesmo um porrete, porque perder tempo em provar que você é mais homem que o seu adversário? Não perca tempo e nem dê sopa para o azar; já o elimine logo, do jeito mais prático”. Mais ou menos, é dessa maneira que Reacher age.
Por isso, a descrição das cenas de combate e ação são muito realistas e não lembram em nada os golpes mirabolantes de algumas artes marciais que lemos em várias histórias.
Em determinado momento do enredo, Reacher neutraliza um adversário da maneira mais simples possível: com um chute bem caprichado no meio de suas ‘ bolas’. Pronto, bem simples. Em outras ocasiões, quando percebe que o inimigo é muito mais forte, ele trapaceia. Por exemplo, ele diz: “Vou contar até três prá você dar o fora daqui”. Bem, ao ouvir isso, o cara que é uma verdadeira montanha de músculos, simplesmente ri, e fica ali parado. Então, Reacher começa a contar, mas ao chegar no “dois”, ele já entra em ação, pegando o cara desprevenido.
Mas “Dinheiro Sujo” não se resume a cenas de ação; o enredo é um verdadeiro thriller policial com revelações surpreendentes ao longo das páginas. Cada corrupto ou traidor revelado, é uma grande surpresa para o leitor. Cara, a história tem muitas reviravoltas; algumas de derrubar o queixo da galera.
Como já disse, “Dinheiro Sujo” é o livro de apresentação de Jack Reacher. Filho de militar, altamente capacitado física e tecnicamente para o combate, ele chegou até ser um agente dos mais durões, treinado para pensar rápido e agir com precisão.
Esse cara duro na queda acaba indo parar numa pequena cidade do estado da Georgia, onde é preso por engano e jogado numa cela. Por ser o único turista na cidade, acaba sendo acusado do primeiro homicídio no local em 30 anos. Mas na realidade, a sua prisão faz parte de uma conspiração para esconder um segredo terrível de alguns poderosos daquela cidade.
Reacher terá de usar todo o seu treinamento militar para descobrir a verdade e punir os criminosos.
Taí, gostei! E não só eu. Stephen King também adorou a obra.
Verdade!

Informações Técnicas
Título: Dinheiro Sujo
Páginas: 479
Edição: 1ª
Tipo de capa: Brochura
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2007
ISBN: 8528612244

Um comentário:

  1. Gostei muito deste livro. Atitudes dos personagens convincente e ótimas cenas de ação !

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...