quarta-feira, 20 de abril de 2016

As 5 Bond girls mais fodásticas dos livros de Ian Fleming

Imaginem os livros e também os filmes de 007 sem as famosas e cobiçadas Bond girls. Aliás, melhor deixar pra lá. Só em pensar nessa hipótese já fico completamente down. Estas garotas são fantásticas e sem elas, com certeza, as histórias do antológico agente secreto inglês não seriam as mesmas. Ficariam sem charme, sem aquele tchan a mais.
Devido a importância das Bond girls nos enredos criados por Ian Fleming, resolvi elaborar um post só delas. Vamos conferir as cinco garotas mais empolgantes ou melhor, mais fodásticas dos livros do autor britânico considerado o “pai de 007”.
Antes de tudo, gostaria de esclarecer que se trata de uma lista pessoal e por isso mesmo, muitos leitores poderão discordar da minha opinião, afinal gosto não se discute. Fiquem a vontade para opinar, acrescentando outros nomes.
E chega de blá-blá-blá. Vamos as nossas cinco meninas.
01 – Vesper Lynd
Livro: Cassino Royale
Vesper Lynd e Teresa Di Vicenzo (Tracy) foram as duas únicas Bond girls que conseguiram virar a cabeça de 007. O espião ‘Macho-Man’ acostumado a levar todas as mulheres para cama e depois abandoná-las ou esquecê-las, acabou ‘dançando’ com as duas beldades. Vesper foi o primeiro interesse romântico de James Bond e a mulher -  além de sua esposa Tracy - a quem ele propõe casamento. Por isso, merece estar nessa lista.
A Bond girl também é uma pessoa com sua lealdade dividida ao meio. E é assim dividida, que no livro e no filme ela se apaixona e também trai James Bond. 
Na época, pessoas mais chegadas a Fleming, diziam que Vesper havia sido inspirada numa espiã polonesa nascida em 1º de maio de 1908, chamada Christine Granville e que também era amante de Fleming.
Christine foi encontrada morta no dia 15 de junho de 1952 assassinada a facadas em um quarto de hotel em Londres. Dennis Muldowney, um fuzileiro naval confessou o crime. Ele era um ex-colega da espiã e completamente obcecado pela mulher. Christine sempre rejeitou as investidas de Muldowney, criando um ódio mortal no sujeito. Ele foi condenado a forca.
02 - Teresa Di Vicenzo (Tracy)
Livro: A Serviço Secreto de Sua Majestade.
Putz! Esta mulher dilacerou o coração do nosso agente. Quando ela morreu, assassinada por Blofeld, Bond ficou acabadaço, entregue à baratas. Passou a beber  e a jogar muito, além de cometer erros infantis, transformando as suas missões em verdadeiros fiascos. Por isso, o agente de duplo zero e com permissão para matar acabou se transformando numa verdadeira piada no MI6.
Bond não conseguia tirar Tracy da cabeça. Para que você entenda a importância dessa mulher na vida de 007, basta dizer que ele a pediu em casamento!! Verdade! O sujeito mais mulherengo do mundo, que sempre teve ojeriza ao matrimônio, acabou caindo de quatro por Tracy, chegando ao ponto de pedir permissão ao pai da garota para se casar com ela. Ohohohoh!!
Quando Tracy morreu, Bond ficou arrebentado, moído por dentro. Esta fase conturbada na vida de 007 pode ser conferida em “A Morte noJapão”, obra que fecha a chamada “Trilogia Blofeld” formada ainda pelos livros “Chantagem Atômica” e “A Serviço Secreto de Sua Majestade”.
03 – Gala Brand
Livro: Moonraker
Gala Brand é a única Bond girl que a franquia não levou para o cinema. Em“007 Contra o Foguete da Morte”, a personagem foi batizada de Drª Holly Goodhead.
Ok, ok, ok. Você quer perguntar  porque escolhi uma personagem que foi rejeitada pelos produtores da série. É simples galera. Gala, ao contrário das outras Bond girls, foi a única que não se deixou levar pelos encantos e cantadas do agente secreto. Ela nunca foi para a cama com James Bond. Cara, veja só como a conversa de 007 é poderosa. Ele conseguiu arrastar para debaixo dos lençóis até mesmo Pussy Galore que no romance “Goldfinger” era lésbica e por isso tinha pavor de se relacionar com homens. Mas com Gala a conversa foi outra. Ela ditou as regras.  
Além do mais, a menina que no romance de Fleming é uma agente especial infiltrada como assistente do vilão Drax, enfrenta vários perigos ao lado de Bond com muita perseverança. Por exemplo: eles quase foram assados vivos pelo escapamento de um foguete.
Por tudo isso, sem duvida merece estar nesta lista.
04 – Pussy Galore
Livro: Goldfinger
Na lata: Pussy Galore é a Bond girl mais polêmica criada por Ian Fleming. Tão polêmica que precisou ter várias de suas características amenizadas para poder aparecer nas telas no filme “007 Contra Goldfinger”.
Será que Fleming tava doidaço sob o efeito de algum chá suspeito quando criou a personagem? Caraca, ele se livrou de todas as amarras da timidez e idealizou uma Bond girl lésbica, chefe de uma quadrilha de ladras, boa de briga e por fim com um nome que deixou os mais pudicos perto de um ataque dos nervos ou do coração.
Se você não sabe, pussy em inglês é um termo chulo para vagina e galore tem tradução de “aos montes”. Capiche? Agora experimente juntar as duas palavras e veja o resultado. Sem contar que o livro foi lançado em 1959, uma época repleta de tabus sexuais, tanto na prática quanto na linguagem.
No livro “Goldfinger”, a personagem domina o enredo toda vez que aparece. Com ela por perto não tem pra ninguém. Já a Galore dos cinemas vivida por Honor Blackman não é lésbica, ladra e nem briguenta.
A personagem das páginas conseguiu se manter imune ao charme de 007, até o final da história, quando finalmente jogou a toalha e caiu nos braços do agente “Don Juan”. Já a Galore dos cinemas não conseguiu resistir por muito tempo e rapidinho se enroscou com Bond.
05 – Dominetta Petacchi (Domino)
Livro: Chantagem Atômica
Honey, Solitaire, Vivienne Mitchell, Tatiana Romanova e outras terão que me desculpar, mas o nome escolhido para fechar essa lista é Domino. Se não fosse ela, hoje o nosso glorioso James Bond estaria sete palmos abaixo da terra.
No livro, Domino escapa de Emilio Largo enquanto ele tenta levar avante seu plano de detonar armas nucleares, mas quando o chefe da SPECTRE está prestes a matar Bond num barco, ela aparece de surpresa e manda Largo para o além com um tiro de arpão.
Vale lembrar que o vilão já havia matado o irmão da moça. Depois ela consegue concretizar a sua vingança e de bandeja, salva a vida de 007.
Domino é uma das Bond girl mais corajosas, tendo passado por verdadeiros enroscos. Após Largo descobrir que ela era cúmplice de Bond, decidiu torturá-la usando cigarros acessos como calor e gelo como frio. Mesmo assim, a moça manteve a cabeça erguida e agüentou firme.
Taí, pessoal! Espero que tenham gostado da lista.

Inté!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...