domingo, 11 de outubro de 2015

Padre Marcelo Rossi ganha duas biografias não autorizadas. Livros revelam detalhes curiosos sobre a vida do sacerdote e como ele conseguiu vencer a depressão

Sempre dei mais crédito para as biografias não autorizadas – quer dizer, desde que o seu autor seja um profissional respeitado no meio jornalístico e não um “Zé Mané” sensacionalista – porque as considero mais autênticas e menos artificiais. É claro que a maioria dos biografados que concordam em expor publicamente as suas vidas, procurarão filtrar as informações, autorizando, somente,  a publicação de fatos de seu interesse. Este é um dos motivos que me faz tão cético às biografias.
É muito difícil encontrarmos uma biografia que valha a pena aplicarmos os nossos reais, principalmente agora neste momento de crise econômica que o Brasil está enfrentando, onde cada centavo deve ser muito bem gasto. A maioria das biografias autorizadas não passa de livros promocionais para enaltecer a imagem do biografado; enquanto que grande parte das não autorizadas é escrita por ex-guarda costas, motoristas ou cônjuges ressentidos com ex e que saem por aí em busca de vingança.
Por isso, estou meio escaldado com duas biografias sobre o padre Marcelo Róssi que já entraram em fase de pré-venda nas livrarias. Perceberam que eu disse apenas meio escaldado e não escaldado inteiro. O que me transmite essa “meia” segurança em um dos livros – perceberam que eu disse “um” dos livros e não os dois -  é que, primeiro: são biografias não autorizadas, por isso o biografado não teve o poder de censurar trechos que julgasse prejudiciais à sua imagem; segundo: conheço o jornalista Edison Veiga, do Estadão e li várias de suas reportagens e deu pra perceber que se trata de um profissional sério e imparcial. Quanto a Heloisa Marra, desculpe a minha ignorância, mas não a conheço. Por isso, não posso ser leviano ao ponto de julgar o seu trabalho.
Entonce, só resta torcer para que Veiga tenha mantido a qualidade de seu profissionalismo nesta biografia sobre o padre e que Marra deixe de se tornar uma desconhecida – pelo menos para mim – e conquiste a confiança através desse blogueiro. Digo isso porque pretendo comprar as duas obras. Vamos ver...
Bem, falando escrevendo sobre os dois livros. Em “Padre Marcelo Róssi: A Superação pela Fé”, assinado por Veiga, o repórter do Estadão apresenta o perfil do padre mais famoso do Brasil, desde a escolha tardia pelo sacerdócio até o reconhecimento nacional.
O autor explica que, ao contrário de muitos padres que entram no seminário ainda na juventude, a vocação de Róssi surgiu apenas na fase adulta – depois da vontade de ser bombeiro ou piloto de fórmula 1.
Segundo release publicado no portal da Livraria Folha, desde 1997 que Veiga nunca deixou de prestar atenção nos passos do padre Marcelo Rossi: a princípio por curiosidade, depois com interesse jornalístico.
Quanto a segunda biografia: “Padre Marcelo Róssi: Uma Vida Dedicada a Deus” escrita por Marra, narra como Marcelo, um menino modesto da periferia de São Paulo, tornou-se um dos evangelizadores mais relevantes do Brasil.
No livro, a autora descreve o percurso íntimo que Marcelo Rossi percorreu em sua jornada, desde a infância pacata aos traumas da adolescência, até a ordenação contra a vontade dos pais e a posterior consagração como sacerdote.
Em trecho da obra, a autora conta que Rossi, antes de seguir a vida religiosa - teve quatro relacionamentos, porém, apenas um foi sério. Ela conta detalhes desses relacionamentos . Segundo Marra, o  tema das namoradas sempre desperta a curiosidade da mídia e o padre não foge da resposta, mas só menciona o nome de uma, Simone, com quem teria tido um relacionamento mais sério.  Inclusive, entrevistado por Roberto Cabrini para o SBT em 2012, contou que teve  poucas namoradas -  três ou quatro. “Uma, séria, Simone. Faz tanto tempo que não a vejo. Se eu tenho 45, ela deve estar com seus 43 anos.”
No livro, ela ainda diz que em março de 2012, ao conceder uma entrevista coletiva em Portugal, Róssi  afirmou: ‘Sou celibatário convicto. Já vivo assim há quase vinte anos. É uma vida de coração. Se você buscar as coisas, assistir a filmes pornográficos, é óbvio que vai acabar se sujando. Mas se, pelo contrário, olhar as pessoas com carinho e amor verdadeiro, nem pensa nisso. E, mesmo se os padres pudessem casar, coitada da mulher que estivesse comigo. Ia sofrer muito. Trabalho para Jesus a toda hora. Nenhuma mulher iria entender isso’”.
As duas biografias abordam o episódio de depressão enfrentado pelo sacerdote, que o fez engordar muito, e da dieta rigorosa a que se submeteu e que lhe fez pesar apenas 60 quilos.
Para os leitores interessados, as duas obras já estão em pré venda na maioria das livrarias virtuais. O lançamento de “Padre Marcelo Róssi: A Superação pela Fé” está prevista para o dia 15 de outubro; “Padre Marcelo Róssi: Uma Vida Dedicada a Deus”, chega nas livrarias um dia depois.
Escolham o seu ou então, comprem os dois.

Inté!

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...