sábado, 7 de março de 2015

Apesar da história fraca e cheia de clichês, chega às livrarias o box “O Inferno de Gabriel”

Depois que levei uma lanhada no lombo, mas daquelas em que o sujeito não grita, pelo contrário, ele uiva e rosna - ao mesmo tempo - por causa da dor, parei de seguir sugestões de leitura em blogs que são ‘forrados’ de patrocínios de editoras.
A tal lanhada esteve relacionada com “Sussurro” e “Wake”. Eu me recordo que há poucos anos atrás não se falava em outra coisa a não ser nesses dois livros que com o passar do tempo, acabaram se transformando numa trilogia.
Como o tema estava bombando nos blogs literários, acabei me interessando pelas obras de Beca Fitzpatrick (Sussurro) e Lisa McMann (Wake), mas antes de comprá-las, procurei dar uma sondada na rede para garimpar algumas opiniões. Fiz isso e... “Caraca!! Acho que estou delirando!!”, exclamei. Galera, praticamente de cada 10 resenhas sobre esses dois romances, as dez falavam bem. Então, o tonto, aqui, foi na onda e comprou os dois livros e por um fio não chegou a adquirir a saga inteira.
Após ler num sacrifício danado “Sussurro” e “Wake”, juro que quase convoquei o Bento Carneiro, o “Vampiro Brasileiro” para jogar uma ‘mardição maligrina’ nos blogs que me indicaram as obras. Todos eles tinham parcerias com as editoras que publicaram as histórias de Fitzpatrick e McMann e logicamente, a tendência seria transformar os pontos negativos das obras em positivos; afinal de contas, as editoras não mandam livros para os blogs parceiros ‘falarem’ mal, mesmo eles sendo ruins à beça.
Galera, é por tudo isso, que eu admiro os colegas blogueiros que apesar de manterem parcerias com algumas editoras, não deixam de ser sinceros com os seus leitores, escrevendo posts que retratem a sua verdadeira opinião. Mas, esse tema é assunto para um outro post, só sobre parcerias. Prometo que logo o escreverei.
Bem, a verdade é que o ‘Efeito Wake-Sussurro’ fez com que eu me tornasse mais seletivo com relação às opiniões de alguns blogs literários. Quando percebo que os comentários partem mais para o lado dos elogios forçados, logo descarto, e passo para frente. Hoje, aprendi a dar um valor maior às opiniões de leitores que comentam os posts escritos pelos blogueiros porque sei que eles, ou pelo menos a maioria, são imparciais.
Mas onde “O Inferno de Gabriel” entra em toda essa discussão? Ok, eu explico. Li as primeiras 80 páginas do livro de Sylvain Reynard e arriei; verdade, não consegui dar continuidade à leitura. Um verdadeiro festival de clichês, onde se destacam o homem rico, bonito e libertino e a mocinha inocente, pobre e chata. Então os dois se apaixonam e lutam para vencer as diferenças sociais que os separam, não sem antes o sujeito, que é chegado nuns jogos sexuais, dar uma de predador e tentar seduzir a ‘menininha’. Confesso que não deu para continuar lendo.
Ontem, enquanto estava na rede, dando as minhas fuçadas, resolvi por curiosidade dar uma ‘zapeada’ nos comentários sobre a o “Inferno de Gabriel”. Mêo! Se eu não tivesse experimentado essa situação no passado, acredito que eu teria surtado. Quase todos os blogs colocaram a obra de Reynard nas nuvens. Alguns chegaram ao ponto de compará-lo com “O Inferno de Dante”, de Dan Brown, enquanto outros o classificavam como um dos melhores livros já escritos nos últimos tempos. Ah! Antes que me esqueça, a maioria desses blogs tinha parceria com a Arqueiro, responsável pelo lançamento da obra. “Pronto!”, pensei. “Lá vem, novamente, o “Efeito Wake-Sussurro”. Quanto aos comentários dos posts, grande parte eram evasivos, do tipo “ainda não li, mas por causa dos bons comentários, pretendo ler” ou “lindo, maravilhoso! Me apaixonei por Gabriel!”.

Na tentativa de fugir desse ‘mar de mesmices’, consegui encontrar um blog chamado “Livros de Elite” que publicou um comentário muito próximo do que achei da obra. Caraca! Dei uma importância muito grande para esse comentário porque o blog, em questão, mantém parceria com a editora que publicou “O Inferno de Gabriel” e nem por isso, deixou de ser sincero com os seus leitores.
Agora, devido ao sucesso – para mim, inexplicável – de “O Inferno de Gabriel”, a Arqueiro optou por lançar um box com a trilogia escrita por Reynard.
Com certeza deverá ser um estouro de vendagem, principalmente entre os leitores teen. Fazer o que? Há certos mistérios que não tem explicações.
Bem, segue abaixo o release promocional da trilogia. Aqueles que quiserem arriscar uma compra, vale lembrar que o box está com preço promocional nas livrarias virtuais.
Ah! Antes que me esqueça. Como se trata de um release promocional preparado pelo Departamento de Marketing da editora, logicamente a trilogia será considerada “o maior espetáculo da terra”. Por isso, comprem por conta e risco.
Inferno de Gabriel:
A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante ¿ um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.
Julgamento de Gabriel
Eles estão vivendo uma paixão arrebatadora. Mas muitas pessoas são contra esse amor. Gabriel Emerson e Julia Mitchell se conheceram há muito tempo, quando ela ainda era adolescente, numa noite mágica e confusa. Mas, apesar de todo o sentimento que nasceu entre eles, no dia seguinte seus caminhos se separaram. Anos depois eles se reencontraram quando Julia começou o mestrado na Universidade de Toronto. Gabriel era um professor enigmático, sedutor e muito arrogante que a atormentava e perseguia. No entanto, o que mais fazia Julia sofrer era ele não se lembrar dela. Mas nem mesmo o insensível Gabriel é capaz de resistir à profunda conexão que existe entre eles e logo os dois embarcam numa tórrida paixão proibida. Com o fim do semestre e do curso ministrado por Gabriel, eles deixam de ser professor e aluna e enfim estão livres para viver seu amor. Ou pelo menos era o que pensavam. Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados. Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que o professor vai ceder às ameaças ou irá lutar até o fim por sua amada? Será que essa paixão conseguirá resistir a um julgamento implacável? Na apaixonante sequência de O inferno de Gabriel, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.
Redenção de Gabriel -
Parecia que eles seriam felizes para sempre. Mas toda relação tem seus conflitos. Depois do escândalo em que se viram envolvidos em Toronto, Gabriel e Julia se casaram e se mudaram para Massachusetts, onde ele dá aula na Universidade de Boston e Julia faz doutorado em Harvard. Agora ela precisa provar que não vive à sombra do marido famoso. Mas parece que Gabriel não está pronto para ver a esposa caminhar com as próprias pernas. Quando ela é convidada a dar uma palestra em Oxford, surge seu primeiro conflito: a linha de pesquisa dela diverge da teoria dele. Durante a conferência, os dois são obrigados a confrontar antigos rivais, entre eles a incansável Christa, que, ainda determinada a humilhar Julia, ameaça revelar um dos segredos mais obscuros de Gabriel. Além disso, as coisas entre eles não vão muito bem. Isso porque Gabriel está ansioso para ter um filho, mas Julia quer concluir o doutorado primeiro. Para ver realizado seu sonho de formar uma família, Gabriel terá que enfrentar fantasmas do passado. Será ele capaz de fazer isso? E será que a generosidade de Julia resistirá à ameaça de ver arruinada a carreira que ela tanto se esforçou para construir? A redenção de Gabriel é o desfecho brilhante dessa trilogia que arrebatou leitores no mundo inteiro.  
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 1.328
Tipo de capa: brochura


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...