segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Cinco palhaços malignos da literatura



Cara, tenho um “certo quê” com palhaços. É verdade! Com todo respeito à esses homens que pintam a cara e colocam aqueles narigões vermelhos para nos divertir, confesso novamente: “tenho um ‘certo quê’ com eles. Quando estou no circo assistindo um espetáculo, no momento da apresentação dos palhaços, não pestanejo, dou a desculpa que tenho de ir ao banheiro ou então comprar uma pipoca e me mando. E se um deles se aproximar de mim, durante aquelas brincadeiras com o público, fico em estado catatônico. Tudo bem, vou parar de enrolação e vomitar as palavras de uma vez: sofro de coulrofobia. Pra quem não sabe, coulrofobia é o termo psiquiátrico para designar o medo de palhaços.
E a culpa dessa minha coulrofobia deve-se, em grande parte, aquele boneco de palhaço FDP do filme Poltergeist que se escondia debaixo da cama para atacar, traiçoeiramente, um assustado menino. Pennywise, do filme “A Coisa” interpretado, brilhantemente, por Tim Curry também deu a sua parcela de colaboração para que o ‘rapaz aqui’ passasse a ter ojeriza de palhaços.
E para expurgar esse medo, resolvi escrever um post sobre cinco palhaços demoníacos da literatura. Cinco caras pintadas que me provocam arrepios até hoje. E vamos para a lista!
01 – Caim (O Príncipe da Névoa)
Cara, eu tinha a mais plena das plenas convicções que nenhum outro palhaço do mal iria me assustar tanto quanto aquele ‘mardito’ boneco do Poltergeist, nem mesmo Pennywise com toda a sua aura maligna. Eis, então, que num belo dia resolve ler “O Príncipe da Névoa” de Carlos Ruiz Zafon e pimba! Lá está ele: Caim. Brrrrrrrrrr.... Pronto! Minha ojeriza pelo ‘dito cujo’ do Poltergeist foi para o espaço. Mêo, Caim é do mau aos extremos. E a sua aparência é horripilante.
Caim é na realidade o ‘Príncipe da Névoa’ do título do livro de Zafon. Ele é um mago com o poder de transformar em realidade qualquer pedido feito pelas pessoas incautas. Ocorre que Caim cobra um preço muito alto pela realização desses desejos, os quais nunca se esquece de cobrar.
No livro, um dos covis do Príncipe da Névoa é um circo ambulante onde ele se transforma num maligno palhaço com o rosto pintado de branco e vermelho e com o poder – à exemplo de Pennywise de “A Coisa” – de se transformar em qualquer monstruosidade.
Para aqueles que ainda não leram a obra de Zafon vou fazer uma breve descrição de Caim, mas prepare os seus nervos, principalmente os coulrofóbicos: “O palhaço abriu a bocarra pontilhada de presas longas e afiadas como facas de açougueiro e seus olhos cresceram do tamanho de um pires de chá”. Quer mais? Ok, lá vai: “Naquele momento, a criatura com forma de anjo e rosto de palhaço com longos caninos se lançou sobre ele, estendendo as garras afiadas”. Acho que chega né?
Taí! Acabei de apresentar para a galera ‘Mister’ Caim.
02 – Pennywise (A Coisa)
Este também é fera! Quer dizer uma fera do mal. No livro “A Coisa” de Stephen King, Pennywise ou Parcimonioso é uma criatura sobrenatural que muda de forma, mas geralmente aparece como um palhaço para atrair as suas presas preferidas: as crianças que moram na fictícia cidade de Derry. O palhaço demoníaco se alimenta dos medos e fobias dessas crianças.
Pennywise apareceu na Terra há muitos séculos, em um evento cataclismático, similar a uma colisão de um asteroide, em um lugarzinho que futuramente seria Derry, no estado do Maine (onde se passa a história do livro). Aparentemente, Pennywise esperou milhões de anos em silêncio até o aparecimento dos humanos (O que de alguma forma ele sabia que iria acontecer). Desde então ele acorda em ciclos de 25 a 30 anos, e caça crianças, atraindo-as como um simples palhaço para depois devorá-las.
O livro de King deu origem à um filme para a TV, lançado em 1990, que provocou arrepios em toda uma geração.
A Coisa ou Pennywise ou ainda Parcimonioso é a essência da maldade, um verdadeiro monstro que mata por prazer, principalmente crianças. Merece estar nessa galeria de palhaços do mal.
03 – Coringa (Histórias em Quadrinhos de Batman)
Vamos, agora, saltar dos livros para as histórias em quadrinhos. Com certeza vocês já sabem o nome desse cara. É ele mesmo: o Coringa.
Este sujeito psicótico com uma aparência similar a um palhaço ou a de um curinga das cartas de baralhos é um verdadeiro sádico. Não. Pera aí. O Coringa é muito mais do que sádico. Ele é insano, maquiavélico, maldoso, dissimulado, psicopata, assassino e é claro, sádico. Esqueçam o personagem interpretado por Heath Ledger em “Batman: O Cavaleiro das Trevas” porque o Coringa  é muito mais insano do que aquilo, aliás, a sua insanidade nos quadrinhos é incomensurável.
Vejam só o que ele aprontou nos gibis: deixou Bárbara Gordon, a Batgirl, paralítica, condenando a heroína a viver o resto de sua vida numa cadeira de rodas; matou Jason Todd, o Robin, parceiro inseparável de Batman, usando um pé de cabra; retirou a pele do próprio rosto para posteriormente usá-la como máscara; matou Jimmy Olsen, Lois Lane e o filho do Superman que estava na barriga dela, ah... e de quebra destruiu Metrópolis; retirou a pele do corpo de um cara ainda vivo; mas nada se compara ao que ele aprontou em “Terra de Ninguém”. Nesta HQ, o psicopata de cabelos verdes, pele branca e boca vermelha sempre sorridente - ao lado de sua amante, Arlequina - desejava acabar com o "amanhã" da nova Gotham, com isso ele raptou todos os bebês da cidade e quando estava prestes a matá-los, foi descoberto pela policial Shara Essen, esposa do Comissário Gordon que tentou impedi-lo. No fim o Coringa não matou os bebês, mas tirou a vida da esposa do policial.
Por todo esse rol de maldades, o Coringa pode ser considerado o maior vilão da DC Comics.
04 – Violator (Histórias em Quadrinhos de Spawn)
Violator é um demônio nascido do inferno, cuja finalidade é levar o Spawn Al Simmons, novamente, a fazer os serviços do mal. Ele apareceu pela primeira vez nas histórias em quadrinhos de Spawn em maio de 1992 e a partir daí se transformou no principal arqui-inimigo do herói.
A forma mais normal do Violator é a de um horrível palhaço, nanico, obeso ao limite, calvo e que usa tinta azul em sua face. Seus poderes demoníacos incluem super-força, mudança de forma, a cura acelerada, tele-transporte e a habilidade de cuspir fogo.
Enviado à Terra por Malebolgia, o poderoso governante do Oitavo Círculo do Inferno, Violator tem a missão de acompanhar de perto Al Simmons que após a sua morte se transformou num Spawn.. E enquanto ele não pode mata-lo sem uma ordem de seus superiores, torna a vida de Simmons um verdadeiro inferno. Violator foi morto várias vezes, apenas para ser mandado de volta para o inferno e depois de volta à vida por seu mestre. Tudo para ficar perto de Simmons... e atormentá-lo.
Etcha  palhaço maligno!
05 – John Wayne Gacy, o “Palhaço Pogo” (Serial Killer, Anatomia do Mal)
Não, não... Nada disso, John Gacy não é um personagem de histórias de ficção. Ele, de fato, existiu e foi um dos serial killers mais violentos e insanos que o mundo já conheceu. O livro “SerialKillers – Anatomia do Mal”, escrito por Harold Schechter e lançado pela editora Darkside, dedica um longo capítulo à Gacy que ficou conhecido nos meios policiais da época como o “Palhaço Assassino”.
Mêo, o sujeito era completamente tresloucado, um verdadeiro “Coringa”. Para se ter uma idéia da insanidade do cara, basta dizer que ele foi acusado de matar pelo menos 29 garotos! Gacy acabou sendo condenado a 21 prisões perpétuas e 12 penas de morte! PQP! Os 29 corpos foram encontrados enterrados no porão de sua casa, além de outros cinco que foram resgatados pela polícia em um rio.
Gacy, nasceu na cidade de Chicago em 1942  e teve uma infância traumática: era espancado e chamado de "bichinha" pelo pai alcoólatra, sofreu um traumatismo craniano aos 15 anos, e em 1968 foi preso por estar praticando atos sexuais com um jovem no banheiro de um bar. Gacy começou a matar em 1972 e suas vítimas eram todas do sexo masculino. Os rapazes recebiam propostas de emprego, iam até a sua casa, chegando lá eram dopados, amarrados em uma cadeira, amordaçados com as próprias cuecas, torturados, violentados e finalmente mortos. Muitas vezes as torturas eram feitas, segundo Gacy, por uma de suas personalidades, um palhaço chamado Pogo. Vestindo-se com roupas de palhaço e com o rosto todo caracterizado de branco e vermelho, ele torturava as vítimas, enquanto lia passagens da Bíblia. Depois da tortura e dos abusos sexuais, Gacy estrangulava os garotos usando um instrumento conhecido como garrote.
O “Palhaço Pogo” ou John Wayne Gacy foi executado por injeção letal, aos 52 anos de idade, no dia 10 de maio de 1994.
Taí galera! Espero que tenham apreciado essa galeria de palhaços nada bonzinhos.
Inté!

2 comentários:

  1. Acho muito interessante essas postagens em forma de lista. Dá uma certa expectativa pra ver qual será o próximo item!
    Com exceção do último, já conhecia todos os palhaços mencionados, e concordo com você, são mesmo malignos, especialmente o Pennywise, aquele desgraçado que na infância me fez ter pavor de ir ao circo.
    Mas fora isso valeu pela nostalgia, Jam! Até a próxima!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...