domingo, 2 de fevereiro de 2014

Os atores perfeitos para viver os 15 personagens principais do filme As Crônicas de Artur



Bem, agora são... 23h18m. Cara, cheguei em casa há uns 40 minutos, depois de uma mal sucedida tentativa de entrevistar um sujeito chave para uma reportagem sobre uma onda de roubos a caixas eletrônicos que está acontecendo na minha região. Os sujeitos explodem, roubam e ainda saem cuspindo tiros de fuzil contra a polícia. Dessa vez foi pior, porque a quadrilha ainda vomitou balas em algumas residências de moradores numa cidade perto daqui. Sorte que não tinha ninguém com a janela aberta.
Esquematizei uma matéria da hora; só faltava a “fala” de um milico figurão, mas o disgramado ou desgraçado que seja, deu os canos. PQP!! Mandou o seu secretário avisar que sofreu um contratempo e por isso adiou o encontro para amanhã. O bundão ignora que eu tenho prazo para entregar a reportagem e o esse prazo vence amanhã. Resumindo: cheguei em casa com o rabinho no meio das pernas, mas puto da vida. O que amenizou um pouco a tragédia, foi a ‘presença-surpresa’ de my love Lulu que resolveu passar por aqui, depois do trabalho, numa ‘visitinha surpresa’ altas horas da noite. Comemos uma pizza, bebemos ‘umas’ duas ‘cervas’, tomei um banho, nos despedimos e agora, ainda insone, resolvi esfriar a cabeça na frente do computer fazendo esse post.
Como queria ‘congelar’, de fato, a cachola decidi escrever  algo que me fizesse sentir bem, alguma coisa que tivesse o poder de fazer com que apagasse da minha memória aquele milico ‘duma figa’ que me ferrou; melhor dizendo, que me entubou de baixo para a cima. Então resolvi imaginar a minha trilogia preferida (As Crônicas de Artur, de Bernard Cornwell) sendo adaptada para o cinema ou quem sabe, na TV, numa mini serie. Cara, se esse dia chegar, serei capaz, até mesmo, de dar um abraço naquele milico maledeto com direito aqueles entusiasmados tapas tipo ‘arrebenta lombo’ nas costas.
Acabei de escolher alguns atores e atrizes que, em minha opinião, iriam se sair magnificamente bem interpretando os personagens lendários criados por Cornwell.
Galera, esse post foi uma tremenda terapia, me fez um bem incrível, porque viajei e me diverti muito escolhendo rostos famosos da sétima arte para um filme que eu não entendo porque até agora não foi parar nas telas. Mas vamos ao que interessa!
01 – Derfel Cardam (Colin Farrell)
Um dos guerreiros de Artur que o trata como um verdadeiro irmão. Homem valoroso e valente que é o narrador de toda a saga idealizada
por Cornwell. Man! E como Cornwell teve um lance de meste! Ele criou um personagem que jamais tinha aparecido nas lendas arturianas tradicionais  e o transformou no fio condutor de sua trilogia. Cabe a Derfel relembrar as batalhas sangrentas que participou; os momentos de amor e traição envolvendo Artur e Guinevere; a loucura crescente de Nimue; as peripécias de Merlin; o seu casamento com Ceinwyn, a estonteante ‘Estrela de Powys’; as contendas com o traiçoeiro e covarde Lancelot e mais isso e aquilo.
Para viver um personagem com essas características selecionei Colin Farrell. Depois que o vi no épico “Alexandre”, passei a imaginá-lo na pele de Derfel e acho que daria conta do recado. Farrell é um excelente ator, principalmente em cenas dramáticas e a vida de Lorde Derfel é uma drama só. Leia a trilogia e depois responda se tenho razão ou não.
02 – Artur (Kit Harington)
Palavra de honra que pelejei para escolher um ator que fosse capaz de ir para o “vamu vê” e o “vamu vê” nesse caso seria a capacidade para interpretar o lendário personagem das Crônicas.  Confesso, ainda, que escolhi o ‘sujeito’ mais pela aparência do personagem que se formando em minha mente após a leitura da trilogia. E quer saber de uma coisa, Kit Harington o reponsável por interpretar Jon Snow na série “Game of Thrones”, exibida pelo canal por assinatura HBO, é a cara do Artur que imaginei durante a leitura da saga. Tudo bem... tudo bem... alguns podem questionar se o jovem ator teria colhões para segurar uma barra tão grande. Eu respondo: quantos atores e atrizes, hoje famosos, antes de ganhar a chance de viver um grande papel no cinema, trabalhavam em séries de TV, vivendo personagens fraquinhos ou caricatos? Por isso na minha opinião, Harington ‘daria’ um bom Artur.
Quanto a Clive Owan, o qual muitos defendem, sei lá, ele já viveu o personagem uma vez, e venhamos e convenhamos, o Artur daquele filme é bem diferente do Artur idealizado por Cornwell. Seria de uma estranheza só vê-lo erepetir o lendário personagem.
03 – Guinevere (Catherine Zeta-Jones)
Esqueça aquela princesinha ‘lesmatóide’, aculturada, romântica e que só sabe arrastar asas para o valente e bonitão guerreiro Lancelot, homem de confiança de Artur. A Guinevere de “As Crônicas de Artur” é uma mulher forte, decidida e que assume as suas decisões. Enquanto a princesinha das lendas arturianas tem pavor de armas; a personagem de Cornwell é uma talentosa caçadora e ao longo da história, desenvolve as suas habilidades, vindo se tornar uma guerreira nata, daquelas que encaram um campo de batalhas forrados de brutamontes.
Olha man; o menino aqui iria precisar dos serviços de uma atriz muito especial para esse papel, uma mulher de personalidade forte, mas ao mesmo tempo sedutora, sem aquele ar de donzela pura e inocente. Ela teria de ‘transpirar’ uma certa maturidade. Foi então que tive um ‘insight’: Catherine Zeta-Jones!! Grande parte de seus papéis foram personagens de personalidade firme, mulheres que tinham certeza do que queriam e por isso não mediam esforços de ir atrás de suas conquistas, ou será que você não a viu esgrimando ao lado de Antonio Banderas em “A Lenda do Zorro”?
Ah! Antes que me esqueça. Você acha Zeta-Jones muito velha para um “Harington-Artur” de 27 anos? Então, você também acredita que os magos da maquiagem de Hollywood não seriam capazes de dar uma mascaradinha numa diferença temporal de 14? Além do mais no livro, Guinevere sempre teve uma personalidade dominadora, parecendo bem mais velha do que o nosso Artur.
04 – Ceinwyn (Alice Eve)
Putz, que barra escolher uma atriz para viver essa personagem: Ceinwyn ‘A Estrela de Powys’. Cara, no enredo desenvolvido por Cornwell, a mulher é tão bonita, mas tão bonita que ‘estonteia’ todos os homens que a vêem. Sente só um trecho do livro narrado pelo personagem Derfel que futuramente viria se casar com a Estrela de Powys.
Ceinwyn entrou no salão alguns instantes depois. Desde nossa chegada a Caer Sws ela estivera escondida nos aposentos das mulheres ... Confesso que a maioria de nós esperava se desapontar com a estrela de Powys, mas na verdade ela brilhava mais do que qualquer estrela. Entrou no salão com suas damas de companhia e a visão da princesa tirou o fôlego de meus homens. Tirou o meu. Tinha a cor clara mais comum aos saiões, mas em Ceinwyn esse tom se tornava uma beleza pálida, delicada. Ela parecia muito jovem, com rosto tímido e modos recatados. Usava um vestido de linho tingido de amarelo-ouro com o uso de cera de abelha, bordado com estrelas no pescoço e na bainha. O cabelo era dourado de tão leve que parecia brilhar tanto quanto a armadura de Artur.
(...)
... Um harpista tocou, os homens aplaudiram e Ceinwyn, a linda e prateada Ceinwyn, chorou e riu pela alegria de sua alma. Perdi o coração para Ceinwyn naquela noite. Muitos homens perderam. Ela parecia muito feliz, e não era de espantar ...
Ceinwyn, ao logo do enredo se torna uma mulher forte, de fibra, com personalidade. É ela que se transforma num muro de rocha firme para apoiar Derfel nos momentos difícieis.
Caraca! Quem? Quem? E quem? Onde encontrar uma atriz de beleza estonteante e de personalidade? Bem, não sei se acertei na opção, mas mandei ver em Alice Eve, a Drª Carol Marcus de “Star Trek: Além da Escuridão”. Aquela cena em que ela fica só de biquini azul na frente do capitão Kirk (acho que é ele o felizardo) é de fechar todas as portas do barraco!! Man! Man! Que que é aquilo!! Neste mesmo filme, a sua personagem também sabia o que queria. Uma Drª Marcus decidida. Anote:  a estonteante Alice Eve é a escolha perfeita para viver a estonteante Ceinwyn.
05 – Lancelot (Chris Hemsworth)
Esqueça o Lancelot das fábulas arturianas. Aquele Lancelot é corajoso, capaz de enfrentar qualquer oponente, mas o personagem criado por Cornwell é covarde, traiçoeiro e cruel. No início não sabemos se ele é efeminado ou um Don Juan, corajoso ou covarde, sincero ou traiçoeiro, arrogante ou humilde; mas em pouco tempo descobrimos que ele é o mais vil dos homens. Cara... olha, mesmo assim, não há como negar que o Lancelot de “As Crônicas de Artur” é um personagem muito carismático; aliás, carismático ao extremo. Ele me fez sentir, raiva, ódio, mas também dei boas risadas. O Kid Tourão tem um provérbio engraçado. Quando ele conhece um sujeito que consegue se safar de situações complicadas e ainda fica bem no pedaço, ele costuma dizer que o espertalhão é um ‘bagre ensabuado’. Pois é, eu aplico esse provérbio touriano à Lancelot. Ele é capaz das mais vis atitudes para ficar por cima. Saiba mais lendo os posts que escrevi sobre a trilogia (O Rei de Inverno, O Inimigo de Deus e Excalibur).
Para viver esse falso herói no cinema ou na TV escolhi o nosso Thor. Lancelot é descrito como um homem belo e de corpo perfeito e sabemos que Chris Hemsworth tem esses atributos. Por outro lado, ele já demonstrou que sabe ser cínico, prepotente e ‘tirador de sarro’. Afinal, esses são alguns dos atributos do Deus do Trovão. Taí, Hemsworth seria um Lancelot legal.
06 – Merlin (Mel Gibson)
Caraca, que Zzzzzzzzzzz...Estou sentindo que Hipnos, Morfeu e até mesmo João Pestana estão querendo me atacar. Mais de zero hora, já?!! Mas vamos ao que interessa. O Merlin das “Crônicas de Arttur” é de tudo um pouco, menos mago; mas por causa da sua lábia, nós passamos a acreditar que ele é muito poderoso, capaz dos mais difíceis feitiços e encantamentos.
Cornwell criou um personagem marcante que representa o auge da anarquia, além de ser um manipulador nato. Ele consegue dizer com tanta propriedade que os cabelos de determinada pessoa estão caindo, que a pobre coitada acaba ficando plantada na frente do espelho olhando para a sua cabeça e se lamentando. Ao fazer isso, Merlin ainda ri da ingenuidade da vítima.
Diferente do Merlin dos contos da Távola Redonda, o personagem idealizado por Cornwell é um Druida, sem esse lance de chapéu pontudo, manto estrelado;  bem diferente do Gandalf de “O Senhor dos Anéis”. Por isso que o ator Ian McKellen – quase uma unanimidade nas pesquisas sobre o tema – não cairia bem no papel. Os druidas não fazem mágicas mirabolantes e nem flutuam no ar, eles são apenas sacerdotes remanescentes da antiga cultura celta, responsáveis pelos rituais da época.
Quando pensei em Merlin, a primeira imagem que se formou em minha mente foi aquela cara de sacana do Martin Riggs, o ‘Máquina Mortífera’ dos quatro filmes da série. Cara! Riggs é um Merlin dos tempos modernos; sarrista, egocêntrico, confiante, convincente e mais isso e aquilo. Mel Gibson seria o Merlim das ‘minhas’ Crônicas de Artur.
07 – Nimue (Christina Ricci)
Não há como fugir dela. Christina Ricci é unanimidade. No livro, Nimue vai sofrendo grandes transformações. A sua loucura cresce a cada capítulo e explode em “Excalibur”, último livro da trilogia, quando no afã de trazer de volta os deuses da Britânia, ela se vira contra Merlin, considerado o seu mestre, chegando ao ponto de planejar a sua morte.
No início da saga temos uma Nimue linda, encantadora e meiga; mas como já disse, com o virar das páginas, ela vai perdendo todos esses atributos, transformando-se numa bruxa horrenda, sem um olho, com os dentes podres e fedendo mais do que mil chiqueiros lotados. A atriz que se consagrou em “A Família Adams” paparia essa oportunidade porque quando ela quer ser bonita, ela se torna bela e quando ela quer ser feia, ela se rona... horrível.
08 – Samsum (Tommy Lee Jones)
O conhecido Lorde Camundongo é uma pessoa ardilosa, traiçoeira, interesseira e hipócrita representando os primórdios da Igreja Católica Medieval onde os seus bispos faziam coisas horríveis por dinheiro e influência. E o bispo Sansum é tudo isso e muito mais. Detesta Artur e Derfel a quem trata como inimigos e se alia a qualquer tipo de pessoa para o seu proveito próprio. Ele é a essência da maldade e da ganância. Apronta das suas na saga, deixando os leitores com uma vontade enorme de mergulhar nas páginas e descer o cacete no Lorde Camundongo.
Para interpretar esse “excremento traiçoeiro” daria crédito à Tommy Lee Jones, o Agente K de “Homens de Preto”. Ele tem uma cara de mau e ardiloso, não é verdade?
09 – Mordred (Channing Tatum)
Quando mostrei essa foto do Channing Tatum para ‘Lulu my love’, ela gritou no ato: - “Misericórdia!! Que cara esquisito!!”. Depois do susto, não pestanejei em escalá-lo como Mordred. E avaliando melhor a foto do ator - que na realidade não é feio, mas foi pego numa poosse traiçoeira e num ângulo horrível – se sairia divinamente nem como o manquitola Mordred.
O personagem que acaba se tornando rei é descrito como um barangão, um sujeito mais feio do que a morte: cabeçudo, orelhudo, desengonçado e como não bastasse, ainda manca de uma perna por causa do seu pé torto.
Bem, nas telonas optaria por uma versão mais amena de Mordred. No meu filme, ele seria um cara rude e com traços menos escabrosos. Tatum com uma maquiagem básica seria o cara.
10 - Uther Pendragon (Gene Hackman)
O Rei Uther morre no início da saga, logo após o nascimento de seu neto Mordred e do juramento de seu filho bastardo, Artur de proteger o futuro e recém nascido rei. 
Dessa forma, o ator que interpretasse o ‘Pendragon” faria apenas uma participação especial, mas mesmo assim teria de ser “o bom da boca”.
Uther, apesar de velho – no livro a impressão que o leitor tem é de que ele está na pura carcaça e ainda muito doente – inspira uma muita confiança e com a sua palavra sendo lei. Acredito que Gene Hackman tem todos os requisitos párea interpretar um rei, inclusive o ‘Pendragon’. 
Vale lembrar que a maioria dos personagens de Hackman foram homens fortes e decididos, como por exemplo, o reverendo Scott de "O Destino do Poseidon" (1972).
11 – Sagramor (Djimon Hounsou)
Cara! Até dei uma despertada do meu estado de “zumbi do sono”. Hounsou é cara, a fuça, o corpo, a pele e tudo o mais do Sagramor!! Incrível! Você que já leu a trilogia, diz aí se estou mentindo?!
Man! Man! O negão é foda! Me desculpem a empolgação e o palavreado chulo, mas sempre que me lembro do fiel e letal comandante númida das tropas de Artur me empolga. E vou mais além, Sagramor é meu personagem preferido da trilogia não só pela grande carga de ação que ele traz toda vez que está em cena, mas principalmente pela sua personalidade. Ele é honesto e fiel a Artur. Putz, e como é gostoso ‘ler’ essa amizade nas páginas. Sagramor esconde todas essas virtudes numa aura mística. O sujeito é muito enigmático, mas também muito ‘gente fina’. O diamante negro Djimon Hounsou é candidato perfeito, sem concorrente.
12 – Morgana (Raquel Weisz)
Morgana... Morgana... que personagem complexa e dúbia. Ela é a sacerdotisa preferida de Merlin, mas somente até o momento em que o druida decide trocá-la por Nimue. A partir daí, Morgana se transforma, deixando transparecer o seu lado vingativo. Assim, ela toma uma atitude excêntrica, esdrúxula, inimaginável, sei lá mais o que. A sacerdotisa adepta do paganismo, simplesmente se casa com o bispo Samsum, católico fervoroso. Depois, se pularmos mais algumas páginas, Morgana decide ajudar Derfel a salvar a vida de Ceinwyn, algo que ela jamais faria, pois detesta Derfel. Vai entender!?
Nas “Crônicas...”, Morgana era uma bela mulher, uma sacerdotisa de tirar a razão até mesmo dos deuses, mas após um acidente, ela acaba ficando com um lado do corpo, incluindo o rosto, inteiramente deformado, sendo obrigada a usar uma máscara para esconder a horrível imperfeição.
A mulher de James Bond, ou melhor, de Craig Nelson, é a minha favorita. A atriz britânica de 43 anos já ganhou o papel. Meu! Dá uma olhadinha... ela é a cara d a Morgana de Cornwell?
13  - Galahad (Rodrigo Santoro)
Dá-lhe Rodrigão! Sapeca que eu quero ver. Man, deixe-me acelerar isso aqui porque já estou começando a deixar de escrever coisa com coisa. Ainda bem que o café ‘levanta defunto’ de Lulu está salvando a Pátria; pelo menos por enquanto.
O Santoro sempre teve cara de bom moço, nem mesmo interpretando o Xerxes de “300” ele consegue esconder o bom coração. 
Não adianta galera, existem os atores que levam jeito para viver os vilões e existem os atores que fazem dos chamados ‘mocinhos’ a sua segunda pele. E Galahad, o meio-irmão de Lancelot é o espelho da virtude. Gostaria de ver o Santorão nesse papel.
14 – Aelle (Sean Bean)
Num épico dessa natureza, é claro que não poderia faltar o Boromir de “O Senhor dos Anéis”. Sean Bean se especializou em viver papéis de cavaleiros medievais. 
Neste tipo de filme, ele é a “bola da vez”. Por isso, o meninão sonolento aqui tinha a obrigação de encontrar um papel para ele nesta produção cinematográfica imaginária. Aelle cairia como uma luva para Bean.
O rei saxão que mais tarde revela ser o pai de um importante personagem da saga tem um papel secundário, mas nem por isso, menos importante na trama. É Boromir na cabeça!
15 – Igraine (Jennifer Lawrence)
0h44m!!!! Fechando com urgência o post para ir dormir; isso se as lembranças daquele  milico cabra da peste deixarem. Bem, anotem aí.. Igraine é a rainha de Powys bem depois da época de Artur. É para ela que Derfel já bem velho e agora morando num mosteiro narra as aventuras de Artur e de seus cavaleiros; trupe da qual ele fazia parte.
Igraine é uma rainha doce e de grande coração, mas muito teimosa. Apesar de saber que Samsum, responsável pelo mosteiro, tem um ódio mortal de Artur, ela insiste que Derfel escreva num pergaminho todas as peripécias a do valoroso rei. Nasce assim, uma história dentro de outra história, numa sacada de gênio de Cornwell.
Jenniffer Lawrence, de “Jogos Vorazes”, de apenas 23 anos é tida como uma das atrizes mais talentosas de sua geração. Ela seria a minha Igraine.
Galera, desculpem-me por alguns erros. Fiz apenas uma revisão ‘meia-boca’ no texto porque estou moidaço, arrebentadaço, culpa daquele... daquele... bem, vocês já sabem... nem preciso falar escrever.
Fui! ... pra cama.

6 comentários:

  1. nao se esqueça q artur é mais velho que derfel

    ResponderExcluir
  2. Cara que escolhas foram essas? hahahhahaha... Você leu o mesmo livro que eu?
    Escolheu muito mal, na moral! Os atores não se parecem com a descrição dos personagens em nada. Derfel é saxão, tem cabelos claros, arthur mais velho que derfel e moreno. Guinevere é uma deusa, ruiva, não da pra colocar uma atriz que não é ruiva pra fazer. Fica forçado. Gostei das suas escolhas pra sagramor e ceinwyn. Gostei da escolha pra nimue tbm. De resto vc vacilou em idade e fisicamente. Fora a qualidade dos atores... meio duvidoso! Beijos :D

    ResponderExcluir
  3. Só achei "parecido" os atores de Galahad, Sagramor e a Nimue(pq a triz tem uma beleza feia). Os atores que você escolheu não condizem com os personagens, pelo menos fisicamente: o Artur tá muito novo e bonito, o Lancelot não é loiro, não Derfel não é moreno, a Nimue não é linda como você descreveu, o Merlin é bem mais velho, a Guinevere é uma ruiva flamejante de olhos verdes, e por aí vai.

    ResponderExcluir
  4. concordo com a sara,o Cris que é o thor seria o Derfel pois é bem alto e pelos livros derfel seria mais alto que Artur já que narra que ele era uns tres centrimetros mais alto que Guinevere e conta que ela seria da mesma altura que artur ou talves uns 2 cm mais alta,Nicole Kidman seria a Guinevere,Clive Owen seria o Artur o resto a´te não faria muita diferença.

    ResponderExcluir
  5. Alguém já viu aquele cara em O Senhor dos Anéis que é um guerreiro leal do rei Theóden? Um cara loiro barbudo, que está dentro da sala lá com os outros quando os orcs prendem eles la. Sempre idealizei ele como Derfel. Ele aparece nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=NfzDhzf_8u0

    ResponderExcluir
  6. E o Sean Bean tinha que ser o Aelle só pq no final ele morre? KKKKKKK impossivel nao pensar nessa hipótese :D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...