sexta-feira, 18 de maio de 2012

Zafón lança a continuação de “A Sombra do Vento” no dia 10 de junho

Depois que li “A Sombra do Vento”, “O Jogo do Anjo” e “Marina” me tornei um fã incondicional do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafon. De todas essas obras citadas, a que mais me agradou foi, sem dúvida nenhuma, “A Sombra do Vento”, onde o autor criou personagens tão especiais que chegam a ‘beirar’ as raias do mítico, além de ter tido a inspiração de colocar esses personagens num contexto onde o macabro, a paixão, o romance, o suspense, o humor e a aventura se fundem.
Costumo dizer que só mesmo Zafon tem esse dom; de criar personagens e um enredo único e diferenciado. Foi assim em todos os seus livros e com certeza continuará sendo;  mas em “A Sombra do Vento”, ele se superou. Prova disso é que o romance se transformou no cartão de apresentação de Zafon que ficou conhecido em todo o mundo.
“A Sombra do Vento” foi uma obra tão especial, tão sui generis que jamais passou pela minha cabeça que um dia pudesse ter uma continuação. Para mim, a história foi encerrada com chave de ouro após Daniel Sémpere e sua amada Bea terem descoberto o terrível segredo envolvendo o escritor Julian Carax. Zafon não deixou nenhum fio solto em seu enredo. Ele foi perfeito. Assim que li a última página do livro, refleti comigo: “Taí uma obra única!” Dessa forma, uma possível continuação, jamais passava pela minha cabeça, mas então, o escritor espanhol surpreende à todos e anuncia a sequência de sua obra máxima que será lançada no próximo dia 10 de junho, já estando, inclusive, em pré-venda em várias livrarias virtuais.
O novo livro de Zafon se chama “O Prisioneiro do Céu” e traz novamente os personagens Daniel Sempere, Bea e Fermin. E se o release divulgado pelo selo Suma de Letras for verdadeiro, o enredo não ficará devendo nada aos romances anteriores de Carlos Ruiz Zafon. Agora, só resta saber se a história poderá pelo menos se equiparar a sua predecessora. Vejam bem, eu escrevi “equiparar” e não “superar”, porque acredito que “A Sombra do Vento” entrou para a galeria das obras de arte insuperáveis da literatura mundial.
Carlos Ruiz Zafón
Em “O Prisioneiro do Céu”, Zafon nos transporta para uma Barcelona do ano de 1957, onde  Daniel Sempere e seu amigo Fermín, os heróis de A Sombra do Vento, estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente.
Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. O homem misterioso entra e mostra interesse por um dos itens mais valiosos dos Sempere, uma edição ilustrada de O Conde de Montecristo que é mantida trancada sob uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo, e o homem parece não ter grande interesse por literatura; mesmo assim, demonstra querer comprá-lo a qualquer custo.
O mistério se torna ainda maior depois que o homem sai da loja, deixando no livro a seguinte dedicatória: "Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro". Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade.
Ao descobrir a verdade, Daniel compreenderá que o destino o arrasta na direção de um confronto inevitável com a maior das sombras: aquela que cresce dentro dele.
De acordo com informações da editora, “O Prisioneiro do Céu”, além de ser uma continuação de “A Sombra do Vento”, ainda conta com alguns elementos de um outro romance do autor espanhol: “O Jogo do Anjo”. Estas duas linhas narrativas acabam se convergindo e levando o leitor à resolução do enigma que se esconde no coração do Cemitério dos Livros Esquecidos.
Parece ser emocionante não é mesmo? Bem, só resta aguardar a chegada de 10 de junho, próximo, para conferirmos se “O Prisioneiro do Céu” será, de fato, uma sequência à altura de “A Sombra do Vento”.

11 comentários:

  1. Adorei o seu blog juro já ta salvo na minha aba de favorito;D
    Já li a Sombra do Vento 3 vezes ( estou lendo a 3° agora) e o Zafón e foda , quando li não acreditei parabéns pelo trabalho ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Leo; que bom que gostou dos assuntos abordados nesse espaço. Fico feliz :)
      Zafon tbém é um dos meus autores preferidos. "O Prisioneiro do Céu" já é um dos primeiros em minha lista de leitura...
      Abcs!

      Excluir
  2. Dá um vista de olhos na critica a este livro no meu blogue

    http://www.cemiteriodoslivrosperdidos.blogspot.pt/

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Estou lendo " A sombra do vento" e nem sei explicar o sentimento que tenho por essa historia e incrível, Zafon usou de muita inteligência ao mesclar a historia de Daniel e Julian e simplesmente fascinante, como ele detalha cada personagem cada cena e incrível

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Vivian,
      ... uma das melhores histórias que li... Vamos agora aguardar a sua continuação. "O Prisioneiro do Céu" já está guardadinho na estante e com certeza será a minha próxima leitura.
      Abcs!

      Excluir
  4. O primeiro livro que li desse autor foi Marina (emprestado) e de repente quando fui na Saraiva os outros estavam lá, um ao lado do outro. Tive que comprar!!! Gosto muito da leitura e é sempre emocionante... quando li a sombra do vento fiquei fascinada. Estou finalizando uma leitura e o próximo da lista é o prisioneiro do céu
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, a partir do momento que você lê uma obra de Zafon, não há mais como se desvencilhar de seus livros. O seu estilo é único, capaz de mesclar mistério, romance, ação e terror num gênero só. Incrível!
      Abcs!

      Excluir
  5. "A Sombra do Vento" me fez chorar igual uma bebê. Acabei de ler, e li em dois dias, presa ao ritmo que a trama tem, e a cada capítulo eu queria ler mais. As histórias de cada pessoa ali vão ficar gravadas em minha mente... Principalmente a de Penélope, Nuria e Bea. Mulheres fortes, muito fortes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse tudo sobre "A Sombra do Vento", Rayane. Um enredo instigante, como uma teia de aranha, que nos prende, ficando impossível deixar de ler um minuto sequer. Qto as personagens femininas, marcantes, de fato.
      Abcs!

      Excluir
  6. Aguardamos para o Natal/16 O Labirinto dos Espíritos....

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...